Ponte que liga as cidades de Brasiléia (Acre) à Cobija, lado boliviano na manhã deste domingo, dia 10 de novembro – Foto: Alexandre Lima

Horas após o presidente da Bolívia anunciar que o País terá novas eleições, os movimentos dão sinal que não irão revogar os bloqueios e os protestos deverão continuar. Evo deu sinais que quer continuar até o último dia de seu mandato que caba no dia 22 de janeiro de 2021, cumprindo a constituição.

Na fronteira do Acre, as pontes que ligam o Brasil pelas cidades de Brasiléia e Epitaciolândia, continuam bloqueadas, permitindo apenas a passagem apenas a pé. Algumas universidades estão paradas e outras estão com os horários limitados.

Equipe do Bope esteve na fronteira na sexta-feira passada, dia 8 e já retornou para a Capital – Foto: Alexandre Lima

Na última sexta-feira, dia 8, homens do BOPE. Rocam e da Polícia Federal, juntamente com o comandante da Polícia Nacional Boliviana, estiveram na fronteira afim de negociar a retirada pacífica dos manifestantes das pontes, o que não aconteceu.

Horas depois, os policiais se aquartelaram no comando da cidade de Cobija, Capital de Pando. Essa decisão aconteceu em outros estados como Beni, Tarija, Cochabamba, Santa Cruz e La Paz e muitos dos policiais, saíram nas ruas em apoio aos manifestantes.

Diante dos acontecimentos, o presidente Evo Morales fez o pronunciamento na manhã deste domingo, a anunciando novas eleições que deverão ocorrer no mês de dezembro próximo.

Opositores querem que o atual presidente renuncie, além da destituição da corte eleitoral e superior tribunal do País e seja convocada uma nova eleição.

Mais informações a qualquer momento.

Comentários