Conecte-se conosco

Brasil

Primeiro estudo brasileiro mostra os riscos da Covid-19 em obesos

No país, obesidade foi responsável por 1,33 vezes mais mortes e 1,31 vezes mais entradas de adultos nas UTIs

Publicado

em

Foto: Reprodução/I yunmai/ Unsplash

Rayane Rochada - CNN

O estudo da Rede CoVida, uma parceria entre o Centro de Integração de Dados e Conhecimentos para Saúde da Fundação Oswaldo Cruz da Bahia (Cidacs/Fiocruz Bahia) e a Universidade Federal da Bahia (UFBA), concluiu que pessoas com obesidade têm maior tendência a desenvolver um estágio avançado da Covid-19 se infectadas. Esta é a primeira produção científica com dados usados no Brasil a relacionar Covid-19 e obesidade e corrobora com outras pesquisas desenvolvidas no exterior.

Quando comparada a outras comorbidades, como diabetes ou problemas cardiovasculares, estar acima do peso figura como maior risco de morte para adultos e idosos. A condição foi responsável por 1,33 vezes mais mortes e 1,31 vezes mais entradas de adultos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Pesquisas parecidas já foram desenvolvidas em outros países, como Estados Unidos, China, França, Itália e México. Segundo Natanael de Jesus Silva, um dos autores do estudo, a obesidade já vinha sendo apontada como um grande fator de risco para consequências mais graves da Covid-19 por cientistas estrangeiros.

“Apesar disso, as evidências ainda não eram claras sobre o efeito combinado que a obesidade com outras doenças cardiometabólicas, como a diabetes e as doenças cardiovasculares, desempenham na gravidade da Covid-19. Em especial, em diferentes grupos etários”, explica. “Como se sabe, é muito comum que a obesidade esteja associada a uma série de outros problemas de saúde, principalmente à diabetes e a doenças cardiovasculares. Nossa análise avalia como a combinação dessas três enfermidades pode contribuir na evolução dos pacientes”, acrescentou.

Além de ter sido responsável, sozinho, por 1,33 vezes mais mortes e 1,31 vezes mais entradas de adultos nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), o excesso de peso também levou 2,69 vezes mais brasileiros adultos e idosos a precisarem de ventilação mecânica. Nos idosos, os números são ainda mais preocupantes. Pessoas obesas maiores de 60 anos foram 1,40 vezes mais admitidas em leitos de UTI e morreram 1,67 vezes mais do que as não obesas.

O grupo avaliou dados de mais de 8.848 adultos e 12.945 idosos no Sistema de Informação de Vigilância de Gripe (Sivep-Gripe). Ali, ficam registrados os casos e óbitos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e Covid-19. As informações são disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e foram captadas pela Plataforma de Dados Integrados Sobre Covid-19 (PDI-COVID-19) da Rede CoVida.

Em casos em que, além da obesidade, os pacientes também eram diabéticos ou tinham alguma doença cardiovascular, o número de internações em UTI foi 1,6 vezes mais elevado. Já o de óbitos, chegou a ser 1,79 vezes maior.

Os pesquisadores explicam que alguns fatores podem explicar a relação entre a obesidade e o agravamento das condições dos pacientes infectados pelo coronavírus. O excesso de peso pode causar, por exemplo, descompensação glicêmica e reduzir a elasticidade do tórax. Esses danos dificultam o processo de respiração. Mais do que isso, a doença é associada à apneia do sono e à doença pulmonar obstrutiva. Tudo isso, impede o bom funcionamento dos mecanismos de ventilação.

O comprometimento da resposta imune também é uma das causas que justificam a ligação entre as duas enfermidades. Os cientistas afirmam que o indivíduo com excesso de peso se torna mais vulnerável a infecções. Além disso, o corpo dele produz menos respostas a medicamentos antivirais.

“Com estas evidências, é esperado que todas as pessoas obesas, independentemente do grau de severidade, idade, e existência de outras comorbidades, sejam incluídas no grupo prioritário para vacina contra o SARS-CoV-2. Mesmo os pacientes com níveis menores de obesidade já demonstraram vínculos elevados com o quadro grave de Covid”, destaca Natanael. Atualmente, o Plano Nacional de Imunizações (PNI) prevê como grupo prioritário apenas brasileiros com grau III ou obesidade mórbida. Assim, somente quem tem o IMC igual ou superior a 40 se encaixa nessa prioridade.

Comentários

Brasil

Brasil tem 11,4 mil novos casos de covid-19 e 283 mortes em 24 horas

Publicado

em

Total de pessoas infectadas pela doença sobe para 22,10 milhões

Movimentação de pessoas no centro da cidade no primeiro dia de flexibilização do uso de máscaras ao ar livre no Estado do Rio de Janeiro.

 

O balanço divulgado nessa quarta-feira (1º) pelo Ministério da Saúde registra 11.413 novos casos de covid-19 no Brasil, em 24 horas. Com isso, sobe para 22.105.872 o total de pessoas infectadas pela doença desde o início da pandemia no país. Desse total, 21.339.118 pessoas se recuperaram da doença.

As mortes causadas pelo novo coronavírus no Brasil somam 614.964. Em 24 horas foram notificados 283 novos óbitos. O balanço aponta ainda 151.790 pacientes em acompanhamento.

Os estados com mais mortes por covid-19 são: São Paulo (154.159), Rio de Janeiro (69.082) e Minas Gerais (56.234).

