Conecte-se conosco

Flash

Procuradoria regional encaminha representação por irregularidades na construção de rodovia entre Brasil e Peru

Publicado

em

(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Ouça áudio:

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Acre encaminhou ao Ministério Público Federal uma representação para acompanhar irregularidades cometidas na construção de uma rodovia ligando o Brasil ao Peru. O pedido é de abertura de um inquérito civil que avalie as irregularidades da estrada que cortará terras indígenas e o Parque Nacional da Serra do Divisor, na região do Vale do Juruá (AC).

De acordo com informações do governo estadual, a rodovia que ligará os municípios de Cruzeiro do Sul, no Acre, e Pucallpa, no Peru, já teve os estudos preliminares realizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Segundo o governo, o projeto fechado da estrada deve ser apresentado no final deste ano. O governo federal disponibilizou R$ 45 milhões para as rodovias estaduais e a estrada para Pucallpa, que tem previsão de início das obras para meados de dezembro.

Mas de acordo com a Procuradoria Regional, não houve consulta prévia em relação ao assunto com povos indígenas e comunidades tradicionais interessadas, conforme determina uma convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT).

TCU determina que ANTT cobre atrasos em obras de concessões rodoviárias no país

O que foi divulgado até o momento é que a estrada em questão terá seu traçado por dentro do Parque Nacional da Serra do Divisor, unidade de conservação de proteção integral, considerado um dos locais de maior biodiversidade do planeta, onde estão localizadas duas terras indígenas (Nukini e Nawa). Há indícios, ainda, da existência de grupos indígenas isolados, que circulam entre o Brasil e o Peru.

O procurador regional Lucas Dias reforça a obrigatoriedade da consulta aos povos indígenas e comunidades tradicionais interessadas antes de iniciar o processo decisório. Segundo ele, com a consulta, existe a possibilidade de revisão do projeto inicial ou sua não realização, por afetar diretamente os povos indígenas e tradicionais.

A Procuradoria afirma que a construção desta rodovia pode ser o maior impacto ambiental que o Acre já sofreu nas últimas décadas. O asfaltamento poderá causar diversos impactos sociais às comunidades tradicionais que vivem na região, como violência, prostituição, alcoolismo, surgimento de novas endemias, entre outros, o que poderá levar à desestruturação de sua organização social, econômica, cultural e política.

Fonte: Brasil 61

Comentários

Flash

PM e Civil cumpre mandado de prisão e encontra homicida com comercializando drogas

Publicado

em

Uma guarnição da Polícia Militar e Civil do município de Tarauacá se deslocaram na cidade de Tarauacá na manhã desta segunda-feira dia 16, com a missão de cumprir um mandado de prisão em desfavor de um homicida para ser apresentado no judiciário.

Um homem identificado apenas pelas iniciais A. F. S., era procurado por homicídio. Quando os policiais chegaram no local para apresentar o documento, perceberam que o mesmo estava em atitude suspeita.

Em uma revista junto ao homicida, os policiais foram surpreendidos ao localizar um quantidade de entorpecentes, identificados como cloridrato de cocaína e maconha, caracterizando tráfico e comercio ilegal de substancia não permitida.

O homem recebeu voz de prisão em flagrante delito, sendo conduzido para a delegacia da cidade, juntamente com os entorpecentes. Além de responder por homicídio, irá responder pela posse da droga e possível comercio ilegal, previsto no Código Penal.

Comentários

Continue lendo

Flash

Polícia é recebida a bala em rota do tráfico entre Acre e Peru e troca tiros com traficantes

Publicado

em

SANDRA ASSUNÇÃO

Militares do Grupamento de Operações Especiais, da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, chegavam a uma localidade no Rio Juruá Mirim, no último sábado, 14, quando foram recebidos à bala por quatro homens que estavam em uma residência. O local é conhecido como rota do tráfico na divisa entre Acre e Peru, onde os traficantes buscam a droga que entra no estado.

Os disparos aconteceram quando a guarnição se aproximava do local conhecido como Chico da Quelé. A equipe também atirou contra os indivíduos, que se embrenharam em área de mata e conseguiram fugir.

O objetivo da missão no Rio Mirim era inibir o tráfico de drogas. A área onde aconteceram os disparos, segundo os militares do GOE, já é próxima ao Peru e é conhecida como rota do tráfico.

No Registro feitos pelos policiais e entregue na delegacia de Polícia Civil e para o comandante da PM eles afirmam que “mesmo após buscas pelo raio aproximado, afim de encontrar algum dos indivíduos, até mesmo um deles atingido, não foi possível. Avistamos material que usam para o transporte e acomodação da droga, e também os suprimentos dos indivíduos. Como nada mais contundente foi encontrado, deixamos o local”, citaram os militares.

O comandante da Polícia Militar de Cruzeiro do Sul, tenente coronel Edvan Rogério, disse que novas operações serão feitas no local. “Nossa atuação naquela região é continua e será reforçada. Não vão intimidar a Polícia Militar do Acre com tiros”, afirma.

Comentários

Continue lendo

Flash

Gefron apreende caminhão que transportava gado de origem suspeita no Acre

Publicado

em

Durante o cerco que está sendo feito pelas forças de segurança do estado em Plácido de Castro e região, fechando inclusive a fronteira durante a noite, o Grupo Especial de Fronteira (Gefron), que é responsável pela fiscalização das estradas de acesso ao município, apreendeu 18 reses que eram transportadas de forma ilegal.

Os animais, bem como o caminhão, além do motorista, foram escoltados até à sede do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (IDAF), onde foram aplicadas as multas pelas infrações praticadas. O gado ficou apreendido até que seja apresentada toda a documentação.

No final de semana, 30 homens do Gefron, que eram comandados pelo coordenador do grupo, delegado Rêmulo Diniz, fizeram uma rigorosa fiscalização ao longo da Rodovia AC-40, onde ninguém passava sem ser parado e revistado, especialmente veículos transportando mercadorias e animais.

Comentários

Continue lendo

Em alta