PSD libera deputados para desfiliação e oficializa Petecão ao governo

Para a Câmara dos Deputados a intenção foi menor, com um nome sendo o mais competitivo. Para o Senado foi sugerido o militante Wanderley Zaire. “Eu estou pronto, me sinto preparado para ser governador do meu Estado”, diz o senador Sérgio Petecão/Fotos: Assessoria Em plenária...

0

Para a Câmara dos Deputados a intenção foi menor, com um nome sendo o mais competitivo. Para o Senado foi sugerido o militante Wanderley Zaire.

“Eu estou pronto, me sinto preparado para ser governador do meu Estado", diz o senador Sérgio Petecão/Fotos: Assessoria
“Eu estou pronto, me sinto preparado para ser governador do meu Estado”, diz o senador Sérgio Petecão/Fotos: Assessoria

Em plenária realizada neste sábado (3) na Câmara Municipal de Epitaciolândia, o Partido Social Democrático deliberou pela liberação de seus dois deputados estaduais, Marileide Serafim e Chico Viga, para a desfiliação sem risco de perda de mandato. A decisão foi tomada por unanimidade por o partido considerar que os parlamentares não estarem seguindo as diretrizes.

Outro momento importante foi a oficialização da candidatura do senador Sérgio Petecão ao Governo do Estado em 2014.

Entre os filiados que fizeram uso da palavra a principal reclamação foi por conta de a bancada na Assembleia Legislativa apoiar o governo do PT, enquanto no Acre a legenda faz oposição. Nesta semana a executiva estadual comunicará aos deputados a decisão, convidando-os para que deixem o PSD.

Em plenária realizada neste sábado (3) na Câmara Municipal de Epitaciolândia, o Partido Social Democrático deliberou pela liberação de seus dois deputados estaduais, Marileide Serafim e Chico Viga, para a desfiliação sem risco de perda de mandato. A decisão foi tomada por unanimidade por o partido considerar que os parlamentares não estarem seguindo as diretrizes.

Outro momento importante foi a oficialização da candidatura do senador Sérgio Petecão ao Governo do Estado em 2014.

Entre os filiados que fizeram uso da palavra a principal reclamação foi por conta de a bancada na Assembleia Legislativa apoiar o governo do PT, enquanto no Acre a legenda faz oposição. Nesta semana a executiva estadual comunicará aos deputados a decisão, convidando-os para que deixem o PSD.
“Nós não temos nada contra as pessoas dos parlamentares, mas o fato é que o comportamento deles está nos colocando numa situação difícil. É melhor perdermos estes deputados do que fingirmos tê-los”, disse o presidente do PSD no Acre, o senador Sérgio Petecão.

Os filiados reclamaram que a postura de Marileide Serafim e Chico Viga prejudicam o processo de construção das candidaturas do partido. “Enquanto nós estamos aqui fazendo oposição, enfrentando o governo, eles estão com mandatos e prejudicam nossos candidatos a deputados no próximo ano”, afirmou um dos militantes, Reginaldo Cordeiro.

Na plenária foi proposta a criação do conselho de ética para que passe a acompanhar estes “conflitos de interesse”, além de orientar os membros para que possam se manifestar de forma unificada.

O PSD decidiu que em 2014 terá candidatura própria ao governo do Acre num processo de fortalecimento do partido no Acre
O PSD decidiu que em 2014 terá candidatura própria ao governo do Acre num processo de fortalecimento do partido no Acre

Candidatura ao governo

O PSD ainda decidiu que em 2014 terá candidatura própria ao governo do Acre num processo de fortalecimento do partido no Acre. Os militantes aclamaram o nome do senador Petecão como candidato, destacando-o como a alternativa ao atual projeto em execução no Estado.
Em discursos, os filiados ressaltaram o senador como um legítimo representante do povo, tendo seu mandato e as portas de sua casa sempre abertas para a população mais pobre.

Petecão foi destacado como o candidato da oposição mais preparado por sua trajetória política, que iniciou como presidente da Assembleia Legislativa por oito anos, deputado federal e desde 2011 ocupando a cadeira de Senador da República.

“Eu estou pronto, me sinto preparado para ser governador do meu Estado. Eu não vou disputar a eleição sozinho, só vou se tiver o apoio do conjunto do
partido”, afirmou ele. O senador voltou a defender a tese das duas candidaturas como melhor forma da oposição enfrentar o governo. Em caso de segundo turno, disse ele, a oposição estará toda unida.

Bancada

Para auxiliar Petecão na candidatura majoritária, a plenária do PSD tratou das proporcionais. Pelo menos 10 filiados mostraram interesse em disputar a Assembleia Legislativa. Para a Câmara dos Deputados a intenção foi menor, com um nome sendo o mais competitivo. Para o Senado foi sugerido o militante Wanderley Zaire.

Comentários

Assuntos desta notícia