Oposição do Acre pode ter 7 candidatos ao Senado; Tião Bocalom irá disputar uma das vagas

Bocalom se coloca a disposição para disputar vaga ao Senado/Foto: Folha do Acre

O ex-prefeito de Acrelândia e atual presidente do Partido Democratas, Tião Bocalom, voltou a reafirmar que será candidato a uma vaga ao Senado da República nas eleições do próximo ano. Durante entrevista na TV Rio Branco, na manhã dessa quinta-feira (09), Bocalom afirmou que é um “direito dele pleitear um cargo tendo em vista que vem dando, há dez anos, palanque para outros ganharem”.

“Pelo meu trabalho, tempo de luta dentro dessa oposição lutando contra o PT, pra ver se a gente muda o modelo de desenvolvimento desse estado, acho que essa minha história dá o direito de continuar dentro da política”, justificou.

Ainda sobre a vaga de senado, Bocalom afirmou que vem servindo de trampolim dentro da oposição. “Acho que tenho o direito de pleitear, continuar a luta e o sonho de ser governador do estado. Eu preciso buscar um mandato. Faz 10 anos que só estou dando palanque para outros ganharem mandato. Eu não tenho ganhado mandato! É muito difícil ficar sem mandato há muito tempo”, disse ele.

Nas eleições de 2018, existem duas vagas para senador da república pelo Acre. Segundo os bastidores, já existem sete pré-candidatos pela oposição: Sérgio Petecão (PSD), Vagner Sales (PMBD), Márcio Bittar (PSDB), Major Rocha (PSDB), Flaviano Melo (PMDB), Médico Carlos Beiture e o próprio Bocalom.

Questionado sobre os números expressivos de pré-candidatos, Bocalom foi enfático: “Isso faz parte da democracia. É importante para a política ter vários nomes à disposição. Nunca se pode escolher os nomes ou intenções na marra”.

Também na entrevista, Bocalom confirmou que o senador, Gladson Cameli (PP), cogitou, durante uma reunião com a oposição, ser candidato ao governo em 2018. “Nós tivemos uma reunião em Brasília com os líderes da oposição e ficou claro que temos um nome forte para o governo, se o nome forte é dele (Gladson Cameli) vamos deixar que ele faça sua candidatura. Já no senado, existem duas vagas e uma delas coloquei à disposição o meu nome, porém, vai depender também das pesquisas que vamos fazer durante esse tempo para definir algo”, finalizou.

Comentários