Conecte-se conosco

Geral

Morte de Edmundo Pinto e de outros governadores, incluindo seus vices, mostram uma espécie de maldição

Publicado

em

29 anos do assassinato de Edmundo Pinto: relembre mortes de outros governadores

POR TIÃO MAIA

Nesta segunda-feira (17), dia em que o assassinato do governador Edmundo Pinto completa 29 anos, a data chama à reflexão para o fato de que os cargos de vice ou de chefe do Executivo, embora ambicionados por todos os políticos, podem carregar alguma maldição. Em 59 anos de elevação do Acre à condição de Estado, de 16 governadores que chegaram ao poder, exatamente a metade morreu, de causas naturais ou assassinato, como o caso de Edmundo Pinto.

Os vices, ao que parece, deram mais sorte: de 12 que ocuparam o cargo nesses quase 60 anos, oito estão vivos – embora dois deles, Romildo Magalhães e José Fernandes do Rego, estejam muito doentes. O vice atual, Wherles Fernandes, também não anda muito bem depois de ter contraído o vírus da Covid-19 e vir reclamando de muitas sequelas.

O único caso de morte violenta entre governadores do Acre foi o de Edmundo Pinto, um crime até hoje não totalmente esclarecido. A polícia paulista encerrou o caso apontando para o crime de latrocínio, o roubo seguido de morte. De acordo com a conclusão do inquérito, Edmundo Pinto dera o azar de ter se hospedado no hotel Della Volpe Gardem Hotel, um dos mais luxuosos da Rua Frei Caneca – paralela à Avenida Paulista-, no coração da maior capital do país. Ali, sempre segundo a polícia paulista, um empregado forneceu cópias das chaves para três bandidos que, na virada do dia 16 para 17 de maio, sábado para domingo, invadiram os apartamentos e cometeram roubos aleatórios.

Consta que, antes de entrarem no apartamento onde estava o governador acreano, assaltaram o executivo John Franklin Jones, hóspede do apartamento 714 e funcionário do banco norte-americano Northeast, o qual teria sido amarrado com fios de telefone. Mesmo assim, teria sido o tal executivo que conseguiu alertar às autoridades, em seu pais, usando os dedos dos pés para discar o telefone, para denunciar, através do FBI, nos EUA, que estava acontecendo no Brasil. Enquanto o executivo se esforçava para denunciar o caso, os bandidos teriam chegado até o quarto onde estava Edmundo Pinto. Eles entraram sem arrombamento.

Exames cadavéricos mostraram que Edmundo Pinto, antes de ser atingido com dois tiros, reagiu e trocou socos com os agressores. Foi o que denotou as unhas cheias de pele dos agressores e um dente quebrado na boca do governador, que sempre teve orgulho de sua dentição. No quarto ao lado, dormia o ajudante de ordens de Edmundo Pinto, Capitão PM Marcos Wisman. Apesar do barulho a luta corporal entre o governador e sus agressores, além do estampido de dois tiros, o homem que deveria proteger o governador, disse não ter ouvido nada. Culpa do volume da TV, na qual ele via um filme, disse depois à polícia. Deveria ser um cinéfilo o militar porque, momentos antes, Edmundo Pinto, o próprio capitão e Luiz Carlos Piestchman, então chefe do gabinete civil que acompanhava o governador naquela viagem, viram, num cinema nos arredores do hotel, o filme “O cabo do medo”, com Robert de Niro.

A polícia considera a hipótese de crime político, motivado por disputas partidárias no Acre ou pelo fato de Pinto estar envolvido no episódio de malversação de verbas do FGTS, que também envolveu o ex-ministro Antônio Rogério Magri. Pinto deveria depor amanhã na CPI do Congresso sobre o caso. Três quartos no mesmo andar do hotel eram ocupados por funcionários da construtora Odebrecht, que realiza obra investigada pela CPI. A então presidente do Tribunal de Justiça do Acre, Miracele Borges, que assumira o governo na ausência do governador e do vice Romildo Magahães, disse que Pinto vinha recebendo ameaças de morte. Outra hipótese da polícia é latrocínio porque foram roubados de Cr$ 500 mil a Cr$ 600 mil do governador e US$ 1.500 do hospede norte-americano.

