Após aprovação do impeachment, oposição do Acre se reúne para analisar cenários pós-Dilma

Senador Petecão (PSD) disse que está confiante de que o Senado votará favorável ao impeachment da presidente Dilma/Foto: Charlton Lopes/ContilNet
Senador Petecão (PSD) disse que está confiante de que o Senado votará favorável ao impeachment da presidente Dilma/Foto: Charlton Lopes/ContilNet

Durante a manhã desta terça-feira (19), na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), representantes de 10 partidos que integram a oposição se reuniram no auditório para uma reunião. Os líderes fizeram uma avaliação da votação do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, aceito pela Câmara dos Deputados no último domingo (17) por 367 votos.

Entre as lideranças da oposição presentes estava o deputado federal Wherles Rocha (PSDB) e o senador Sérgio Petecão (PSD). O tucano comemorou a vitória da oposição na Câmara, e afirmou que o plenário da Casa respondeu à altura ao descontentamento da população com o governo Dilma. Rocha ressaltou o fato de que o governador do Acre, Tião Viana (PT), não correspondeu o anseio do Palácio do Planalto para articular mudanças em favor do PT dos votos já declarados contra o governo.

“A rua manifestou o desejo de mudança, e isso se refletiu na Câmara. Houve Estados que os governadores conseguiram mudar votos, já o governador do Acre não conseguiu mudar nenhum voto. Ele ficou só com os votos do PT e com o do César Messias, que está em outro partido [PSB], mas é do PT”, disse ele.

“O Executivo estabeleceu um balcão de negócios e fez toda espécie de proposta”, disse Rocha/Foto: Charlton Lopes/ContilNet
“O Executivo estabeleceu um balcão de negócios e fez toda espécie de proposta”, disse Rocha/Foto: Charlton Lopes/ContilNet

Rocha afirmou ainda que foi testemunha das “negociatas” de última hora que aconteceram na Câmara patrocinadas pelo governo para tentar reverter o impeachment. “O Executivo estabeleceu um balcão de negócios e fez toda espécie de proposta. Ofereceram desde ministérios até facilidade na liberação de emendas”, afirmou o tucano.

O senador Sérgio Petecão (PSD) disse que está confiante de que o Senado votará favorável ao impeachment da presidente Dilma, e ressaltou que se sentiu feliz pelo fato da presidência nacional do PSD ter rompido com o PT.

Sem uma pauta pré-definida, os pré-candidatos a prefeito de Rio Branco, Raimundo Vaz (PR), Eliane Sinhasique (PMDB) e Francineudo Costa (PSDB) falaram a respeito de uma possível aliança para a eleição majoritária em Rio Branco. Nenhum deles, contudo, afirmou que abriria mão da candidatura em benefício do outro, mas ressaltaram que apoiarão aquele que conseguir chegar a um eventual segundo turno com o prefeito Marcus Alexandre (PT).

Comentários