Conecte-se conosco

Acre

Pesquisadores trabalham na criação de adubos orgânicos que aumentem a produção e reduzam custos dos produtores no AC

Publicado

em

Grupo estuda sobre sementes de árvores tropicais. Viveiro completou dois anos e, nesse período, foram distribuídas mais de 5 mil mudas.

Após ficar um longo período desativado, o viveiro de espécies nativas da região Amazônica, que fica na Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), foi reativado após uma parceria com um grupo de pesquisa da Universidade Federal do Acre.

Antes de chegar até o plantio no viveiro, os pesquisadores trabalham em um laboratório de sementes que foram coletadas em áreas de floresta. Lá, eles fazem a limpeza e também estudam em quantos dias e até a qual temperatura as sementes de espécies diferentes começam a germinar.

“As sementes são coletadas em florestas no estado do Acre e são condicionadas no laboratório de sementes da Funtac e iniciamos o primeiro processo de limpeza dessas sementes. E então realizamos testes de germinação. Após essa primeira etapa, as sementes são conduzidas ao viveiro, onde são trabalhados os testes de substratos alternativos e isto é acompanhado pelo período de 90 a 150 dias no viveiro”, explica o doutorando de produção vegetal, Cleverson Carvalho.

O pesquisador diz que o trabalho é importante para compreender qual a melhor forma, período e até a luz para fazer o plantio.

“A Amazônia é rica em biodiversidade, muitas espécies ainda não conhecemos o processo germinativo, não sabemos qual melhor temperatura, qual melhor fotoperíodo, se as sementes são fotoplásticas positivas (que germinam na presença de luz) ou negativas (que não germinam sem a presença de luz). Então, muitas sementes a gente não tem conhecimento a respeito da ecofisiologia e iniciamos no laboratório de sementes a montagem de experimentos, em que avaliamos a questão da fotoplastia e a melhor temperatura de germinação”.

Grupo estuda sobre sementes de árvores tropicais e trabalha na criação de adubos orgânicos em viveiro no AC — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

Grupo estuda sobre sementes de árvores tropicais e trabalha na criação de adubos orgânicos em viveiro no AC — Foto: Reprodução/Rede Amazônica

No processo acompanhado pela equipe da Rede Amazônica, as sementes estudadas pelo grupo de pesquisadores foram as de ipê. Porém, são trabalhadas outras espécies como açaí e rambutan.

Depois de passar por essa fase é que elas estão prontas para serem plantadas e cultivadas no viveiro.

“Estamos trabalhando com espécies de interesse madeireiro, como o caso do mogno, itaúba, guariuba e também espécies frutíferas nativas, como é o caso do açaí. E com potencial de desenvolvimento aqui na região, o rambutan, que é uma espécie exótica, mas que agrega muito valor. A castanha também tem sido pesquisada sobre a produção de mudas”, diz Carvalho.

Adubos orgânicos que reduzem custos

 

O projeto completou dois anos e, nesse período, foram distribuídas mais de 5 mil mudas. Além disso, o grupo fez mais de 50 pesquisas, trabalhos e experimentos.

Em um dos espaços, a pesquisa foca principalmente na criação adubos orgânicos que aumentem a produção e possam reduzir custos para os produtores rurais.

“As pesquisas realizadas na Funtac têm contribuído para produção de mudas com a utilização de resíduos orgânicos da agroindústria, que é uma alternativa de baixo custo para produção de mudas. Os substratos alternativos têm proporcionado a produção de mudas de baixo custo. Levando assim o pequeno produtor a alternativa de produzir na sua propriedade as suas mudas”, acrescenta.

A parceria do grupo de pesquisa com a Funtac tem dado resultados positivos e a fundação já pensa em expandir e buscar novas parcerias, principalmente no interior do estado. A ideia é criar áreas conectadas e garantir que as produções sejam sustentáveis, mas também garantam renda ao produtor rural.

“Estamos fazendo 10 áreas, que são áreas de extração de látex e em parceria com essas áreas, vamos fazer o sistema agroflorestal, com frutíferas, arbóreas, leguminosas, verduras. A intenção é, além de manter a floresta em pé, deixar renda dentro da comunidade”, afirma o presidente da Funtac, Tom Sérgio.