A polícia Civil de São Paulo, no entanto, trabalhou de imediato com a hipótese de motivação política no assassinato. A família de Edmundo Pinto, como o ex-vereador Rodrigo Pinto, filho do governador e que hoje mora no exterior, sustenta que a morte foi por motivação política, pela tomada do poder no Estado.
É aqui que entra a figura do então vice-governador Romildo Magalhães. Governador e vice eram do mesmo Partido (o PDS) e haviam sido deputados juntos. Embora parecidos, ambos eram muito diferentes no estilo e na forma de fazer política. Enquanto Edmundo Pinto era afável, inclusive com adversários, Magalhães fazia o estilo explosivo, ameaçando e trocando sopapos com quem não gostava, entre eles jornalistas. “Eu não queria assumir em tais condições”, disse Romildo Magalhães ao ser elevado ao poder enquanto om cadáver de Pinto baixava à sepultura.

Ex-vice-governador Romildo Magalhães/Foto: reprodução

Na atualidade, o ex-vice que se tornou o 11º governador do Estado vive recolhido e doente numa mansão do residencial Ipê, em Rio Branco, Portador de diabetes em elevado grau, não sai de casa e pouco fala com as pessoas que o procuram, alegando sempre motivos de doença. Há quem diga que, além das doenças físicas, Romildo Magalhães sofre de depressão desde que um de seus filhos, o mais novo e provavelmente o mais amado, foi preso por assaltos em Rio Branco como um dos bandidos de maior periculosidade do Acre.

Outro ex-vice-governador que não está nada bem, admitem seus amigos e familiares, é José Fernandes do Rego, vice-governador de Joaquim Macedo (período de 1979 a 1983), que também foi homem forte no Estado como secretário de Desenvolvimento Agrária. Teria sido dele a ideia de implantação dos chamados Naris (Núcleos Rurais Integrados), que consistia em pequenas agrovilas no entorno das cidades.

Pois o homem forte do governo Macedo, que anos depois também seria pessoa de confiança dos governos da era petista, principalmente na administração de Tião Viana (de 2010 a 2018), está com mal de Parkinson e, aos 77 anos de idade, não reconheceria nem mesmo os filhos. Na semana passada, esteve internado, engasgado – ele já teria dificuldades até para engolir alimentos.

Iolanda Fleming ou Iolanda Lima, que foi vice-governador de Nabor Júnior, de 1983 a 1986, quando também assumiu o governo e se tornara a primeira mulher a governar um Estado na história do país, também não estaria bem de saúde. Com idade avançada, a ex-dama-de-ferro, como era chamada, tem sofrido desmaios em praça pública e se recolheu em casa. Nabor Júnior, beirando os 90 anos de idade, vai bem de saúde, um dos poucos fisicamente bem e lúcido. Flaviano Melo, deputado federal e cria política e Nabor Júnior, anda amparado numa bengala com visíveis sinais de cegueira no olho direito, depois de ter sido vítima de um AVC (Acidente Vascular cerebral), nos anos 90, quando era senador da República, após deixar o governo do Acre.

Dos vices vivos e com saúde, o Acre registra Binho Marques, que também foi governador de (2007 a 2010), César Messias, que foi vice do próprio Binho Marques e no primeiro mandato de Tião Viana, e Nazaré Araújo, vice do último governador petista, de 2014 a 2018. O vice do então governador Jorge Viana, Édson Cadaxo, que havia sido vice de Flaviano Melo (de 1987 a 1990), que se tornaria governador titular também de 1990 a 1991, também faleceu, de causas naturais.

Vices como Omar Sabino da Costa participaram de mais de um Governo. Ele fora vice de Jorge Kalume (1968 a 1971) e de Geraldo Mesquita (de 1975 a 1979). O vice de Wanderlei Dantas (de 1971 a 1975) foi o advogado Alberto Barbosa. O governador José Augusto de Araújo, eleito em 1962 como o primeiro governador constitucional do Estado, que foi apeado do cargo dois anos depois e seu sucessor, Edgard Pedreira de Cerqueira, que tomou o poder no início da ditadura militar, não tiveram vices, função que não havia previsão na constituição estadual na época. Araújo e Cerqueira também morreram, no Rio de Janeiro.

Quem ver, na atualidade, o vice-governador Wherles Rocha agindo como inimigo do atual governador Gladson Cameli a fim de enfraquecê-lo para depois poder tomar seu lugar, conhecendo o mínimo da história acreana, conclui que governar o Acre pode ser também uma tarefa perigosa. Que o digam os vices e os governadores que perderam a vida ou que ainda lutam para escapar de doenças implacáveis.

Comentários

Geral

Enfermeira morre após cair de tirolesa em parque no AC; local não tinha autorização para fazer atração

Publicado

em

Por

Yasmili Araújo estava com namorado e amigos quando caiu da estrutura e morreu nesse sábado (2). Família afirma que vítima subiu sem proteção na estrutura e pisou em buraco.

