Conecte-se conosco

Geral

‘O que há é um abismo entre o discurso deles e a prática’, diz Erick Venâncio na Rádio Gazeta

Publicado

em

“Dizem que há um abismo entre a instituição e a nossa classe. Mas o que a gente vê, na verdade, é o abismo entre o discurso deles e a prática”. Foram com essas palavras e o demonstrativo das centenas de ações desenvolvidas nos últimos três anos que o atual presidente e pré-candidato à reeleição da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Acre (OAB/AC), Erick Venâncio, falou sobre o trabalho desempenhado pela classe e os projetos para o futuro em entrevista concedida à Rádio Gazeta FM.

O representante foi sabatinado pelos jornalistas Tiago Martinello e Brenna Amâncio no “Jornal Gazeta 93” na manhã desta terça-feira, 19. Ao longo da conversa, ele destacou que mesmo com a pandemia de Covid-19, a atual gestão da OAB/AC desenvolveu ações emergenciais para atender os profissionais prejudicados pela chegada do coronavírus e a continuidade de trabalhos como a luta pelo aumento dos honorários, defesa intransigente das prerrogativas profissionais e atos de desagravos.

“Tivemos uma gestão muito complicada com o abalo que a pandemia trouxe, mas isso não foi desculpa para que não trabalhássemos. Criamos as centrais de Alvarás, que já realizou mais de oito mil atendimentos; de TI, com suporte à advocacia sobre os sistemas eletrônicos de diferentes tribunais; de Prazos, para combater a morosidade do Judiciário, construímos e reformamos mais de 40 parlatórios em todo o estado e fizemos testagem de Covid-19 em massa”, detalhou o presidente.

Venâncio ainda lembrou a vacinação contra a H1N1 de mais de dois mil operadores do Direito e dependentes, que auxiliou no combate à pandemia; a concessão de mais de 300 auxílios pela Caixa de Assistência dos Advogados do Acre (CAA/AC), que durante os cinco anos da gestão anterior chegou apenas a 10; ampliação no número de convênios, que saltou de 146 em janeiro de 2019 para mais de 670 em setembro deste ano; a instituição do Escritório Compartilhado e várias outras ações concretas.

“Não vamos estagnar no passado e focaremos no futuro. Temos um novo Judiciário, que instituiu uma nova maneira de trabalhar sobre a qual vivíamos, e temos que nos adaptar a ele criando recursos. Mas também é preciso nos insurgir quando essas inovações vierem contra as prerrogativas profissionais ou para nos desfavorecer. É essa nova advocacia que queremos ajudar e este novo momento que queremos construir com melhorias ainda maiores para nossos pares de todo Acre”, reforçou o pré-candidato.

O atual presidente destacou que é preciso união, compromisso e seriedade entre toda a advocacia acreana para que as realizações que precisam ser implantadas sejam concretizadas. “Agressões pessoais em nada contribuem para este momento, precisamos estar uníssonos para enfrentar os problemas que vivemos. É preciso facilitar cada vez mais o dia a dia da advogada e do advogado. Gestão, empreendedorismo e inovação é um trabalho junto à advocacia que já iniciamos neste mandato e fortaleceremos no próximo, caso tenhamos a honra de continuar”, finalizou Erick.

Comentários

Geral

Detentos que fugiram do presídio de Rio Branco seguem foragidos

Publicado

em

Os dois detentos do Pavilhão N que fugiram do Complexo Penitenciário de Rio Branco, no último domingo (28), continuam foragidos. O Instituto de Administração Penitenciária (Iapen-AC) confirmou a informação nesta quarta-feira (01).

Railson Rodrigues da Rocha e Daniel Valdez da Silva trabalhavam na cozinha da unidade e, segundo as informações, teriam entortado duas barras de ferro para fugir do local. Na área externa da unidade, os detentos utilizaram cordas artesanais produzidas com tecido, conhecidas popularmente como “terezas”, para escalar e pular o muro do presídio.

De acordo com o Iapen-AC tanto o Grupo Penitenciário de Operações Especiais (Gpoe) quanto o Centro de Treinamento de Cães Penitenciários fizeram buscas na mata que fica no entorno do presídio, mas até agora não acharam os presos.

As buscas seguem sendo feitas pelo grupo de recapturas do instituto.

Comentários

Continue lendo

Geral

Duarte detona “Papai Noel Gay” aprovado pela FGB, chama projeto de “atrocidade” e cita “erotização infantil”

Publicado

em

A aprovação na Fundação Garibaldi Brasil do projeto musical “Papai Noel Gay”, apresentado por Anderson Cassidy de Alves Montenegro, no valor de R$ 15 mil, foi classificado pelo deputado estadual Roberto Duarte (MDB) como “vergonhoso” e uma “inversão imoral de valores”.

Autodeclarado de direita, conservador e seguidor das pautas do presidente Jair Bolsonaro, Duarte acredita que o prefeito Tião Bocalom, direitista como ele, não vai aprovar o projeto.

