Conecte-se conosco

Cotidiano

Presidente está bem e ficará três dias em observação, diz Flávio Bolsonaro

Publicado

em

Senador confirmou que o diagnóstico inicial é de que o problema de soluço e dificuldade de discurso do presidente está relacionado com facada sofrida em 2018

Da CNN

O presidente Jair Bolsonaro está se sentindo bem após exames e ficará três dias em observação no hospital, para analisar a necessidade de procedimentos adicionais, informou o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), filho do presidente, em entrevista coletiva após sessão da CPI da Pandemia.

“Falei com o médico dele mais cedo. Ele me tranquilizou, falou para a família ficar calma, que não tinha nada de mais grave acontecendo, que ele estaria em observação. Passou o telefone para ele, um pouco grogue pela anestesia, disse para ficar tranquilo”, afirmou, relatando o estado de saúde de Bolsonaro.

Segundo o senador, não há informação se o presidente precisará passar por uma cirurgia e, em caso positivo, se precisará se afastar pelo cargo, repassando a Presidência momentaneamente ao vice Hamilton Mourão (PRTB).

De acordo com o parlamentar, Bolsonaro ficará essas 72 horas em observação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Flávio Bolsonaro confirmou que o diagnóstico inicial é de que o problema de soluço e dificuldade de discurso do presidente está, a princípio, relacionado com a facada sofrida em 2018.

O senador afirmou que o presidente está com um problema de sono e que familiares defendem uma mudança nos hábitos alimentares e na rotina do pai.

Internação

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) transferido para São Paulo depois de ter sido internado nesta quarta-feira (14) no Hospital das Forças Armadas (HFA), em Brasília. Bolsonaro sentiu dores abdominais durante a madrugada.

O cirurgião gástrico do presidente, Antonio Luiz Macedo, viajou à Brasília para fazer uma avaliação médica de Bolsonaro. Foi dele a decisão de transferir o presidente para a capital paulista.

“Após exames realizados no HFA em Brasília, o Dr. Macedo, médico responsável pelas cirurgias no abdômen do Presidente da República, decorrentes do atentado a faca ocorrido em 2018, constatou uma obstrução intestinal e resolveu levá-lo para São Paulo onde fará exames complementares para definição da necessidade, ou não, de uma cirurgia de emergência”, disse, em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social.

Por conta da internação de Bolsonaro, a reunião com os presidentes do Senado (Rodrigo Pacheco, DEM-MG), da Câmara (Arthur Lira, PP-AL) e do Supremo Tribunal Federal (Luiz Fux), marcada para esta quarta-feira, foi cancelada.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em evento no Palácio do Planalto
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) em evento no Palácio do Planalto no dia 29 de junho de 2021
Foto: Andressa Anholete/Getty Images

Soluços

Por conta da internação de Bolsonaro, a reunião com os presidentes do Senado (Rodrigo Pacheco, DEM-MG), da Câmara (Arthur Lira, PP-AL) e do Supremo Tribunal Federal (Luiz Fux), marcada para esta quarta-feira, foi cancelada.

Nos últimos dias, Bolsonaro vinha se queixando de soluços persistentes, e chegou a citar o problema em transmissão ao vivo nas redes sociais.

Momentos depois do governo confirmar a transferência de Bolsonaro para São Paulo, o perfil do presidente no Twitter publicou uma série de mensagens relembrando o ataque sofrido em 2018 e relacionado o acontecido com partidos de oposição ao seu governo.

“Mais um desafio, consequência da tentativa de assassinato promovida por antigo filiado ao PSOL, braço esquerdo do PT, para impedir a vitória de milhões de brasileiros que queriam mudanças para o Brasil. Um atentado cruel não só contra mim, mas contra a nossa democracia”, escreveu o presidente.

Comentários

Cotidiano

No Acre, profissionais passam por treinamento para otimizar atendimento de ocorrências do serviço emergencial 190  

Publicado

em

Devido à implementação dos sistemas SiapWeb e SiapMobile, durante quatro dias, desde segunda-feira, 29 de novembro até a manhã desta quinta-feira, 2, profissionais responsáveis pelo atendimento/empenho/fechamento das ocorrências passaram por treinamento ofertado pela na empresa “COM Soluções”, representante local da Empresa Digitro de Santa Catarina.

Nessa primeira fase, a ação do Governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), contempla os policiais militares que atuam no Centro Integrado de Comando e Controle – CICC.

As próximas turmas serão destinadas às demais instituições que integram o CICC, ou seja, Polícia Civil, Polícia Penal, Corpo de Bombeiros e DETRAN.

A nova ferramenta, que disponibiliza inúmeras vantagens ao profissional e também ao cidadão, adquirida pelo Governo do Acre, através da Sejusp, será disponibilizada a todas as Forças de Segurança acreanas.

Dentre as vantagens, o sistema permite que a ocorrência seja atendida e finalizada pelas guarnições de rua, por meio de Smartphones, que serão destinados a todas as Forças de Segurança integrantes do CICC, além de oferecer outros recursos, que possibilitam acrescentar imagens, áudio e vídeos ao  Boletim de Ocorrência Policial (BO).

