A ida do senador Petecão ao PMDB obedece a sequência de visitas dele a partidos de oposição

Lideranças da oposição se reúnem no PMDB
Lideranças da oposição se reúnem no PMDB

O senador Sérgio Petecão (PSD) visitou o PMDB de Rio Branco na manhã desta segunda-feira, 09, e saiu de lá certo de que o partido tem disposição em atender o mantra de sua peregrinação entre os opositores ao PT do Acre: a união nas eleições desse ano. No encontro com a executiva estavam os deputados Chagas Romão e Eliane Sinhasique, ela pré-candidata a prefeita.

A ida do senador Petecão ao PMDB obedece a sequência de visitas dele a partidos de oposição, em busca da desejada união para a disputa das eleições desse ano. Petecão, escolhido para liderar a formação de uma aliança mínima possível, passou pelo menos uma vez em todos os partidos, mas faltava o PMDB, que há mais de ano alimenta uma candidatura, missão para a qual escalou a deputada Eliane Sinhasique.

Para o encontro desta segunda-feira o senador armou-se de argumentos e propostas do tamanho da sigla, que anda empolgada com o protagonismo vivido pelo PMDB no Brasil. Elogiou o trabalho feito até aqui para lastrear o nome de sua pré-candidata, mas sugeriu ponderação. “Acho cedo ainda para um partido estabelecer que terá candidato a prefeito”, disse.

Sérgio Petecão colocou na mesa do PMDB a ideia de fazer a disputa com outros partidos pela cabeça de chapa por meios mais democráticos, como as pesquisas, por exemplo. “Sugeri a todos os outros partidos que façamos uma pesquisa mais lá na frente. Quem aparecer em primeiro será nosso candidato a prefeito. Acho essa disputa justa, a mais democrática possível”, assegurou.

O PMDB, segundo o senador, acenou com a possibilidade de ouvir a sugestão, em nome da possibilidade de a oposição conquistar a prefeitura da capital. “Eu repeti várias vezes que o PT está no fundo do poço e que a Frente Popular não vai conseguir enfiar o prefeito Marcus goela abaixo do eleitor, dizendo que ele é diferente. Mais para a oposição vencer as eleições é preciso dessa união. Parece que os dirigentes dos partidos vão me ouvir”, disse.

O senador Petecão aproveitou o encontro para desfazer um maldoso boato segundo o qual ele estaria condicionando o nome de sua mulher, Marfisa Galvão, como vice. “Nunca disse a ninguém que a Marfisa será vice. Acho, inclusive, que o nome dela precisa ser preservado. Trabalho e torço para que a oposição faça uma grande chapa. Para isso temos nomes maravilhosos, como a Eliane, o Raimundo Vaz e o Francineudo. Ainda tem o Rocha e o Marcio Bittar, além do Bocalom, todos muito fortes. É só unir pra gente ganhar essa eleição”, apregoa o senador, que embarcou nesta segunda-feira para Brasília, onde participará da votação pelo impeachment.

Comentários