Conecte-se conosco

Flash

Mulheres que tomaram a vacina contra a Covid-19 devem esperar para fazer mamografia

Publicado

em

Para evitar preocupações e diagnósticos errados, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) orienta que as mulheres esperem um mês após a vacinação para realizar o exame

A vacina contra a Covid-19 pode provocar alterações em exames de mamografia e fazer com que mulheres apresentem linfonodos nas axilas. Para evitar preocupações e diagnósticos errados, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama) orienta que as mulheres esperem um mês após a vacinação para realizar o exame ou comuniquem o médico sobre a imunização.

Os linfonodos, também conhecidos como ínguas, caroços ou gânglios linfáticos, são pequenas glândulas em forma de ‘feijão’, que estão distribuídas por todo o corpo, e que ajudam o sistema imune a funcionar corretamente. Os gânglios logo desaparecem, mas estão levando a indicações desnecessárias de cirurgias e punções.

Segundo a Dra. Maira Caleffi, mastologista e presidente voluntária da Femama, a reação pode ser causada por qualquer injeção ou vacina, não apenas pelos imunizantes contra a Covid-19, e não há motivos para se preocupar, pois a aplicação das vacinas é segura. “Não há motivo de preocupação porque é um efeito colateral da vacina, principalmente no braço em que foi feita a aplicação”, afirmou.

A informação é confirmada pela Sociedade Brasileira de Mastologia, pela Comissão Nacional de Mamografia do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) e pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), que já divulgaram recomendações para conduta frente à linfonodopatia axilar em pacientes que receberam recentemente a vacina.

A recomendação, de acordo com o presidente da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM), Dr. Vilmar Marques, é que a mulher que esteja em fase do rastreamento do câncer de mama, acima dos 40 anos de idade, faça a mamografia antes de tomar a vacina. Mas caso já tenha tomado, que ela espere pelo menos quatro semanas depois da segunda dose para realizar o exame mamográfico.

“Este período é o suficiente para que esse linfonodo reduza de tamanho e não apareça no exame. Desta forma não acarretará nenhum ônus para esta paciente na interpretação do seu exame”, ressaltou Marques.

56,8% dos imunizantes contra a Covid-19 no Brasil foram destinados a mulheres, tendo em vista que a proporção do sexo feminino é maior na faixa etária a partir dos 39 anos e chega a representar 68% dos brasileiros acima de 90 anos. As mulheres também são a maioria dos trabalhadores da saúde, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

A Femama também esclareceu que as vacinas contra a Covid-19 não provocam câncer de mama nem facilitam a descoberta da doença, ao contrário do que dizem notícias falsas que circulam na internet.

Comentários

Flash

PM e Civil cumpre mandado de prisão e encontra homicida com comercializando drogas

Publicado

em

Uma guarnição da Polícia Militar e Civil do município de Tarauacá se deslocaram na cidade de Tarauacá na manhã desta segunda-feira dia 16, com a missão de cumprir um mandado de prisão em desfavor de um homicida para ser apresentado no judiciário.

Um homem identificado apenas pelas iniciais A. F. S., era procurado por homicídio. Quando os policiais chegaram no local para apresentar o documento, perceberam que o mesmo estava em atitude suspeita.

Em uma revista junto ao homicida, os policiais foram surpreendidos ao localizar um quantidade de entorpecentes, identificados como cloridrato de cocaína e maconha, caracterizando tráfico e comercio ilegal de substancia não permitida.

O homem recebeu voz de prisão em flagrante delito, sendo conduzido para a delegacia da cidade, juntamente com os entorpecentes. Além de responder por homicídio, irá responder pela posse da droga e possível comercio ilegal, previsto no Código Penal.

Comentários

Continue lendo

Flash

Polícia é recebida a bala em rota do tráfico entre Acre e Peru e troca tiros com traficantes

Publicado

em

SANDRA ASSUNÇÃO

Militares do Grupamento de Operações Especiais, da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, chegavam a uma localidade no Rio Juruá Mirim, no último sábado, 14, quando foram recebidos à bala por quatro homens que estavam em uma residência. O local é conhecido como rota do tráfico na divisa entre Acre e Peru, onde os traficantes buscam a droga que entra no estado.

Os disparos aconteceram quando a guarnição se aproximava do local conhecido como Chico da Quelé. A equipe também atirou contra os indivíduos, que se embrenharam em área de mata e conseguiram fugir.

O objetivo da missão no Rio Mirim era inibir o tráfico de drogas. A área onde aconteceram os disparos, segundo os militares do GOE, já é próxima ao Peru e é conhecida como rota do tráfico.

No Registro feitos pelos policiais e entregue na delegacia de Polícia Civil e para o comandante da PM eles afirmam que “mesmo após buscas pelo raio aproximado, afim de encontrar algum dos indivíduos, até mesmo um deles atingido, não foi possível. Avistamos material que usam para o transporte e acomodação da droga, e também os suprimentos dos indivíduos. Como nada mais contundente foi encontrado, deixamos o local”, citaram os militares.

O comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente coronel Edvan Rogério, disse que novas operações serão feitas no local. “Nossa atuação naquela região é continua e será reforçada. Não vão intimidar a Polícia Militar do Acre com tiros”, afirma.

Comentários

Continue lendo

Flash

Gefron apreende caminhão que transportava gado de origem suspeita no Acre

Publicado

em

Durante o cerco que está sendo feito pelas forças de segurança do estado em Plácido de Castro e região, fechando inclusive a fronteira durante a noite, o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), que é responsável pela fiscalização das estradas de acesso ao município, apreendeu 18 reses que eram transportadas de forma ilegal.

Os animais, bem como o caminhão, além do motorista, foram escoltados até à sede do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (IDAF), onde foram aplicadas as multas pelas infrações praticadas. O gado ficou apreendido até que seja apresentada toda a documentação.

No final de semana, 30 homens do Gefron, que eram comandados pelo coordenador do grupo, delegado Rêmulo Diniz, fizeram uma rigorosa fiscalização ao longo da Rodovia AC-40, onde ninguém passava sem ser parado e revistado, especialmente veículos transportando mercadorias e animais.

Comentários

Continue lendo

Em alta