Prefeitura de Brasiléia recebe objetos artesanais da natureza para realizar exposição

Artista plástico (camisa branca) entregou pessoalmente as arte ao prefeito Everaldo Gomes – Fotos: Assessoria Durante os 7 anos que trabalhou encontrando os objetos o senhor Geraldo dos Santos fez...

Artista plástico (camisa branca) entregou pessoalmente as arte ao prefeito Everaldo Gomes - Fotos: Assessoria
Artista plástico (camisa branca) entregou pessoalmente as arte ao prefeito Everaldo Gomes – Fotos: Assessoria

Durante os 7 anos que trabalhou encontrando os objetos o senhor Geraldo dos Santos fez o acabamento e lapidou mais de 300 artes

WILIANDRO DERZE, assessoria PMB

O homem com um olhar destinado a ver as artes da natureza acreana. Assim, podemos descrever a sensibilidade do agricultor Geraldo dos Santos, que faz a lapidação das obras vindas da floresta, dando formas e muitas das vezes somente ajustando-as. Seu trabalho que ganhou notoriedade até internacionalmente por alguns turistas adquiriram algumas artes, foi doado ao município de Brasiléia. Ao todo foram mais de 300 artes retiradas da natureza que passaram por acabamentos.

O senhor Geraldo dos Santos, é natural de São João dos Reis, Minas Gerais e reside em Brasiléia com sua esposa também mineira a mais de 30 anos. Residente no ramal do Alemão no KM 71 da BR 317. Geraldo teve quatro filhos que se destacam pelo trabalho de administrar fazenda e trabalhar com a criação de animais.

A terra acreana deu ao senhor Geraldo a sensibilidade de ver desenhos formados pelo tempo e beleza natural das árvores. A cerca de 7 anos veio encontrando as artes naturais e lapidando-as para ganhar uma forma visual mais atrativa aos olhos de quem não consegue enxergar as belezas vistas exclusivamente por ele.

Produzindo ao longo desses anos mais de 300 artes encontradas na floresta, o agricultor e artesão Geraldo dos Santos fez a doação de mais de 200 artes ao município. O prefeito Everaldo Gomes foi pessoalmente até a casa do senhor Geraldo para receber os objetos armazenado em um pequeno galpão.

Ao lado do prefeito, o senhor Geraldo mostrava as artes que mais se destacavam das inúmeras encontradas e lápidas. “Estou fazendo a doação para que o município faça uma exposição dos objetos que encontrei na floresta. Todas essas artes é fruto da natureza, somente demos um acabamento e melhoramos o visual para que permaneça por muito tempo”, disse Geraldo.

O prefeito Everaldo Gomes disse que o senhor Geraldo dos Santos é um abençoado por Deus e tem a sensibilidade de um artista. “Vemos que o senhor Geraldo observa e acaba vendo coisas que muitos não tem os olhares para encontrar essas artes. Isso é um vocação, um dom de poucos e temos que aproveitar para expor nossas belezas artesanais lapidadas por pessoas dedicadas e trabalhadoras como o senhor Geraldo e sua esposa”, destacou o prefeito.

Depois de 30 anos morando na zona rural de Brasiléia, o agricultor vai se despedir da floresta e viver uma vida na cidade. Com a idade avançada o senhor Geraldo resolver ficar mais perto dos órgãos de saúde para caso precise.

As artes recebidas pelo município podem ser as últimas da coleção feita pelo senhor Geraldo. Tendo em vista que morando na cidade dificilmente encontrará objetos atrativos e curiosos sem a floresta por perto.

Mas o mineiro que tomou Brasiléia e o Acre como sua cidade e Estado querido, deve encontrar outras formas de externar sua sensibilidade de ver as artes na parte urbana do município.

O prefeito ainda vai estudar com sua equipe a forma que vai fazer para realizar a exposição das artes doadas pelo senhor Geraldo dos Santos. Obras que mostrarão o quanto a floresta amazônica é farta de beleza e criatividade natural.

Comentários