Porta-voz do governo, Leonildo Rosas, é condenado pelo Tribunal de Contas a pagar R$ 7,5 mil

Sebastião Viana, ao lado do seu porta voz, Leonildo Rosas – Foto: Divulgação
Régis Paiva 

A situação não anda nada boa para os integrantes de governos e ordenadores de despesas. O último a ser pego por gastos considerados irregulares foi o porta-voz do Governo do Estado, Leonildo Rosas, condenado pelo Tribunal de Contas do Estado do Acre (TCE) a pagar uma multa de cerca de R$ 7.500. O julgamento do recurso de Rosas aconteceu na manhã desta quinta-feira (16).

As contas do porta-voz de Sebastião Viana, Leonildo Rosas, na Secretaria de Estado de Comunicação (SECOM) haviam sido rejeitadas por problemas principalmente na emissão de passagens, as quais teriam sido emitidas com a prorrogação irregular de um contrato com um fornecedor.

Rosas alegou ser um serviço continuado e ser obrigação dele acompanhar o governados nas viagens e pediu a reconsideração em acórdão pela multa de R$ 7.500. Ele alegou ainda falta de defesa.

Mas para o TCE, as prorrogações nos contratos aumentaram, em muito, o valor inicial e sequer deveriam ter acontecido. O caso diz respeito a contratos dos anos de 2006 e 2011. Por conta disso, a Corte de Contas recebeu o recurso para, no mérito, afirmar não ter havido cerceamento de defesa e manteve a multa. A decisão foi unânime.

Comentários