Conecte-se conosco

Cotidiano

MP recorre para que motoristas que mataram mulher em acidente também respondam por racha

Na decisão de pronúncia, Justiça excluiu os crimes colocar em risco de uma pessoa e participar, na direção de veículo automotor, em via pública, de corrida ou competição automobilística da avaliação dos jurados.

Publicado

em

Ícaro Pinto (dir) e Alan Lima (esq) vão a júri popular pela morte de Johnliane de Souza – Foto: Reprodução/Rede Amazônica Acre

Por Iryá Rodrigues

Insatisfeito com a queda de crimes conexos, como o racha, na decisão que leva os motoristas Ícaro José da Silva Pinto e Alan Araújo de Lima a júri popular, o Ministério Público do Acre entrou com um recurso no Tribunal de Justiça. Os dois são acusados de matar Johnliane de Souza em agosto do ano passado.

O pedido, assinado pelo promotor Efrain Enrique, foi negado pelo juiz Alesson Braz, da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Rio Branco e Auditoria Militar e agora deve ser apreciado pela Câmara do Tribunal de Justiça.

O Tribunal de Justiça excluiu os crimes: colocar em risco a vida de uma pessoa e participar, na direção de veículo automotor, em via pública, de corrida ou competição automobilística da avaliação dos jurados, o chamado racha. E foi por isso que o MP-AC recorreu.

Ícaro Pinto dirigia a BMW que atropelou e matou Johnliane e Alan Araújo de Lima conduzia o outro veículo envolvido no suposto racha. O acidente ocorreu no dia 6 de agosto de 2020 em Rio Branco.

Os dois foram pronunciados no último dia 12 de maio e vão a júri popular. Eles estão presos desde agosto do ano passado no Batalhão de Operações Especiais (BOPE). Ainda não há data para o julgamento.

Pronúncia

Ícaro vai ser julgado pelos crimes de homicídio, omissão de socorro e embriaguez ao volante. Já Alan Lima será julgado apenas pelo crime de homicídio.

No mês de maio, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) derrubou a qualificadora e decidiu que Ícaro vai responder por homicídio doloso e não mais por homicídio duplamente qualificado, como havia determinado a primeira instância.

Após a decisão de pronúncia, a defesa de Alan Lima afirmou que não concorda com a decisão e que vai lutar para que ele seja absolvido. A advogada Helane Christina destacou que vai correr em todas instâncias possíveis, incluindo um pedido de liberdade para o jovem. Nesta quarta-feira (14), a advogada disse que não iria se manifestar sobre o recurso do MP.

A defesa de Ícaro Pinto disse que sobre esse caso só se manifesta na Justiça.

O acidente que vitimou Johnliane aconteceu na Avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco. A vítima foi atingida pela BMW em alta velocidade e a suspeita é que Ícaro e Alan faziam um racha no momento em que a mulher foi atingida.

No mês de abril, Ícaro conseguiu o aval do juiz Alesson Braz, da 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar, para fazer um estágio supervisionado, pela web, do local onde está preso, no Bope.

O juiz deferiu o pedido após solicitar informações ao Bope sobre as condições de acessibilidade (internet) e sobre a possibilidade de ele estudar sem comprometer a segurança do local.

Pedidos de revogação da prisão

Já foram vários os pedidos feitos tanto pela defesa de Ícaro como de Alan para que os dois fossem soltos. A decisão mais recente foi do último dia 31 de maio, quando a Justiça do Acre voltou a negar mais um pedido de revogação da prisão dos motoristas. A decisão foi do juiz Alesson Braz da 2ª Vara do Tribunal do Júri.

No início do mês de abril, mais uma vez, a defesa de Ícaro havia tentado a soltura dele. Desta vez, um pedido de revogação da prisão preventiva sob o argumento de excesso de prazo da prisão preventiva. Além disso, requereu a substituição da prisão por aplicação de medidas cautelares. O Ministério Público se manifestou contra o pedido e pediu a manutenção da prisão preventiva.

O juiz indeferiu o pedido de revogação e de aplicação de medidas cautelares e manteve a prisão do motorista. Conforme o magistrado, ainda permanecem os requisitos que autorizaram a prisão preventiva e não há fatos novos que possibilitassem a revogação da prisão.

