Da assessoria

Na manhã desta segunda-feira, 2, a deputa federal Antônia Lúcia (PSC), acompanhada da deputada estadual Antonia Sales (PMDB) e o deputado tucano Major Rocha (PSDB), esteve na sede da Polícia Federal do Acre para apresentar denúncia por possíveis crimes praticados em redes sociais, mais especificamente no Facebook.

Os parlamentares que integram a Aliança por um Acre Melhor entregaram ao superintendente da Polícia Federal no Acre, delegado Araquém Alencar Tavares, vários “prints” (impressão de páginas da internet) onde constam indícios de crimes como calúnia, difamação, injúria e xenofobia (aversão a pessoas estrangeiras).

Deputados Rocha, Antônia Lúcia e Antonia Sales denuncia caso à PF/Foto: Assessoria
Deputados Rocha, Antônia Lúcia e Antonia Sales denuncia caso à PF/Foto: Assessoria

“Todos nós, parlamentares de oposição, estamos sofrendo ataques de pessoas diretamente ligadas ao governo do Estado, que, durante seu horário de expediente, atacam a nossa honra e a moral. Pedimos as providências cabíveis, agora que não estamos em campanha, pois podemos imaginar como esta turma vai agir durante as Eleições que se aproximam”, argumentou a deputada federal Antônia Lúcia (PSC).

A parlamentar do PSC teve seu nome citado em inúmeras postagens levianas que a atacaram de forma baixa e inescrupulosa.

Outra vítima dos ataques promovidos no Facebook foi a pré-candidata a vice-governadora, deputada Antonia Sales (PMDB). Sales teve sua imagem adicionada a uma fotomontagem incitando os eleitores a não votar na mesma, devido a parlamentar ser de outro país.

“Xenofobia é crime federal e sou uma cidadã brasileira desde 92. Tenho família e filhos aqui no Acre”, argumentou Antonia.

Discriminação por nacionalidade é delito inafiançável e imprescritível.

Não foram apenas as mulheres da oposição alvo de ataques. O deputado federal Gladson Cameli (PP) e pré-candidato ao Senado, também tem sido constantemente atacado, com veiculação de notícias e recentemente um assessor parlamentar da Frente Popular do Acre, chegou a enviar uma ameaça a Cameli, onde constava: “Homem não manda menino fazer seu trabalho sujo (…) vai lá e faz. Só me aguarde”. A denúncia desta ameaça foi registrada na Polícia Civil.

O deputado federal Marcio Bittar (PSDB) e pré-candidato ao Governo do Estado também tem sido bombardeado com acusações e postagens agressivas. No seu caso há registros de ataques ainda no Twitter.

Recentemente o pré-candidato à presidência da República, senador Aécio Neves (PSDB), requisitou à Polícia Federal investigação sobre a origem dos ataques que estava sofrendo pela internet. Servidores e equipamentos da Prefeitura de Guarulhos, que está no 14º ano de gestão petista, foram usados para administrar e alimentar a página difamatória.

“Também fui e continuo sendo vítima de ataques e acusações através das redes sociais. Recentemente ganhei na Justiça uma indenização de um secretário de Estado. Não somos contra a liberdade de expressão, o que não podemos permitir é esta campanha difamatória que pessoas ligadas ao Partido dos Trabalhadores, em todo país, têm realizado e atacado pessoas de bem e honradas, pelo simples fato de não comungar das mesmas ideias petistas”, disse Major Rocha.

Ainda nesta segunda-feira, 2, a deputada federal Antônia Lúcia terá audiência com o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para apresentar as denúncias protocoladas hoje na Polícia Federal do Acre. A parlamentar também apresentará ao ministro cópias de postagens feitas por assessores do governo do Estado do Acre contra parlamentares de oposição, em horário de expediente. “Além dos crimes tipificados há improbidade administrativa nos atos destes profissionais que também serão denunciados ao Ministério Público”, garantiu Antônia Lúcia.

Comentários