PCdoB não cede a pressão do PT e deve ter chapa própria para 2014

A formação de um ‘chapão’ com todos os partidos da Frente Popular do Acre não é bem vista pela maioria dos parlamentares. Da redação, com Contilnet As reuniões em salas...

A formação de um ‘chapão’ com todos os partidos da Frente Popular do Acre não é bem vista pela maioria dos parlamentares.

Da redação, com Contilnet

As reuniões em salas de comissões dentro da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) têm se multiplicado. A maioria é para tratar sobre a formação de chapas para a eleição 2014. A formação de um ‘chapão’ com todos os partidos da Frente Popular do Acre não é bem vista pela maioria dos parlamentares.

O presidente da executiva municipal do PCdoB, deputado Eduardo Farias, usou a tribuna da Casa na manhã de terça-feira (24) para afirmar que os comunistas defendem chapa própria para as próximas eleições.

O parlamentar falou também da pré-candidatura da deputada federal Perpétua Almeida rumo ao Senado e deu a entender que o partido não cederá a pressões da coligação para que a parlamentar retire o nome da pré-disputa.

“O PCdoB defende chapa única. Foi algo que enxergamos com vistas a dar garantia de igualdade para as nossas lideranças do interior do Estado. A política de concentração no nosso partido está superada. Como vamos segurar estas pessoas no legítimo direito de disputar em boas condições?”, questiona.

O líder do PT na Casa, Geraldo Pereira (PT), contra-atacou o discurso de Farias e afirmou que continuará defendendo a unidade.

Pereira, que defende a chapa com vários partidos, o chamado ‘chapão’, afirmou que o projeto deve continuar sendo coletivo.

“Poderíamos ter três deputados a mais nesta casa – o Manoel Lima, Itamar de Sá e Ermício Sena – mas preferimos acolher a Frente Popular. Vamos continuar defendendo o coletivo”, diz.

Comentários