“Depois de profanarem com um Jesus travesti, a esquerda novamente direciona sua mira contra nossas crianças. Primeiro veio o Superman gay e agora com a aberração do papai Noel gay, na Noruega. Como se não bastasse, agora apresentaram um projeto na Fundação Garibaldi Brasil, da Prefeitura de Rio Branco, para fazer um Natal da diversidade, com a figura do “Papai Noel Gay” ao custo de 15 mil reais. Eu não posso me calar sobre essa atrocidade, esse crime contra nossas crianças! E não venham querer me taxar de homofóbico, pois não sou! Natal não é sobre sexualidade, é sobre amor, paz e generosidade! Mas a esquerda insiste na erotização infantil, na descriminalização da pedofilia, na ideologia de gênero e tantas pautas que buscam a degradação da família cristã, e cada vez mais miram em nossas crianças.”

Comentários

Continue lendo

Geral

Atlético-MG vence Bahia e volta a ser campeão brasileiro após 50 anos

Publicado

em

Cinquenta anos depois, o torcedor do Atlético-MG pode, enfim, comemorar o título brasileiro. Nesta sexta-feira (2), o Galo derrotou o Bahia por 3 a 2 na Arena Fonte Nova, em Salvador, assegurando o bicampeonato nacional por antecedência. Os cinco gols da noite saíram em um segundo tempo eletrizante, com destaque ao atacante Keno, que balançou as redes duas vezes e decretou a virada do campeão.

O Alvinegro foi a 81 pontos e não tem mais como ser alcançado pelo vice-líder Flamengo, que tem 70 pontos e ainda pode chegar a 79. O Esquadrão de Aço permanece com 40 pontos, abrindo a zona de rebaixamento.

Da primeira conquista (em 1971) para cá, os mineiros bateram cinco vezes na trave na busca pelo bi. Em 1977, 1980 e 1999, o Atlético foi à final do Brasileiro, mas foi superado, respectivamente, por São Paulo (nos pênaltis), Flamengo e Corinthians. Em 2012 e em 2015, já na era dos pontos corridos, o Galo foi vice, na ordem, para o Fluminense e novamente para o Timão. Ídolos históricos como Reinaldo (maior artilheiro do clube, com 255 gols) ou Ronaldinho Gaúcho (principal nome da conquista da Libertadores, em 2013) tentaram, mas não conseguiram tirar o Alvinegro da fila.

A espera acabou sob comando do mesmo treinador que levou o time ao título da Libertadores: Cuca. O Atlético assumiu a ponta do Brasileirão na 15ª rodada, ao derrotar o Juventude por 2 a 1, fora de casa, e de lá não saiu mais. Dono do segundo melhor ataque, com 60 gols, atrás somente do Flamengo (67), o Galo ainda tem a defesa menos vazada da competição, com apenas 27 gols sofridos em 36 jogos disputados.

Como esperado, o Atlético se lançou ao ataque diante do Bahia desde os primeiros minutos. Aos quatro, Keno bateu da entrada da área e obrigou Danilo Fernandes a trabalhar. Aos 17, o atacante soltou a bomba de longe, mas o goleiro novamente salvou. Aos 39 minutos, quando o lateral Matheus Bahia errou o tempo de bola, Nacho Fernández invadiu a área pela esquerda e chutou cruzado, parando em outra intervenção de Danilo Fernandes. O Tricolor, mais preocupado com a marcação, aventurou-se pouco à frente. Até finalizou tanto quanto os mineiros (cinco), mas sem perigo à meta do goleiro Everson.

O Esquadrão voltou do intervalo com mais disposição ofensiva e equilibrou a partida, saindo na frente. Aos 16 minutos, o zagueiro Luiz Otávio, de cabeça, aproveitou cobrança de escanteio pela direita e marcou. Quatro minutos depois, Matheus Bahia cruzou rasteiro pela esquerda e o atacante Gilberto completou para as redes, ampliando a vantagem.

Os gols acordaram o Atlético, que voltou a marcar pressão e rapidamente conseguiu o empate. Aos 26, Eduardo Sasha foi derrubado por Luiz Otávio na área. O também atacante Hulk bateu e converteu a penalidade. No minuto seguinte, Keno dominou na entrada da área pela esquerda, levou para dentro e finalizou para vencer Danilo Fernandes. Não parou por aí. Aos 32, o meia Nathan achou Keno na meia-lua. O atacante chutou com a bola no ar e mandou no canto do goleiro tricolor, decretando a virada. Desordenado, o Bahia tentou reagir, mas não o suficiente para estragar a festa alvinegra em Salvador.

O Atlético, já como campeão brasileiro de 2021, volta a campo no domingo (5), às 16h, para receber o Red Bull Bragantino no Mineirão, em Belo Horizonte, onde poderá celebrar o título ao lado da torcida. No mesmo dia e horário, o Bahia tentará a reabilitação diante do Fluminense, novamente na Fonte Nova. As partidas valem pela 37ª rodada do Brasileiro.

Comentários

Continue lendo

Em alta