Em janeiro deste ano, a defesa de Ícaro fez um pedido de habeas corpus à Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Acre.

Em 16 de dezembro do ano passado, após a audiência de instrução, os dois tiveram os pedidos de revogação da prisão preventiva negados pelo juiz Alesson Braz.

Durante a audiência de instrução, os dois réus foram ouvidos, assim como as testemunhas do caso. Na audiência seria decidido se os acusados iriam a júri popular. No entanto, o juiz pediu que o Instituto de Criminalística esclarecesse algumas questões sobre o caso e adiou a decisão. Segundo o TJ-AC, o juiz deve marcar uma nova audiência quando as questões abordadas forem esclarecidas.

Sobre as várias tentativas de reverter a prisão, um dos advogados de Ícaro, Luiz Carlos da Silva, chegou a justificar: “Estamos tentando de tudo, porque acho injusto a prisão.”

Com moto caída em frente à Cidade da Justiça, representando o acidente, família de Johnliane pede Justiça – Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica

Mais de 150 km/h

Os dois condutores foram indiciados pela Polícia Civil, que concluiu as investigações no dia 11 de setembro do ano passado. Segundo a perícia, Ícaro, que conduzia a BMW que matou a vítima, estava a uma velocidade estimada de 151 km/h. O motorista do outro carro, Alan, estava a 86 KM/h.

O delegado Alex Danny, que comandou as investigações, disse que, além do homicídio, eles também foram indiciados pelo crime de racha. A velocidade que o carro de Ícaro atingiu era três vezes maior que a permitida na Avenida Antônio da Rocha Viana, que é de 50 km/h.

Danny acrescentou que tanto a namorada de Ícaro, Hatsue Said Tanaka, que estava com ele no carro, quanto Eduardo Andrade, que estava no carro com Alan, serviram como testemunhas do caso e não foram indiciados.

O MP-AC ofereceu denúncia à Justiça contra Ícaro e Alan, no dia 16 de setembro do ano passado. A denúncia contra os dois motoristas é por homicídio, racha e pelo menos mais dois crimes acessórios, como fuga do local e omissão de socorro, de acordo com o promotor que acompanha o caso, Efrain Mendoza.

Mendoza disse que, com base no inquérito e os laudos periciais, o racha foi uma das principais condutas apontadas ao final das investigações da polícia.

Johnliane Souza foi atropela e morta quando seguia para o trabalho na manhã do dia 6 de agosto do ano passado – Foto: Arquivo da família

Comentários

Cotidiano

Palmeiras faz 3 a 0 no Goiás e se isola na liderança do Brasileirão

Publicado

em

Fluminense completa 10 jogos invicto após superar Cuiabá no Maracanã

O Palmeiras não deu chances ao Goiás e, com a vitória por 3 a 0 na tarde deste domingo (7), no Allianz Parque, em São Paulo, abriu seis pontos de vantagem na liderança da tabela do Campeonato Brasileiro (tem 45, contra 39 do vice-líder Corinthians). Mayke e Raphael Veiga, no primeiro tempo e Atuesta, no segundo, marcaram os gols da partida. O Goiás, com 25 pontos, é o 13º, mas ainda pode ser ultrapassado pelo Coritiba, que joga nesta segunda-feira (8), no encerramento da 21ª rodada.

Empurrado por mais de 38 mil torcedores, o Verdão assumiu o controle da partida. Aos 11, Wesley perdeu gol feito. Aos 19, no entanto, o placar foi aberto: após contra-ataque, Dudu avançou pela esquerda e rolou para Mayke, na outra ponta, acertar um belo chute de primeira para vencer o goleiro Tadeu.

O Palmeiras ampliou a vantagem no placar nos acréscimos da primeira etapa, em lance controverso. Wesley cruzou da direita e a bola acertou o braço de Caetano dentro da área. Após revisão do VAR, foi marcado pênalti, convertido por Raphael Veiga, que chutou no meio do gol, no alto.

A vitória foi concluída já na reta final da partida. Aos 39 da segunda etapa, o colombiano Atuesta recebeu na esquerda, ajeitou o corpo e chutou com categoria, no ângulo direito de Tadeu, para definir o 3 a 0.

