O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por meio do Centro de Atendimento à Vítima (CAV), participou nesta segunda-feira (27), no auditório do Anexo I do MPAC, da solenidade de abertura da I Semana de Combate à Aids, promovida pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesacre). A programação é alusiva ao Dia Mundial de Luta contra a Aids, comemorado em 1º de dezembro, tem encerramento previsto para a próxima sexta-feira, 1º.

De acordo com a psicóloga coordenadora administrativa do CAV, Luciana Gadelha, o evento se reveste da mais alta importância, tendo em vista as estatísticas do aumento do número de casos registrados nos últimos anos no Brasil. Ela também falou da importância da participação do MPAC no evento.

“O CAV foi convidado para ser parceiro deste evento. Como vinhamos dialogando com esses parceiros durante o ano todo, decidimos participar ativamente dessa iniciativa. Essas lutas importantes, com o MP como parceiro, são fortalecidas, na avaliação de outras instituições que nos procuram”, destacou Luciana.

O ativista Germano Marino, presidente do Fórum Estadual de ONGs LGBTs, ressaltou a necessidade de alertar a população para a prevenção da Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis. “É uma necessidade do Estado do Acre, através da Secretaria de Saúde, falar para a população sobre a importância do uso dos meios de prevenção a uma doença que está aí, tão viva na sociedade e que as pessoas estão se esquecendo de usar o preservativo, que é o meio mais eficaz de evitar as hepatites, a Aids e a sífilis. Tem um surto aumentando em regiões do Brasil e a população tem que ser alertada para não deixar aumentar os números dessas doenças”, enfatizou.

Álvaro Mendes, presidente do Fórum  Estadual de Saúde do Acre, também elogiou a iniciativa. “Essa iniciativa é sempre boa, pois essas doenças têm uma incidência muito grande onde estão as populações mais vulneráveis. A Aids é uma doença que tem crescido muito entre os jovens. É muito importante a participação dos movimentos sociais no combate a essas doenças”, afirmou.

Negligência

O médico Thor Dantas, infectologista da Sesacre e professor do curso de Medicina da Universidade Federal do Acre (UFAC), disse que houve relaxamento da população, principalmente dos mais jovens, acerca do uso do preservativo como forma de prevenir a Aids e outras doenças.

“Depois de décadas de declínio da doença, que veio com a prevenção, com a conscientização e também  com o tratamento utilizando os remédios, que foram muito eficazes em combater a Aids, essa doença retorna em termos do aumento do número de novos casos, que têm a ver com o relaxamento da população mais jovem, que não viveu aquele momento de trinta anos atrás, dos anos 1980, de relaxamento no uso da camisinha, de relaxamento na prevenção”, enfatizou Dantas.

O médico alertou ainda para o aumento de casos de outras doenças, que também são transmitidas por via sexual. “Tanto é que outras doenças sexualmente transmissíveis também estão crescendo, como a sífilis e as hepatites. Como hoje em dia há tratamento eficaz, existe a falsa impressão de que a doença tem cura e parece que as pessoas não estão dando a devida importância para a prevenção”, comentou.

No Acre, de acordo com dados da Associação dos Portadores de Hepatites, 15 óbitos são registrados mensalmente.

Thor Dantas também falou sobre a falta de campanhas de conscientização da doença. “Acho que houve um certo relaxamento no sentido das campanhas. Elas sumiram, ficaram mais escassas e precisam se adaptar a essa nova população. Então, a campanha não pode ser igual àquelas que vinham sendo feitas. Assim como a população mudou, a juventude de hoje tem características diferentes da que tinha há trinta anos”, acrescentou.

Melhor meio de prevenção

O médico Nelson Guedes, da Coordenadoria de Combate à Aids da Sesacre, também enfatizou a importância do uso do preservativo.  “É um evento de grande importância para lembrar à população de usar o preservativo, não só pelo aumento de casos de Aids, mas também das hepatites virais. A população tem esquecido de usar o preservativo, que ainda é o melhor meio de prevenção dessas doenças”, disse.

Guedes ressaltou o uso das redes sociais como meio de conscientização da população. “É uma iniciativa muito importante estarmos lembrando essa população, principalmente os mais jovens da necessidade da prevenção. No Acre, a Aids os primeiros casos foram registrados em 1987. Os mais jovens estão usando as redes sociais para outras coisas. Existem campanhas, porém, a juventude não está  dando importância”, concluiu.

Aumento do número de casos

O número absoluto de novos casos de Aids aumentou no Brasil, em tendência contrária ao que se registra na média mundial. De acordo com os dados divulgados pelo Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids), braço da Organização das Nações Unidas (ONU) com a função de criar soluções e ajudar nações no combate ao vírus, o total de novas infecções a cada ano no País subiu 3% entre 2010 e o ano passado. No mundo, essa taxa sofreu contração de 11%.

1º de dezembro – Dia Mundial de Combate à Aids

O Dia Mundial de Combate à Aids é comemorando anualmente em 1º de dezembro e tem por finalidade levar informação sobre a doença e diminuir o preconceito. Apesar de ser uma doença sem cura, não é mais considerada uma sentença de morte imediata.

Texto: Antonio Kléber - Fotos: Tiago Teles - Agência de Notícias do MPAC

 

Comentários