Mesmo após o início do período chuvoso, os rios acreanos estão, em sua maioria, com nível abaixo do esperado para o mês de janeiro.

rio-tarauacáA comparação, feita pela Defesa Civil estadual, toma por base as medições feitas no mesmo período do ano passado. De acordo com o órgão,  a diferença pode chegar a mais de 8 metros.

O Rio Envira, no município de Jordão apresentou a maior diferença do estado. Nesta segunda-feira (25) ele, que estava com 13,25 metros no mesmo dia em 2015, estava com com 5,38 metros. Já o Rio Iaco está com 8,14 metros, uma diferença de 7,69 metros em relação ao registrado no ano anterior, 15,83 metros.

O Rio Acre, que teve uma cheia histórica em 2015, também está com nível considerado baixo nos municípios que banha, 3,11 metros em Brasileia e 5,04 metros em Xapuri.

Segundo  o coronel Carlos da Costa, a a quantidade de chuvas está abaixo da média para o período.”Os rios estão todos abaixo das médias do ano passado, mas estão dentro da normalidade pois os níveis oscilam muito, “afirma

Rio Tarauacá
Com poucas chuvas no final de semana, o Rio Taraucá registrou 5,26 metros de profundidade nesta segunda (25).  De acordo com a coordenadora da Defesa Civil de Tarauacá, Raimunda Alves, a média esperada para essa época do ano é acima dos 7 metros.

Segundo ela, a balsa da unidade de saúde da cidade precisa ser empurrada para não encalhar no rio. “Por ser um barco grande, está havendo dificuldade para passar. De vez em quando encalha e é preciso empurrar, mas o atendimento está normal”, explica.

Raimunda recorda que esta situação é comum de acontecer nos meses de julho e agosto e afirma que dos 287 milímetros de chuva esperados para este mês, choveram apenas 258 mm. “Está abaixo do normal, mas o nosso medo é que quando dá um tempo com muito sol aqui, logo vem muita chuva também”, comenta.

Na capital situação é considerada normal
O Rio Acre também está abaixo da média esperada para este período. Segundo o  coordenador da Defesa Civil em Rio Branco, coronel George Santos, o rio atingiu 7,74 metros na manhã desta segunda (25).

De acordo com o coordenador, no mesmo período de 2015 a média era de 12,84 metros, mas que apesar da medida, a situação é de normalidade. “Está um pouco abaixo da média, que é de 10 metros, mas está tranqüilo. Tem chovido menos esse mês, só choveu 45% da chuva prevista para o mês”, afirma.

O coronel Batista reforça que a Defesa Civil do Estado está monitorando a situação.” Estamos   monitorando a quantidade de chuvas e a cota dos rios todos os dias e com planos de contingência prontos”, afirma.

Comentários