Yasmili Araújo morreu nesse sábado (2) após cair de tirolesa em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

Yasmili Araújo morreu nesse sábado (2) após cair de tirolesa em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

A enfermeira Yasmili Araújo, de 23 anos, morreu na tarde desse sábado (2) após cair de uma tirolesa no parque aquático Piracema Park Club, na Rodovia Transacreana, zona rural de Rio Branco. A jovem estava acompanhada do namorado quando aconteceu o acidente. A queda foi de uma altura de 15 a 20 metros, segundo os bombeiros.

O parque fez uma cavalgada no sábado. Os parentes confirmaram que Yasmili, o namorado e alguns amigos estavam no estabelecimento desde o início do sábado para curtir o dia juntos. A enfermeira morava em Senador Guiomard, interior do Acre, onde está sendo velada.

Ainda conforme a família, Yasmili teria subido na estrutura sem proteção, pisou em um buraco que havia no topo da tirolesa e caiu. Ela sofreu diversas fraturas pelo corpo e recebeu atendimento de uma equipe do Corpo de Bombeiros que estava no local.

Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também prestou assistência para a jovem. Christian Araújo, tia do namorado de Yasmili, confirmou que a vítima morreu dentro da ambulância do Samu quando teve uma parada cardiorrespiratória.

“Não amarraram nenhuma corda nela e lá em cima tinha um buraco. Ela tropeçou e caiu nesse buraco. Foi uma fatalidade, uma tragédia”, lamentou Christian.

Em sua página oficial, o parque aquático lamentou o acidente e disse que suspendeu as atividades da tirolesa até que tudo seja devidamente apurado. Uma equipe da Rede Amazônica esteve no local, que está funcionando normalmente neste domingo (3), apenas com a tirolesa interditada.

“Piracema Park Club franqueou todo apoio, suporte e atenção à família da jovem e, após o acidente, encerrou as atividades da atração, que somente voltará a operar após apuração pelas autoridades competentes quanto às causas do acidente”, diz a nota.

Diz ainda que sempre prioriza a segurança e transparência. “Em respeito à família e amigos de Yasmili de Paiva Araújo, Piracema Park Club lança a presente nota de pesar e esclarecimento, reiterando seu compromisso prioritário com a segurança e a integridade de seus visitantes”, destaca.

Vídeo mostra tirolesa minutos antes da enfermeira cair e morrer

Vídeo mostra tirolesa minutos antes da enfermeira cair e morrer

Local não tinha autorização para tirolesa

O diretor de atividades técnicas do Corpo de Bombeiros, tenente Eurico Fernando, contou ao g1 que o parque não tinha autorização para tirolesa. Segundo ele, a administração do espaço estava com certificado válido para a Cavalgada e show. Sobre a não autorização, o parque não se posicionou.

Inclusive, ele conta que uma equipe dos bombeiros esteve no local fazendo uma inspeção ainda na manhã de sexta-feira (1) e não tinha qualquer indício de uma estrutura de tirolesa.

“O local tinha certificado de aprovação válido, no entanto, a montagem da tirolesa foi de última hora. Tínhamos uma guarnição específica que estava trabalhando na guarnição do evento , estavam trabalhando com atendimento pré-hospitalar, eles que fizeram os primeiros atendimentos. O local é certificado, mas no projeto aprovado pela gente no setor técnico, não existe qualquer previsão de uma estrutura pré-montada como a tirolesa, estrutura de esportes precisam ter um documento assinado por um engenheiro, o que o local não possui”, diz.

Os funcionários alegaram ainda que a tirolesa foi finalizada ainda na manhã de sábado sem conhecimento dos bombeiros.

Imagem mostra momento em que a enfermeira sobe na estrutura — Foto: Reprodução

Imagem mostra momento em que a enfermeira sobe na estrutura — Foto: Reprodução

“Foi montada de última hora, ficou pronta na manhã do dia 2. Eles fizeram muito rápido, possivelmente essa pressa na montagem dessa estrutura é fator preponderante para tentar explicar o que aconteceu”, destaca.

Um boletim de ocorrência foi feito e, segundo o tenente, a perícia é que vai atestar o que aconteceu. Se a enfermeira caiu da escada ou da estrutura já acima, onde é possível ver um buraco.

Yasmili tinha formado recentemente em enfermagem e agora estudava para passar em um concurso na área. Christian falou que ela foi a primeira do grupo a subir no brinquedo. A família falou que vai decidir que medidas serão tomadas após o acidente.

O corpo da enfermeira é velado em Senador Guiomard. O enterro está marcado para às 16h no Cemitério Morada da Paz, em Rio Branco.