A semana que se inicia terá dois duelos de rivalidade e importância para o Palmeiras. Na quarta (10), o Verdão recebe o Atlético-MG para definir quem passa às semifinais da Libertadores. A partida de ida terminou empatada em 2 a 2. Três dias depois, a equipe visita o rival Corinthians em confronto dos dois primeiros colocados do Brasileirão.

Também no sábado (13), o Goiás recebe o Avaí pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Fluminense chega a dez jogos sem perder ao bater Cuiabá

Quem também vive bom momento é o Fluminense, que completou dez partidas de invencibilidade ao passar pelo Cuiabá por 1 a 0, na tarde deste domingo (7), no Maracanã. Antes do jogo, o Tricolor prestou homenagem ao humorista Jô Soares, falecido na última sexta (5) e que era torcedor do clube. Aos gritos de “Ah, é Jô Soares” dos mais de 46 mil presentes ao estádio, o telão exibiu uma mensagem com um “beijo do Flu”. Além disso, todos os jogadores do time entraram em campo vestindo uma camisa com o nome de Jô Soares às costas.

Quando a bola rolou, o Flu logo fez a torcida sorrir. Com menos de um minuto, o time roubou a bola próximo à área adversária. Paulo Henrique Ganso foi acionado já dentro dela e tocou de letra para o argentino German Cano completar de primeira para marcar, definindo o placar final do jogo. Este foi o 13º gol do atacante na competição. Ele é o artilheiro do campeonato. No ano, Cano já marcou 30 vezes.

Com a sequência de sete vitórias e três empates, o Fluminense se firmou na terceira posição, com 38 pontos. Já o Cuiabá amarga a zona de rebaixamento, com 20 pontos, em 17º.

Na próxima rodada, o Dourado recebe o lanterna Juventude, no sábado (13). No dia seguinte, o Tricolor visita o Internacional em Porto Alegre.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Em 2ª final no Mundial, Isaquias sai atrás, mas reage e garante prata

Publicado

em

Após arrancar nos 250m finais do C1 1000, baiano assegurou outro pódio

Um dia após garantir o ouro no C1 500 metros no Mundial de Canoagem em Halifaz (Canadá), o brasileiro Isaquias Queiroz remou como nunca neste domingo (7) para garantir a medalha de prata na final do C1 1000 m, prova na qual se sagrou campeão olímpico ano passado nos Jogos de Tóquio.

O canoísta baiano, de 28 anos, largou em segundo lugar, e chegou a ser ultrapassado no meio da disputa, ficando na quarta posição. Mas o baiano não se deu por vencido e reagiu no nos 250 metros finais, com uma arrancada espetacular, que lhe garantiu o segundo lugar, 1s52 atrás apenas do romeno Catalin Chirila, que ficou com o ouro ao cruzar a linha de chegada em 4min14s28.

Com o segundo pódio na competição, Isaquias ampliou para 14 sua coleção de medalhas em mundiais; agora soma sete ouros, uma prata e seis bronzes. Isto sem contar as conquistas olímpicas: um ouro, duas pratas e um bronze (Rio 2016 e Tóquio 2020).

Também neste domingo (7), teve final do medalhista olímpico Erlon Souza em parceria com Filipe Vieira na prova C2 1000m. Eles terminaram em quinto lugar, 13s33 atrás dos alemães Sebastian Brendel e Tim Hecker, que faturaram o ouro.

Filipe Vieira disputou ainda a prova do C1 5000, conhecida como maratona da canoagem de velocidade e terminou na 10ª posição.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 8 milhões

Publicado

em

Próximo sorteio será na quarta-feira

 

O concurso 2.508 da Mega-Sena, realizado nesse sábado (6), à noite, no Espaço Loterias da Caixa em São Paulo, não teve acertadores das seis dezenas. Os números sorteados foram: 41 -45 – 48 – 51 – 53 – 58.

O próximo concurso (2.509), na quarta-feira (10), deve pagar um prêmio de R$ 8 milhões.

A quina teve 26 ganhadores e cada um vai receber R$ 71.728,72. Os 1.510 acertadores da quadra receberão o prêmio individual de R$ 1.764,37.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio, em qualquer lotérica do país ou pela internet, no site da Caixa Econômica Federal.

A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

O sorteio é realizado às 20h, no Espaço Loterias Caixa, no Terminal Rodoviário do Tietê, em São Paulo.

Comentários

Continue lendo

Em alta