Deputado se posicionou fortemente contra a tentativa do governo do Espírito Santo em culpar os PMs pelo caos na segurança do Estado: “Culpado é o governador e o comandante”

O deputado federal Major Rocha (PSDB) realizou um forte discurso em defesa das Polícias Militares e demais membros da forças de segurança do país na tarde desta terça-feira (14) no plenário da Câmara Federal. O parlamentar atribuiu a grave crise do Estado do Espírito Santo a uma irresponsabilidade dos gestores, os quais deixaram os policiais em estado de penúria, sem equipamentos e há sete anos sem reposição salarial.

O deputado acreano disse apoiar a anistia aos PMs ser contra a demissão sumária e ressaltou: “Hoje no Espírito Santo é o mesmo descaso de todo o país: os agentes de segurança, sejam civis ou militares, convivendo com baixos salários. No Acre, no fim do ano passado, o governador Sebastião Viana cortou salários dos PMs por falta de gestão financeira”, afirmou o deputado.

Trabalhando sem equipamento

Rocha destacou a falta de condições de trabalho dos policiais pelo país, em quartéis decadentes, viaturas sem condições e até falta de munição e coletes balísticos: “Mesmo com tudo isso, ainda querem imputar aos PMs a culpa pela falta de gestão dos governantes incompetentes. Esquecem que por trás das fardas estão pessoas. São seres humanos com as mesmas necessidades dos demais”.

Os gestores estaduais tratam com descaso a segurança pública e o resultado dessa incompetência é uma sociedade doente: “Isso ficou evidente no Espírito Santo, pois quando a PM saiu das ruas, pessoas sem antecedentes se deixaram levar e cometeram crimes.”

Sociedade doente

Segundo o deputado, há uma crise de valores em uma sociedade doente, onde a PM tem cumprido um importante papel na contenção: “E ainda assim os gestores não concedem tratamento merecido para esta força. Vi o comandante da PM do Espírito Santo acusando os policiais, mas ele é responsável pelas demandas não atendidas dos Policiais, como os sete anos sem aumento”.

Rocha destacou o fato das recentes visitas dos parlamentares aos presídios e disse não estar vendo isso agora para os PMs e conclamou os demais deputados federais a irem ao Espírito Santo para averiguar: “A culpa não é deles, mas do governador, secretários de Estado e do comandante pela situação e precisamos nos posicionar”.

O deputado destacou que mesmo atuando sem condições, os policiais receberam apenas a demissão sumária por lutar por seus direitos, medida esta sem respaldo legal e só para esconder a incompetência do gestor: “A segurança precisa ser melhor discutida. Não podemos deixar os profissionais de segurança serem tratados como se não fossem seres humanos”.

Comentários