Conecte-se conosco

Acre

Médicos deflagram greve por tempo indeterminado a partir do dia 23

Publicado

em

Os médicos decidiram pela deflagração de greve a partir do dia 23. A proposta de mobilização segue o movimento nacional, contra a importação de profissionais sem a devida revalidação do diploma e unifica o movimento com as reivindicações locais de concurso público, carreira de Estado e melhor estrutura nos hospitais e unidades de saúde.

O movimento de paralisação dos atendimentos foi aprovado em assembleia, na noite de segunda-feira (15), na sede do Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC). O objetivo é chamar a atenção dos governos federal e Estadual para o caos na saúde pública.

O presidente do Sindmed, José Ribamar Costa, explicou que a categoria decidiu ampliar a bandeira de luta em um momento em que a população está reivindicando melhorias no Sistema Único de Saúde (SUS).

“A população está revoltada, a população foi para as ruas em todo país com várias reivindicações, incluindo a melhoria no serviço de saúde. Há anos lutamos pela mesma bandeira, há anos tentamos negociar, mas somos enrolados, por isso decidimos greve para forçar mais investimentos”, detalhou o sindicalista.

Ribamar Costa taxou todas as medidas adotadas pelos governos até momento de eleitoreiras e afirmou que a única forma de melhorar o atendimento é o investimento em estrutura, em medicamentos, equipamentos, na realização de concurso público e na carreira de Estado para médicos.

“Desde 2010 estamos apresentando 16 itens de reivindicação que podem representar a melhoria dos serviços para a população, mas o governo do Estado do Acre tem ignorado a pauta  dos médicos, por isso vamos às ruas, pedir apoio da população e dizer que o atual serviço disponibilizado não pode ser mantido, pois todo mundo corre riscos”, protestou o presidente do Sindmed.

A greve segue também a proposta nacional de protestos contra a importação de médicos de outros países sem a aplicação do exame capaz de medir se os conhecimentos adquiridos no exterior são compatíveis com os ensinados nas universidades brasileiras.

“Não faltam médicos, falta investimento no SUS para garantir hospitais capazes de atender a população. Lutamos pela carreira de Estado, em que o médico começaria pelo interior atendendo os municípios que mais precisam de atenção na área de saúde”, finalizou o sindicalista.

Da Assessoria

Comentários

Acre

Durante Operação Guardiões do Bioma, PM prende cinco pessoas por desmatamento ilegal

Publicado

em

Assessoria de Comunicação da PMAC

Deflagrada sua segunda fase na última sexta-feira, 1°, em todo o Estado do Acre, a “Operação Guardiões do Bioma”, do Governo Federal, tem surtido efeitos. Duas prisões ocorreram pela Polícia Militar do Acre (PMAC) na Zona Rural de Rio Branco e Feijó.

O primeiro fato ocorreu no Ramal Capela, Rodovia AC 90, após uma equipe do 1° Batalhão, que se encontrava na Operação, realizar patrulhamento de rotina e encontrar duas motocicletas as margens da rodovia. Após incursão na mata foi possível abordar dois cidadãos. A dupla estava com uma motosserra, serrando uma castanheira.

O segundo fato ocorreu em Feijó, após averiguação de desmatamento ilegal. A equipe do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) realizou a prisão de três pessoas e apreendeu quatro motosserras. O trio estaria desmatando árvores no local. Ainda foi apreendido 14 terçados e três foices.

Comentários

Continue lendo

Acre

Suspeito de matar ex com tiro na cabeça é preso pela Polícia Civil em Rio Branco

Publicado

em

Por

Crime ocorreu no último dia 12 de junho no bairro Triângulo Novo. Polícia informou que ele também estava foragido por ter rompido tornozeleira eletrônica enquanto cumpria pena por tráfico de drogas.

Homem, de 23 anos, foi preso nessa sexta-feira (1), no bairro Triângulo Novo, mesmo local onde a jovem foi morta — Foto: Arquivo/PC-AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Mais de 45% da população do Acre está abaixo da linha da pobreza, diz estudo da FGV

Publicado

em

Por

Estudo aponta que o número de pessoas com renda domiciliar per capita de R$ 497 mensais em 2021 aumentou 0.15 ponto percentual desde 2019.

Metade da população do Acre vive em situação de pobreza com renda mensal de meio-salário mínimo, diz Abrinq — Foto: Iryá Rodrigues/G1

Quase metade dos acreanos têm menos de meio salário-mínimo para passar o mês. É o que aponta o Mapa da Nova Pobreza, divulgado esta semana pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Segundo a fundação, o contingente de pessoas com renda domiciliar per capita até R$ 497 mensais atingiu 45,53% da população total do Acre. Com esse resultado, o Acre ocupa o 13º lugar no ranking dos estados com mais pobres do país. Em 2020 e 2019, ele ocupava a sexta posição.

O objetivo do levantamento, segundo a FGV, é avaliar a evolução espacial da pobreza nos últimos anos. A metodologia da pesquisa considerou os dados microdados da PNAD Contínua Anual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo aponta que o número de pessoas viviam abaixo da linha da pobreza em 2021 aumentou 0.15 ponto percentual desde 2019, quando 45,37% da população acreana estava nessas condições. Ou seja, a pobreza aumentou no estado em meio à pandemia da Covid-19.

A capital acreana seguiu essa mesma tendência de alta. Em 2019, antes da pandemia, 32,56% da população vivia abaixo da linha da pobreza. E, no ano passado, já eram 38,29%.

No Brasil, o contingente de pessoas com renda per capita até R$ 497 mensais passou de 62 milhões em 2021, quase 30% da população do país. São 9 milhões a mais do que em 2019. Esses 9 milhões de pessoas é quase a população de Portugal, ou seja, um país inteiro com pessoas que ficaram pobres ao longo da pandemia.

Comentários

Continue lendo

Em alta