Em entrevista neste domingo, o ministro Mendonça Filho afirmou que 16 estudantes que fizeram o Enem 2013 e 2014 foram expulsos de cursos universitários após constatação de fraude.

G1

ministro da Educação, Mendonça Filho, disse neste domingo (4) que a Polícia Federal (PF) monitorava 70 suspeitos de fraude que não compareceram à segunda aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016.
“A gente tinha 70 pessoas hoje, fazendo a prova do Enem sob suspeita, mas elas sequer compareceram às provas, porque ficaram com medo do que ocorreu no primeiro Enem, alguns preso em flagrante enquanto tentavam fraudar o Enem”, disse Mendonça Filho, durante entrevista coletiva sobre a segunda aplicação do Enem, na noite deste domingo (4).

O ministro disse ainda que 16 alunos, que fizeram as provas do Enem em 2013 e 2014, serão expulsos dos cursos que frequentam atualmente em universidades. Eles teriam se beneficiado de esquemas de fraudes naquelas edições. Pelo menos um desses candidatos hoje estuda medicina.

De acordo com Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), o órgão não tem competência para expulsar estudantes de uma universidade. Porém, ao ser comprovado que o estudante participou de fraude durante a aplicação do Enem, os documentos que registram essa fraude são encaminhados às universidades nas quais esses candidatos foram aprovados usando a nota do exame fraudado e, então, ocorre a expulsão do aluno.

Ministro Mendonça Filho (Foto: Reprodução/NBR)
Ministro Mendonça Filho (Foto: Reprodução/NBR)

Comentários