O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), de Brasileia realizou nesta quarta-feira, 07, na Escola Maria do Socorro Frota, atividades de acolhimento aos professores e alunos do 4° ano, que tiveram a perda prematura de um colega da turma que faleceu vítima de leucemia.

O objetivo da atividade foi de orientação psicológica aos alunos e professores, para que possam se recuperar desse momento tão triste. Foram realizadas palestras, contação de histórias e música através das equipes do CAPS  e CREAS. “Agradeço a secretária Luiza Amaral, que convidou o CAPS para realizar esta atividade na nossa escola, com palestra motivacional, em um momento tão triste, fez com que nossos alunos tenham ânimo para seguir em frente e superar a perda”, destacou o gestor da escola, Jacinto Dias.

O Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), que tem total apoio da Prefeitura de Brasileia, realiza serviços de saúde de caráter aberto e comunitário, constituído por equipe multiprofissional e que atua sobre a ótica interdisciplinar, realizando prioritariamente atendimentos às pessoas com sofrimento ou transtorno mental, incluindo àqueles com necessidades decorrentes do uso de álcool e outras drogas, sejam em situações de crise ou nos processos de reabilitação psicossocial. Atualmente o CAPS de Brasileia atende diretamente mais de setecentas famílias, tanto na zona urbana quanto no meio rural.

A coordenadora da unidade, Marinete Mesquita, explicou o papel do CAPS no município. “Acionamos a nossa equipe multiprofissional e fomos a Escola Socorro Frota para mediar com os alunos e professores as possibilidades de como lidar com esse momento de perda de um coleguinha, de um aluno, pois falar sobre perda requer muita sensibilidade, nossa equipe tem trabalhado muito sobre o controle emocional, questão da saúde mental e sobretudo, mantendo o bom diálogo. Fomos convidados pela prefeita Fernanda Hassem, para trabalhar uma política de inclusão no município que olhe para todos. Lidar com saúde mental é algo que temos que fazer com muita sensibilidade, responsabilidade e respeito e lidar com crianças exige muito mais da equipe. Foi um momento de conversarmos, trocarmos experiências. Fazemos esse trabalho tanto na cidade quanto na área rural”, destacou.

Participaram da atividade a coordenadora do CAPS, Marinete Mesquinta, psicólogas, equipe do CRAS, gestores, professores e alunos da Escola Socorro Frota.

Comentários