Comentários

Continue lendo

Geral

Quem está com quem: conheça os marqueteiros das campanhas majoritárias para o Governo no Acre

Publicado

em

Foto: Agência de Notícias do Acre

A campanha ainda não começou oficialmente, mas os bastidores da política no Acre estão fervendo. À frente das pré-campanhas, os empresários do marketing já estão com tudo pronto para trabalhar a imagem dos seus candidatos em busca de votos.

ContilNet conversou com os marqueteiros das campanhas majoritárias para governador no Acre e apresenta essa lista de pessoas que não aparecem muito, mas são elas que definem quase tudo que a população vê na campanha.

Começando com o governador Gladson Cameli (PP), que já anunciou sua pré-candidatura à reeleição. À frente da sua pré-campanha está o marqueteiro Wilson Rodrigues. Wilson é conhecido como “guru” de Gladson, com que já trabalha desde a campanha, em 2014. Com um currículo invejável na área, tem muitas campanhas vitoriosas de prefeito, senador e governador.

Wilson está com o governador Gladson Cameli, pré-candidato a reeleição. Foto reprodução

Wilson falou sobre o seu formato de trabalho. “Sou eu, em conjunto com a minha equipe de marketing. Trabalhamos em conjunto com o partido e a coordenação de campanha. Como ainda não temos, nem legalmente nem financeiramente, as informações sobre a verba que o TSE vai fixar para uso dos partidos dentro da Lei Eleitoral, as contratações, quando necessárias, serão efetuadas apenas após o período legal”, disse.

Na coordenação de marketing da pré-campanha do senador Petecão (PSD), Alderian Campos, com a Agência Gênesis. Ele fez questão de destacar que já está montando equipe e 98% dos profissionais contratados serão do Acre. “Valorizando os nossos profissionais e gerando emprego e renda para os acreanos. Outros trazem 90% de fora e contratam aqui apenas serviços braçais. Esse é um momento ímpar para nossa categoria”, disse.

Alderian Campos está com o senador Petecão, pré-candidato ao governo do Acre. Foto reprodução

Um marqueteiro de Brasília está em diálogo com a equipe de Petecão, mas segundo Alderian, nada está definido ainda. “Estamos com tudo pronto”, garantiu o acreano.

A pré-candidata ao governo, a deputada federal Mara Rocha (MDB), também ainda não divulgou oficialmente a equipe de marketing, mas em conversa por telefone com o ContilNet, o marqueteiro José Américo Moreira da Silva disse que o diálogo com a equipe de Mara para iniciar o trabalho está bem avançado.

Baiano radicado em Brasília, Zé Américo é conhecido no Acre. Ele coordenou as campanhas de 2010 e 2012 do atual prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom.

José Américo está em diálogo com a deputada federal Mara Rocha, pré-candidata ao governo no Acre. Foto reprodução

O pré-candidato David Hall (Agir) explicou que a campanha dele não contará com profissionais contratados especificamente para atuar no marketing. “A gente não tem um profissional oficial, contamos com a colaboração de amigos. Temos o Dimas Sandas, pré-candidato ao senador e Zé Carlos, pré-candidato a deputado federal. Eles, junto comigo e outros amigos que colaboram, e assim vamos construindo”, disse o próprio David.

O pré-candidato ao governo do Acre, Jenilson Leite (PSB) ainda não contratou agência e sua equipe decidiu por não divulgar, por enquanto, a coordenação de marketing da campanha.

Comentários

Continue lendo

Geral

Colisão entre veículos e motocicletas deixa cinco feridos na Avenida Ceará, em Rio Branco

Publicado

em

Por

Por Davi Sahid

Um grave acidente de trânsito envolvendo um veículo modelo Corolla, de cor prata, um carro Fiat Pálio, de cor prata e algumas motocicletas deixou cinco pessoas feridas na madrugada deste sábado, 2, na Avenida Ceará, no bairro Abraão Alab, em Rio Branco.

De acordo com informações de populares que presenciaram o acidente, o condutor do veículo modelo Corolla trafegava no sentido bairro-centro em alta velocidade na Avenida Ceará, quando colidiu violentamente na traseira do veículo Fiat Pálio e em seguida colidiu contra as motos dos mototaxistas que estavam parando na frente a uma boate. Com impacto, o condutor do Pálio perdeu o controle da direção e entrou em uma rua paralela a avenida.

A ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) foi acionada e conduziu cinco pessoas com escoriações a Unidade de Pronto Atendimento (UPA Franco Silva) na Baixada da Sobral.

Policiais Militares do Batalhão de Trânsito estiveram no local e isolaram a área para os trabalhos de perícia, em seguida os veículos foram removidos por um guincho.

O condutor do veículo Corolla foi encaminhado à Delegacia de Flagrantes (Defla) para os devidos procedimentos.

Comentários

Continue lendo

Em alta