Comentários

Acre

Comando Geral emite nota sobre o caso do sargento que atirou em estudante de medicina

Publicado

em

Paulo César Gomes da Silva, Coronel PM do Acre, durante sua posse no comando da Instituição – Foto/Divulgação

O Comando Geral da Polícia Militar do Acre acaba de divulgar uma nota de esclarecimento sobre o caso do sargento Erisson Nery, acusado de atirar por duas vezes contra Flávio Endres de Jesus Ferreira, 30 anos que está internado no Pronto Socorro de Rio Branco.

Na publicação, o Comando Geral informa que está apurando disciplinarmente os fatos e que adotará as medidas disciplinares cabíveis, ficando sob responsabilidade da Polícia Civil a apuração criminal.

Veja a nota na íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Sobre os fatos envolvendo os policiais militares Sargento Erisson Nery e Sargento Alda Radine, no município de Epitaciolândia, na noite deste sábado, 27, a Polícia Militar do Acre (PMAC) informa que está apurando disciplinarmente os fatos e tomará as medidas disciplinares pertinentes e que a apuração criminal caberá à Polícia Civil.

Esclarece que até o presente momento o policial militar Sargento Erisson Nery ainda não foi localizado, nem tampouco se apresentou, no entanto a PM continua em diligências com o fim de localizá-lo.

A instituição reafirma que não compactua com ações que firam as normas legais ou que contrariam os valores castrenses seguidos pela corporação ao longo de sua história.

Atitudes tomadas por quaisquer membros da corporação no âmbito de suas vidas institucional, e devem ser apuradas à luz do que determina a legislação.

Rio Branco-AC, 28 de novembro de 2021.

Paulo César Gomes da Silva – Coronel PM
Comandante-Geral da PMAC

Comentários

Continue lendo

Acre

Terremoto deixa igrejas em ruínas, casas desabadas e estradas destruídas no Peru

Publicado

em

O terremoto do magnitude 7.5 registrado neste domingo, 28, as 6:00 horas da manhã deixou pelo menos duas pessoas feridos e 75 pessoas afetados pelo ocorrido.

Os feridos foram registrados nas províncias de Luya e Chachapoyas. Até o momento, não há relatos de fatalidades como resultado do terremoto.

Um morador explicou que as casas atingidas são construídas principalmente em adobe e que a maior parte das casas na selva estão “dispersas” . “Felizmente, há apenas danos às casas, não à saúde”, disse ele .

De acordo com o relatório do Indeci , no distrito de Valera, província de Bongará (AM), foram registradas 30 pessoas afetadas; 10 no distrito de Cajaruro, província de Utcubamba; 25 na província do Alto Amazonas; e 10 na província de Chachapoyas.

Como recorde-se, segundo o IGP, o terremoto ocorreu às 05h52 e o epicentro localizou-se 98 quilômetros a leste do distrito de Santa María de Nieva, província de Condorcanqui (Amazonas).

O terremoto teve uma profundidade de 131 quilômetros e atingiu a intensidade de VII. Os primeiros relatórios indicam danos materiais nos distritos de Valera, San Jerónimo e Leimebamba.

Foi relatado o colapso de várias estruturas após o terremoto. Uma delas foi a torre da igreja no distrito de La Jalca, que desabou após o terremoto.

 

O internauta @ sergiobucks93 capturou um vídeo do momento preciso do terremoto em Juanjuí, que também causou falta de energia, embora não haja relatos de feridos ou vítimas que se arrependam.

 

 

Por outro lado, o distrito de La Jalca desabou a torre de 14 metros de altura da igreja local devido à intensidade do terremoto. Vídeos circularam nas redes sociais logo após o colapso.

A construção, datada do século 16, é considerada Patrimônio Histórico do Peru. Foi o templo cristão mais antigo da região, pois está ligado à primeira fundação da cidade de Chachapoyas, em 1538.

 

 

 

Posteriormente, mais danos materiais foram registrados na região amazônica como resultado do terremoto, o mais forte até agora neste ano.

 

 

O prefeito do distrito de Jalca Grande em Chachapoyas, Walter Culqui, informou que após o terremoto de magnitude 7,5 ocorrido esta manhã em Santa María De Nieva, na província de Condorcanqui, região do Amazonas , pelo menos 70% das residências foram afetadas em seu distrito, bem como três pessoas levemente feridas.

