Folha de São Paulo

O ex-líder soviético Mikhail Gorbachev afirmou neste sábado (8), durante celebração dos 25 anos da queda do Muro de Berlim, que o mundo está próximo de uma nova Guerra Fria.

“O mundo está à beira de uma nova Guerra Fria. Alguns estão até dizendo que ela já começou”, disse. “O derramamento de sangue na Europa e no Oriente Médio em contraposição ao fracasso do diálogo entre as grandes potências é de enorme preocupação”, afirmou Gorbachev, responsável pelas reformas nos anos 80 que levaram ao fim do comunismo no leste europeu.

Ex-presidente da URSS Mikhail Gorbachev participa de simpósio sobre os 25 anos da queda do Muro de Berlim - Odd Andersen/AFP
Ex-presidente da URSS Mikhail Gorbachev participa de simpósio sobre os 25 anos da queda do Muro de Berlim – Odd Andersen/AFP

Segundo ele, potências ocidentais, como os EUA, propagaram o “triunfalismo” de ter vencido a Guerra Fria no começo dos anos 90, mas têm fracassado na diálogo para pôr fim a conflitos em lugares como Síria, Iraque e Ucrânia.

“Quem sofre mais com o que está ocorrendo? A resposta é uma só: a Europa. A Europa vai se enfraquecer e se tornar irrelevante se isso continuar.”

Gorbachev deu a declaração num evento no Portão de Brandemburgo, um dos símbolos da reunificação da Alemanha pós-queda do muro, em 1989. O ex-líder soviético tem sido, até agora, a principal figura pública das festividades dos 25 anos da queda do Muro de Berlim.

Na sexta-feira à noite (7), ele visitou o Check-Point Charlie, antigo posto de controle entre os dois lados da capital dividida entre Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental. A área faz parte do percurso de 8.000 balões brancos acesos pelas ruas de Berlim simbolizando o muro.

“Temos sempre de aprender com as lições do passado. Aprendemos no passado que russos e alemães entenderam cada um, e nossa relação é boa”, disse.

Visitantes assistem a documentário sobre o Muro de Berlim perto do Portão de Brandemburgo - Leandro Colon
Visitantes assistem a documentário sobre o Muro de Berlim perto do Portão de Brandemburgo – Leandro Colon

CELEBRAÇÕES

Uma pequena parte do Muro de Berlim foi recriada por meio dos balões, que serão soltos às 19h deste domingo (9), numa celebração que aguarda 2 milhões de pessoas.

Nesse mesmo horário do dia 9 novembro de 1989, os alemães começaram a derrubar o muro que separava a capital da Alemanha entre o lado Oriental, sob controle soviético, e Ocidental, aliado de Estados Unidos, França e Reino Unido.

Os balões reproduzem 15 dos 156 quilômetros do percurso do muro construído em 1961 e derrubado em 1989.

Telões espalhados pela cidade transmitem um documentário sobre a divisão da capital alemã. Gorbachev é um dos principais personagens das imagens. Na região do Portão de Brandemburgo, estandes e exposições relembram a ditadura da Alemanha Oriental. Uma exposição trata só da Stasi, a polícia secreta comunista.

“É importante sempre manter a memória da ditadura, mostrar a importância da reunificação (em 1990) e entender a história da Alemanha”, disse Nadine Kadow, funcionária do governo alemão e responsável pelo espaço que divulga a história da Stasi.

Comentários