Farias disse, ainda, que somente neste ano 2.392 pessoas foram conduzidas ao complexo penitenciário de Rio Branco.

Emylson Farias concedeu entrevista em um programa de TV na noite desta quarta-feira
Emylson Farias concedeu entrevista em um programa de TV na noite desta quarta-feira

Da Redação, com Agência ContilNet

Para o delegado-geral de Polícia Civil, Emylson Farias, os responsáveis pela disseminação da ‘cultura da violência’ são os meios de comunicação.

No caso do Acre, segundo ele, o principal problema são os furtos, motivados pelo tráfico de drogas. Em comparação com 2012, as ocorrências de furto, neste ano, aumentaram, evidenciando a necessidade de combater a máfia dos entorpecentes.

Em termos numéricos, ele diz que somente neste ano 2.392 pessoas foram conduzidas ao complexo penitenciário de Rio Branco.  “Mas isso não nos orgulha”, esclareceu.

O delegado disse, ainda, durante entrevista na noite desta quarta-feira (11), que em outros estados, grandes empresas perderam a confiança na polícia e resolveram investir na própria segurança privada.

Sobre as ameaças de morte ao governador Tião Viana, por parte de um detento, Emylson afirmou que a conclusão das investigações já está a cargo da Justiça e que “a pessoa [que está presa] teve o benefício do regime semiaberto revogado para o fechado”.

Com relação ao caso Gildemar, o delegado informou que há dois meses o homem está desaparecido, após ser preso por supostos policiais.

“A autoria está identificada. Temos indícios de que pessoas do estado [servidores públicos] estão envolvidas”, relatou.

Para quem foi aprovado no último concurso da Polícia Civil, não há novidades: Farias disse que ainda não há previsão de chamada.

Comentários