O prefeito de Xapuri, Ubiracy Vasconcelos (PT), encaminhou à Câmara de Vereadores projeto de lei que dispõe sobre a regulamentação da circulação de veículos na área urbana do município. Na prática, o gestor municipal que proibir o tráfego de caminhões e carretas com peso superior a 16 toneladas nas ruas da cidade, onde a prefeitura tem feito investimentos de recuperação e pavimentação.

A proposta do prefeito petista tem a ver com outra lei, aprovada em 2015, proibindo o funcionamento de depósitos de materiais de construção como areia, barro, brita e derivados dentro do perímetro urbano do município. Esses estabelecimentos seriam os responsáveis pelo tráfego de carretas que entram na cidade para fazer o abastecimento dos estoques. Essa lei, no entanto, nunca foi cumprida e os depósitos das lojas do ramo continuam funcionando normalmente.

Pressionado pela Câmara a fazer com que a lei seja cumprida, Bira Vasconcelos afirma que a norma discrimina os empresários do ramo de material de construção. Segundo ele, outras atividades como o transporte de gado e de madeira também promovem a circulação de cargas pesadas dentro do perímetro urbano.

“A nova proposta de regulamentação atinge a todos sem discriminação. Uma medida democrática e mais justa para a solução desse problema”, diz.

Junto com o projeto de lei, o prefeito enviou à Câmara laudos de um estudo encomendado à Fundação de Tecnologia do Acre (Funtac), sobre as condições do solo e a capacidade de resistência das ruas da cidade ao peso dos veículos que trafegam pelas vias urbanas. O objetivo, de acordo com ele, é exclusivamente voltado para a preservação da qualidade da malha viária urbana.

“Até o ano que vem serão R$ 5 milhões investidos na recuperação de ruas em Xapuri. Temos que nos preocupar com a manutenção desses investimentos, fazendo com que as ruas tenham maior durabilidade, e isso só será possível com medidas como essas que nem sempre são simpáticas, mas que são necessárias”, afirmou.

O projeto de lei divide os 9 vereadores de Xapuri, três dos quais são do partido do prefeito. O vereador Gessi Nascimento (MDB) é um dos opositores do projeto. Segundo ele, a ideia do prefeito vai fazer com os comerciantes repassem os consumidores os custos que terão para transportar cargas para seus depósitos em pequenos caminhões.

“Sem poder entrar com carretas na cidade, os donos de mercados terão que pagar frete para trazer as cargas de arroz, sal e açúcar para os armazéns e repassarão esses custos para os consumidores, fazendo subir os preços das mercadorias em Xapuri”, afirmou.

A previsão é de que a matéria, que se encontra na Comissão de Justiça e Redação Final, seja apreciada nas próximas sessões do legislativo municipal.

Comentários