Da redação, com ac24horas

O presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), Luiz Camolez, se posicionou sobre a nota divulgada pela secretária de comunicação do governo do Acre, Andrea Zílio, que alegou que seriam de cunho pessoal e não institucional, as criticas proferidas pelo porta-voz do governo, Leonildo Rosas contra a decisão do juiz Giordane Dourado, que condenou em processo de danos morais movido pelo senador Gladson Cameli (PP). Para Camolez, o porta-voz fez uso do cargo público para questionar uma decisão judicial. Leia abaixo, a íntegra do posicionamento do presidente da Asmac:

Em resposta a secretária de Estado de Comunicação, Andréa Zílio, a Associação dos Magistrados do Acre (Asmac), manifestar-se-á sempre quando necessário em prol das prorrogativas dos magistrados, independentemente de aquiescimento.

Extraí-se do texto em questão, desde o início, que a pessoa física fez uso do cargo que é portador, consequentemente definiu a forma de tratamento.

Leonildo Rosas (d), assessora o governador do Acre, Sebastião Viana (e) – Foto: Divulgação

Outrossim, durante o ato de posse da presidente do TJ/AC, restou afirmado por este subscritor que “quebraria os muros existentes”, e, assim o fará quando erguidos forem.

Recentemente, no ato de posse do mais moderno desembargador, acrescentou que a fase atual é de “alianças”, consequentemente, o assunto deve ser resolvido nas vias judiciais e não pela via eleita.

Com espeque nos argumentos utilizados, dou por sanada a questão e conclamo as adoções expostas.

Luís Vitório Camolez
Presidente da Associação dos Magistrados do Acre (Asmac)

Comentários