Internada desde o dia 19 de dezembro no Huerb, Lourdes Maria Gonçalves, de 51 anos, precisou recorrer à Justiça para conseguir marcar cirurgia

G1

Há 30 dias, a agricultora aguardava por uma cirurgia cardíaca em Rio Branco (Foto: Arquivo pessoal)

A agricultora Lourdes Maria de Castro Gonçalves, de 51 anos, continua internada aguardando por uma cirurgia cardíaca em Rio Branco. Nesta terça-feira (23), uma das advogadas da mulher, Ana Paula Diniz, informou que a cirurgia foi marcada para quarta (24) no Hospital Santa Juliana.

A mulher precisou recorrer à Justiça para conseguir marcar o procedimento cirúrgico. Porém, mesmo com mandado judicial obrigando a realização da cirurgia, Lourdes aguardava internada no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb). Segundo laudos médicos, ela pode ter morte súbita.

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) confirmou que a ciruriga de Lourdes foi marcada para esta quarta (24).

“Ela ainda não fez a cirurgia, mas o estado, por meio da Sesacre, se manifestou nos autos através de um ofício falando que iria agendar as cirurgias entre os dias 24 e 26 de janeiro, e que a cirurgia da dona Lourdes seria nesta quarta (24). Ela ainda não foi transferida para o Hospital Santa Juliana, mas estamos aguardando”, disse a advogada.

Em reportagem publicada na última quinta-feira (18), a advogada informou que o procedimento cirúrgico que Lourdes precisa fazer só é feita por meio de uma equipe médica de Recife, que faz cirurgias uma vez por mês no Hospital Santa Juliana. Porém, segundo ela, a equipe não pôde comparecer em janeiro para os procedimentos.

“Existe um convênio entre o hospital e o Estado, que eles pagam essa equipe que vem uma vez por mês e faz a cirurgia em quem precisa. Acontece que, por inadimplência do estado, a equipe deixou de vir esse mês. A última vez que vieram foi na primeira semana de dezembro. Desde setembro, que estão com essa dívida que já chega a R$ 900 mil”, afirmou a advogada.

A decisão judicial, segundo Ana Paula, foi divulgada na quarta (10) e a Justiça deu um prazo de 48 horas para o Estado trazer a equipe médica para fazer a cirurgia.

“Desde o dia 12, o Estado está descumprindo essa medida judicial. Enquanto isso, a dona Lourdes nessa situação grave, podendo ter morte súbita”, reclamou Ana Paula.

 

Comentários