Moradores temem que vazamento possa contaminar poços e cacimbas que abastecem residências próximas à unidade de saúde

Visto de cima, ao fundo se mostra a obra que está sendo feita após a inauguração do hospital.

Semelhante ao Hospital Maternidade Bárbara Heliodora, em Rio Branco, onde todo o lixo e dejetos produzidos são escoados sem nenhum tratamento diretamente para o leito do rio Acre, o Hospital Wylde Viana, recém inaugurado no município de Brasiléia, na fronteira do Acre com a Bolívia, também vai dar a mesma destinação ao seu esgotamento sanitário.

A denúncia é de moradores que residem próximo ao hospital, que revoltados dizem que pelo menos quatrocentos metros da rede de esgoto sanitário da unidade de saúde passam dentro de seus terrenos até o leito do rio. Eles que caso haja vazamento os poços artesianos que abastecem suas casas sejam contaminados.

Após cruzar um bairro, o esgoto seja jogado atrás de uma olaria próximo ao rio Acre.

Desde que foi inaugurado, o hospital Wylde Viana, que leva o nome do pai do governador Tião Viana, tem recebido uma série de críticas e várias denúncias dão conta de que a obra teria sido inaugurada às pressas, sem estar devidamente concluída.

Como prova de que o hospital ainda não foi devidamente concluído, como vem divulgando a mídia oficial, os moradores encaminharam fotografias da obra ao portal ContilNet reforçando as denúncias.

Na semana passada, quatro dias após a unidade de saúde ter sido inaugurada, sua porta de entrada caiu e por pouco não machucou alguns pacientes que buscavam atendimento.

Imagem mostra que dias após a inauguração, os buracos sendo abertos atrás do prédio.

 

Confira algumas fotos:

Comentários