Outra vantagem é um controle maior das ocorrências, no tocante à efetividade do serviço policial prestado, pois há o controle, desde a ligação para o Centro até a sua finalização pelos profissionais que estão na rua executando atendimento.

Outro recurso a destacar é a possibilidade de saber a localização de quem está ligando para o serviço emergencial (190). Desta forma, inibe-se o número de ‘trotes’ recebidos, além de dar uma maior agilidade e celeridade ao atendimento das ocorrências.

O coordenador de Comando e Controle de Operações da Polícia Militar – CCCOPM, capitão Joel Barrozo, destaca a importância da ferramenta para a atividade policial, principalmente para quem está de serviço na rua e também para a comunidade em geral. Segundo o oficial, “a ferramenta dará mais agilidade e celeridade lá na ponta, lá no recebimento da ocorrência na Delegacia da Polícia Civil, onde ele [policial] não precisará ir mais para finalizar o Boletim de Ocorrência, pois já irá fazer o fechamento no próprio Smartphone”.

“Dessa forma, vamos acelerar o serviço e evitar que a guarnição fique muito tempo na delegacia, fazendo o preenchimento do BO, o que possibilita seu retorno mais breve a sua área de atuação, ficando assim disponível para atendimento de outras demandas”, explicou o capitão da PMAC.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Boletim Covid-19: Acre não registra morte e nem caso de infecção por coronavírus neste domingo

Publicado

em

De acordo com o boletim emitido pela Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), o estado não registrou novos casos de infecção por coronavírus neste domingo (5), mantendo o número de infectados em 88.228, em todo o estado.

Até o momento, o Acre registra 251.123 notificações de contaminação pela doença, sendo que 162.840 casos foram descartados e 55 exames de RT-PCR seguem aguardando análise. Pelo menos 86.136 pessoas já receberam alta médica da doença, sendo que 5 seguem internadas.

Nenhuma notificação e óbito foi registrada nas últimas 24 horas, fazendo com que o número oficial de mortes por Covid-19 permaneça 1.849 em todo o estado.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Acreano nascido no Seringal Canadá em Feijó é o novo comandante do Corpo de Bombeiros do Amazonas

Publicado

em

Fonte: acrenews

O coronel Muniz é o novo comandante do Corpo de Bombeiros do Estado do Amazonas. Ele foi nomeado essa semana pelo governador Wilson Lima (PSC) para exercer a maior função da carreira Militar, chefiando uma das maiores corporações do Brasil. A informação teria pouca importância no Acre não fosse um detalhe mais que curioso, o fato de ele ser daqui, daqueles do pé rachado, como se diz no anedotário. Na verdade, ele se chama Orleilso Ximenes Muniz e nasceu, há 46 anos, no seringal Canadá, alto rio Envira, município de Feijó, 344 km distante de Rio Branco.

Coronel Muniz com os irmãos Onildo, Orlando e Sula, que moram no Acre. Foto: cedida

O coronel Muniz é filho do Francisco Paixão Muniz e da dona Maria Zulmira Ximenes. É o caçula de quatro irmãos, Sula, Onildo e Orlando. Quando tinha 16 anos de idade foi a passeio para Manaus, numas férias tiradas pela família, ficou na casa de um tio para estudar e não voltou mais, senão para passear no Acre. Mesmo tendo formado a família no seringal, o casal Paixão e Zulmira se preocupou cedo em levar a gurizada para próximo dos estudos, tanto que todos são formados e trabalham em posições estratégicas no serviço público.

Em selfie tirada pela irmã Sula, que trabalha no Deracre

Até ser nomeado essa semana para o comando do Corpo de Bombeiros do Amazonas, onde vai comandar perto de 1,5 mil homens, o coronel Muniz precisou pagar um preço, renunciando muita coisa para estudar, sempre em escola pública. Terminou o ensino médio em Manaus, se destacando como um dos melhores alunos. Em seguida foi aprovado no vestibular para cursar economia pela Universidade do Amazonas (UFAM), entre os primeiros. Depois foi selecionado para o Exército Brasileiro como oficial temporário, onde ficou sete anos. No concurso para oficiais do Bombeiros, que fez logo após sair do Exército, alcançou a nona colocação.

Essa semana o nome desse acreano, nascido nas barrancas do maior rio de Feijó, saiu no Diário Oficial do Estado do Amazonas, nomeado para ocupar um dos postos mais cobiçados pelos oficiais, o de comandante. Para os amazonenses ele promete a lealdade a tropa e ao governador Wilson, para o Acre nunca esquecer da terra onde nasceu e onde os pais e irmãos vivem. Ao AcreNews o comandante disse estar honrado por ter sido lembrado entre tantos oficiais para comandar uma instituição centenária e mandou um abraço a todos os acreanos na pessoa do governador Gladson Cameli. “Inclusive minha irmã é chefe de gabinete aí no governo dele”, disse. A irmã é a professora Sula, chefe de gabinete da direção do Deracre.

Comentários

Continue lendo

Em alta