Pescadores profissionais têm até amanhã para renovar carteiras

A direção da colônia de pescadores de Rio Branco está preocupada com o número de carteiras de pescadores suspensas que ainda não foram regularizadas. Cerca de 160 profissionais da pesca podem ter o documento cancelado, se não fizerem o recadastramento até o dia 11. Seu...

0

A direção da colônia de pescadores de Rio Branco está preocupada com o número de carteiras de pescadores suspensas que ainda não foram regularizadas. Cerca de 160 profissionais da pesca podem ter o documento cancelado, se não fizerem o recadastramento até o dia 11.

Seu Manuel Somba é pescador há 15 anos. Todos os meses ele cumpre com suas obrigações junto à colônia de pescadores. Hoje, ele fez o recadastramento da carteira de pescador, por que sabe a importância de manter o documento em dia. “É bom ficar em dia pra quando for o final do ano a gente entrar com o direito do defeso”, explica.

A atitude de seu Manuel não é uma regra entre os profissionais da pesca filiados a Colônia de pescadores de Rio Branco (Coopac) e isso têm preocupado a direção da entidade. “A minha preocupação é principalmente com o seguro desemprego dos pescadores. Por que com a carteira cancelada eles não vão poder nem pescar”, salienta Maria Lenes Leal, Presidente da Coopac. No final do mês passado o Ministério da pesca suspendeu carteiras de pescadores em todo país, e na colônia da capital, poucos trabalhadores procuraram regularizar a situação. “

Todos os anos, o Ministério da Pesca suspende as carteiras dos pescadores, com objetivo de recadastrá-los a fim de evitar fraudes no recebimento do seguro defeso. No país, são mais de 1 milhão de pescadores registrados. No Acre, 244 tiveram a carteira suspensa.

O recadastramento dos pescadores pode ser feito tanto na sede da Colônia de pescadores, quanto na superintendência do Ministério da Pesca em Rio Branco, que fica na Avenida Ceará, no prédio do palácio do comércio.

É necessário apresentar cópia dos documentos pessoais, carteira do pescador e comprovante de residência. De 15 de novembro a 15 de março a categoria tem direito ao seguro defeso. Benefício conferido aos pescadores pelo governo federal, no valor de um salário mínimo, no período em que a pesca é proibida. O profissional que não fizer o recadastramento até o dia 11, próxima quarta-feira, terá a carteira cancelada, e o seguro defeso bloqueado.

Comentários

Assuntos desta notícia