Geisson relata como matou o casal; escute o áudio da confissão.
Polícia não encontrou corpos de casal que estava desaparecido desde 2015.

G1/Acre

Preso na delegacia da 2ª Regional, em Rio Branco, Geisson Ferreira de Paiva, de 28 anos, manteve o sorriso no rosto ao confessar que matou o casal Marcia Carvalho, de 34 anos, e Ocivaldo Tavares de Mendonça, desaparecidos desde abril de 2015. Demonstrando frieza, ele conta que cometeu o crime após o casal tentar invadir a casa dele que fica no bairro Belo Jardim. (Ouça o áudio)

Nesta terça-feira (31), a Polícia Civil fez escavações em busca dos corpos na casa do suspeito e encontrou fios de cabelos que seriam das vítimas e outros vestígios.

“Matei primeiro o cara e depois a mulher para apagar as testemunhas. Eles entraram na minha casa achando que eu estava dormindo, mas eu estava drogado. Ele era o maior ladrãozinho, eu peguei ele e passei sal nos dois. Matei com machado e o corpo eu desandei, evaporou, sumiu”, salienta.

Paiva relatou ainda que o casal sempre andava na casa dele e teriam dado algumas dicas de como fazia para roubar as casas. Ele disse que fez tudo sozinho. “Eu tinha acabado de dar o teco no pó. Depois que vi que a polícia estava rondando muito, desenterrei e tirei daqui. Os corpos não vou achar mais não. Já fiz o velório deles”, ironiza.

Suspeito mantém o riso no rosto enquanto conta como matou o casal (Foto: Iryá Rodrigues/G1)
Suspeito mantém o riso no rosto enquanto conta como matou o casal (Foto: Iryá Rodrigues/G1)

As buscas
A Polícia Civil iniciou escavações no quintal da casa do suspeito às 6h desta terça-feira (31). Na casa dele, localizada na Travessa Apocalipse, no bairro Belo Jardim I, em Rio Branco, a polícia encontrou cabelos e outros materiais orgânicos que devem passar por exames para confirmar se eram mesmo do casal desaparecido.

A irmã da mulher que teria sido morta, Sandra Carvalho, de 40 anos, afirma que os dois eram usuários de droga e sumiram após informarem aos filhos que iriam à casa de Sandra, em 29 de abril de 2015. Depois disso, o casal não foi mais visto.

A 800 metros da casa do suspeito, no fim da manhã desta terça, a polícia achou possíveis restos mortais do casal que teriam sido queimados em uma tambor na casa do irmão do suspeito.

Comentários