O Ministério Público Estadual (MPE) abriu uma investigação para apurar o suposto aumento abusivo dos valores cobrados pelas operadoras de planos de Saúde. A base para a abertura do procedimento foram informações repassadas pela 70ª Promotoria de Justiça Defesa do Consumidor do Estado de Goiás.

Promotora Alessandra Marques/Foto: ContilNet

Para verificar as informações, a promotora de Defesa do Consumidor do Acre, Alessandra Garcia Marques, solicitou documentos das empresas que prestam serviço no Estado.

Nos documentos enviados pelo MPE goiano apontam a possível irregularidade no “plano de saúde individual, sem coparticipação, do tipo Ambulatorial + Hospital com Obstetrícia, com acomodação em apartamento e de abrangência nacional”.

Para apurar, foram solicitados os dados da operadora para verificar a evolução dos reajustes.

“Que seja expedida requisição à operadora de plano de saúde investigada, para que informe a evolução do reajuste anual do plano de saúde ora tratado, quando deverá comprovar, também, a autorização da ANS para todos os reajustes, apontando, por derradeiro, quando o reajuste foi decorrente de mudança de faixa etária”, escreve a promotora.

Comentários