“É uma cidade histórica, as casas são feitas de barro, pedra. Há 70% de dano aqui. Somos mais de 3.000 famílias e temos 70% dos afetados ”, disse ao RPP Notícias. Ele acrescentou que sítios arqueológicos muito importantes na região desabaram devido ao forte terremoto, como a igreja de La Jalca Grande.

Ele indicou que as autoridades estão visitando bairro por bairro para determinar a magnitude das perdas materiais e danos na área. “Estamos olhando os escombros, estamos vendo danos pessoais. Até agora temos três feridos. Devemos agradecer a Deus que tenha sido de madrugada porque as pessoas estão saindo para o trabalho agrícola, para os mercados ”, disse.

Sobre os feridos, o prefeito Culqui explicou que são menores e foram atendidos no posto de saúde. “(Eles têm) arranhões, inchaços”, disse ele .

Em outro momento, o governante solicitou o envio de maquinários ao seu distrito para a movimentação de entulhos decorrentes do desabamento de casas, bem como para a manutenção de estradas que estavam intransitáveis.

“Relata um acesso que foi afetado, há um quilômetro de desabamento. As estradas desabaram ”, disse ele .

O registro do terremoto foi sentido pela região norte do Brasil, Equador, colômbia e Peru.

 

Referencia de: El Comercio

Comentários

Continue lendo

Acre

Polícia Militar do Acre deflagra Operação Papai Noel 2021

Publicado

em

Em frente ao Quartel do Comando Geral (QCG), a Polícia Militar do Acre (PMAC) deu início, na manhã desta sexta-feira, 26, a mais uma edição da Operação Papai Noel. O objetivo é reforçar a presença policial em pontos estratégicos da capital acreana e do interior do estado, principalmente nas áreas comerciais, durante o período de final de ano.

Policiamento irá reforçar a segurança nas ruas acreanas. Foto: Douglas Barros

Com um reforço diário de 140 policiais militares, divididos em dois turnos de serviço, as guarnições são escaladas nas mais variadas modalidades de policiamento, como motorizado – carros e motos – e a pé. Este ano, conta ainda com um acréscimo dos alunos do Curso de Formação de Soldados (CFSd 2021) e dos alunos do Curso de Habilitação de Oficiais Administrativos (CHOA).

A solenidade foi realizada em frente ao Quartel do Comando Geral, da PMAC. Foto: Douglas Barros.

O policiamento é um reforço ao serviço ordinário que é realizado diariamente pelas unidades operacionais de área da capital e do interior, além das unidades especializadas da corporação, conforme explica o comandante-geral da PMAC, coronel Paulo César Gomes. “É uma operação tradicional da Polícia Militar do Acre, que procura fortalecer o policiamento ordinário, principalmente nas áreas comerciais e, com isso, trazer uma tranquilidade maior à nossa população”.

O comandante ainda destacou a importância da operação para os alunos soldados e para toda a sociedade acreana. “Os alunos soldados que estão em formação, estão tendo a primeira experiência no policiamento e no contato com a população. Com esse aumento no número de policiais nas ruas, aumentamos a sensação de segurança e diminui, consequentemente, o número de furtos e roubos, sendo importante assim para toda a sociedade acreana”, enfatizou.

Aluno Soldado Karl William será um dos alunos soldados presentes a Operação Papai Noel. Foto: Douglas Barros.

Entre os 70 policiais militares que se encontravam em forma durante a preleção do serviço, o aluno soldado Karl William, do 1º pelotão, escutava atento às orientações repassadas pelos comandantes. Para ele, vestir a farda e sair às ruas para o serviço é um momento marcante. “Além de ser uma grande honra, nos sentimos privilegiados em poder participar desta operação, já como policiais militares. Estamos empenhados em trazer à população a sensação de segurança e demonstrar que a Polícia Militar está presente nas ruas”, disse o aluno entusiasmado com a oportunidade.

Estiveram presentes à solenidade, os tenentes-coronéis Sandro Oliveira, respondendo pela Diretoria Operacional da PMAC (Dirop), Rômulo Modesto, comandante do Policiamento da Capital, Flávio Inácio, comandante do Batalhão de Operações Especiais (BOPE), a tenente-coronel Jokebed Lima, comandante do 1º Batalhão, e os majores Kleison Albuquerque, comandante do Batalhão de Policiamento Ambiental (BPA) e Marleudo Nogueira, comandante do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran).

Comentários

Continue lendo

Em alta