“Não podemos antecipar juízo, mas caso isso venha a ser confirmado, pode configurar assédio moral vinculado à questão profissional”, disse Adenilson

Promotor Adenilson de Souza/Foto: ContilNet
Promotor Adenilson de Souza/Foto: ContilNet

Em entrevista ao portal G1, o promotor de Defesa do Patrimônio Público e Fiscalização das Fundações e Entidades de Interesse Social, Adenilson de Souza, disse que o Ministério Público do Acre (MPE/AC) já iniciou a investigação sobre as possíveis irregularidades cometidas pelo governador do Acre, Tião Viana (PT), no caso das mensagens como ameaças de demissão a assessores e secretários enviadas do celular do chefe do Executivo.

De acordo com Adenilson, conta que o governador do Estado pode ter cometido assédio moral ao enviar as mensagens. Ele disse, ainda, que a investigação está apenas no início e novas irregularidades podem ser analisadas. Adenilson afirma que se for comprovada a responsabilidade dos gestores o MPE irá acionar a Justiça.

“Não podemos antecipar juízo, mas caso isso venha a ser confirmado, pode configurar assédio moral vinculado à questão profissional, pode haver um desvio de finalidade da administração pública pelos gestores. Estamos começando agora a investigar”, afirma.

Por fim, o promotor explica que, se comprovada a culpa dos envolvidos, poderão ser multados, perder a cargo de função pública, indenização por danos morais e proibição de firmar contratos.

Comentários