Boletim da Covid-19 de 1º de dezembro de 2021, divulgado pelo Ministério da Saúde
Divulgação/Ministério da Saúde

Vacinação

Segundo painel do Ministério da Saúde, até as 15h13 dessa quarta-feira foram registradas 312.414.788 doses de imunizantes aplicadas em todo o Brasil. O total de doses distribuídas aos estados e ao Distrito Federal chegou a 372.577.092.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Grupo com atuação no tráfico internacional de cocaína é alvo da PF

Publicado

em

Caxias do Sul/RS – A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (2/12) a Operação Manifest, para desarticular organização criminosa dedicada ao tráfico internacional de cocaína através da rota Bolívia-Paraguai-Brasil, com emprego de aeronaves.

 

Os traficantes usavam aviões para o transporte da droga

A Polícia Federal (PF) deflagrou nesta quinta-feira (2) a Operação Manifest, para combater uma organização criminosa com atuação no tráfico internacional de cocaína através da rota Bolívia-Paraguai-Brasil, com uso de aviões.

Segundo a PF, a organização é formada por empresários do setor de aviação agrícola, advogados, pilotos e indivíduos ligados a uma facção criminosa de atuação nacional.

“As investigações iniciaram em dezembro de 2020 a partir de um acidente aéreo ocorrido no município gaúcho de Muitos Capões. Na oportunidade, o avião utilizado para transportar a droga sofreu avarias no momento do pouso e permaneceu escondido, em meio à plantação, por cerca de uma semana”, diz a PF.

Cerca de 150 policiais federais cumprem, desde o início da manhã de hoje, 15 mandados de prisão preventiva e 30 de busca e apreensão. Também estão sendo executadas ordens judiciais para bloqueio de imóveis e contas bancárias, sequestro e apreensão de dez aeronaves e outros veículos, além de bens que estiverem em poder do grupo.

As ações ocorrer nos estados do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina, do Paraná, de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Roraima e no Distrito Federal.

Comentários

Continue lendo

Brasil

Presidente regulamenta auxílio gás e Programa Alimenta Brasil

Publicado

em

Mulheres que foram vítimas de violência doméstica terão preferência

O presidente Jair Bolsonaro participa da solenidade de assinatura dos decretos do Auxílio Gás e do Programa Alimenta Brasil, no Palácio do Planalto

O presidente Jair Bolsonaro editou nesta quinta-feira (2) decreto que regulamenta a Lei 14.237/21, que institui o auxílio gás. O texto detalha regras necessárias à operacionalização do programa, destinado a atenuar o efeito do preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) no orçamento de famílias de baixa renda.

O auxílio será concedido às famílias inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) cuja renda familiar mensal per capita for igual ou inferior a meio salário mínimo e às famílias que tenham, entre seus membros, quem receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC). A edição do decreto viabiliza a implantação do benefício a partir deste mês.

A lei prevê ainda que o auxílio seja concedido preferencialmente às famílias com mulheres vítimas de violência doméstica que estejam sob o monitoramento de medidas protetivas de urgência. Neste sentido, o decreto define que tal concessão será realizada a partir do acesso a informações do banco de dados mantido pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

As famílias beneficiadas terão direito, a cada bimestre, a um valor equivalente a 50% da média do preço nacional de referência do botijão de 13 quilogramas (kg) dos últimos seis meses. O preço de referência será estabelecido pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Programa Alimenta Brasil

Bolsonaro editou também hoje decreto que regulamenta o funcionamento do Alimenta Brasil, programa de aquisição de alimentos de produtores rurais familiares, extrativistas, pescadores artesanais, povos indígenas e demais populações tradicionais. O texto ainda amplia o limite de recursos que cada entidade familiar ou cooperativa pode receber do poder público.

“Não é admissível que nesse Brasil do conhecimento ainda exista brasileiro e brasileira passando fome. A fome não é silenciosa, ela dói”, afirmou o ministro da Cidadania, João Roma, durante a solenidade de assinatura do decreto.

De acordo com o decreto, a partir de 1º de janeiro de 2022, o limite anual de valores pagos a unidades familiares para a aquisição dos alimentos vai aumentar em relação ao antigo programa, da seguinte forma:

Modalidade PPA (antigo) Alimenta Brasil
Compra com doação simultânea R$ 6,5 mil R$ 12 mil
Compra direta R$ 8 mil R$ 12 mil
Incentivo à produção e ao consumo de leite valor anual referente a venda 35 litros de leite por dia R$ 30 mil
Apoio à formação de estoques R$ 8 mil R$ 12 mil
Compra institucional R$ 20 mil R$ 30 mil

Para as cooperativas, o limite anual a ser pago também será aumentado nas modalidades apoio à formação de estoque, que passará de R$ 1,5 milhão para R$ 2 milhões; e compra direta, de R$ 500 mil para R$ 2 milhões. Nas demais modalidades, os limites serão mantidos: compra com doação simultânea, com R$ 2 milhões; e compra institucional, com R$ 6 milhões.

O Programa Alimenta Brasil tem como finalidade incentivar a agricultura familiar, promovendo a inclusão econômica e social dos agricultores familiares mais pobres, além de promover o acesso à alimentação, em quantidade, qualidade e regularidade necessárias, pelas pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Comentários

Continue lendo

Em alta