Conecte-se conosco

Cotidiano

Quase metade dos adultos no AC admite não usar cinto de segurança no banco de trás, aponta pesquisa

No estado, 51,4% das pessoas de 18 anos ou mais informaram que usam cinto de segurança quando andam trás e 75,9% quando andam no banco da frente. Dados são da Pesquisa Nacional da Saúde publicada na última sexta (7).

Publicado

em

Quase metade dos adultos no Acre admitem não usar o cinto de segurança no banco de trás, aponta IBGE — Foto: André Paixão/G1

Por Iryá Rodrigues

Não usar o cinto de segurança ao andar no banco de trás de um carro é um hábito de quase metade dos acreanos com 18 anos ou mais. É o que mostra a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), referentes a 2019, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) na última sexta-feira (7).

No Acre, os dados apontam que 51,4% dos adultos admitiram colocar sempre o cinto de segurança no banco de trás, enquanto 48,6%% não usam frequentemente.

Esse percentual de pessoas que usam o acessório de segurança no Acre ficou um pouco abaixo da médica nacional, que é de 54,6%. O Amapá foi o estado com menor percentual do país, com apenas 34%.

De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), o uso de cinto de segurança é obrigatório a todos os ocupantes de um veículo, inclusive no banco de trás. A infração é considerada grave e resulta em multa de R$ 195,23 e perda de pontos na carteira.

O uso do cinto de segurança é um dos principais alertas da campanha “Maio Amarelo”, que durante todo o mês promove ações visando a correta postura no trânsito e a redução de acidentes e mortes em ruas e rodovias.

No banco da frente

Já com relação aos adultos que dizem usar o cinto de segurança no banco da frente, o indicador se eleva, mas ainda é um alerta. São 74,7% dos acreanos que sempre usam o equipamento, entre motoristas e caronas.

Com os dados, é possível concluir que 25,3% dos acreanos não se protegem sempre com o cinto no banco da frente. As mulheres apresentaram percentual mais elevado do que os homens. 76,6% delas relataram sempre usar cinto de segurança no banco da frente, enquanto que, para os homens, este percentual foi de 72,7%.

Com relação à idade que mais usa o acessório de segurança no banco da frente, 87,8% são pessoas de 60 anos ou mais, ao passo que entre os mais jovens, entre 18 e 29 anos, o percentual chega a 65,4%.

Uso de capacete

O uso do capacete também é fundamental e obrigatório por lei no Brasil, para todos os motociclistas e garupas. É o equipamento para condutores e passageiros de motocicletas e similares que, quando utilizado corretamente, minimiza os efeitos causados pelo impacto em um eventual acidente.

No Acre, das pessoas que informaram dirigir motocicleta, 91,1% sempre usavam capacete. Entre as pessoas com maior escolaridade este percentual foi o mais alto (91,3%) e entre aquelas com menor escolaridade, foi o mais baixo (85,8%).

A proporção de pessoas de 18 anos ou mais de idade que usavam capacete como passageiros de motocicleta foi de 91,6%, no Acre. As pessoas com maior nível de instrução apresentaram os maiores percentuais desse indicador, 92,6% para o ensino médio completo e superior incompleto e 94,1% superior completo.

Rio Branco registrou mais 530 acidentes de trânsito nos três primeiros meses de 2021 — Foto: Ascom/PM-Acre

Acidentes de trânsito

A capital acreana registrou mais 530 acidentes de trânsito nos três primeiros meses de 2021, segundo dados divulgados pelo Departamento Estadual de Trânsito do Acre (Detran-AC). Os dados não incluem acidentes registrados nas rodovias federais do estado, que são de responsabilidade da Polícia Rodoviária Federal (PRF-AC).

Somente em janeiro deste ano, foram 193 acidentes de trânsito na capital. Em fevereiro, foram 171 e março contabilizou 172 casos. Apesar do número alto, se comparado com o mesmo período do ano passado, os casos de acidente de trânsito nos primeiros três meses em Rio Branco caíram 27,96%. Isso porque de janeiro a março de 2020 foram registrados 744 acidentes.

Conforme o levantamento, Rio Branco teve um total de duas vítimas fatais nos três primeiros meses de 2021, sendo uma em janeiro e uma em fevereiro. No mesmo período no ano passado, o número de mortes no trânsito chegou a nove na capital, sendo uma em janeiro, seis em fevereiro e duas em março.

Os dados mais recentes levantados pelo Detran-AC em relação a todo o Acre são referentes ao ano passado. De janeiro a dezembro de 2020, foram registrados 3.744 acidentes de trânsito no estado. O número é 20% menor que o registrado em 2019, quando foram contabilizados 4.692 acidentes.

Já com relação ao número de mortes por acidente de trânsito, o ano passado fechou com 3% a mais que no ano de 2019. Segundo os dados do Detran, 62 pessoas morreram no trânsito no Acre entre janeiro e dezembro de 2020, enquanto que 60 morreram no ano anterior.

Comentários

Cotidiano

Com vaga na 2ª fase, Rio Branco-AC ganha R$ 150 mil da CBF; Humaitá também é contemplado

Publicado

em

Por

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se reuniu com os dirigentes dos clubes que disputam o

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se reuniu com os dirigentes dos clubes que disputam o Campeonato Brasileiro da Série D, nessa terça-feira (5), no Rio de Janeiro (RJ). O presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, anunciou que R$ 9,4 milhões serão distribuídos entre os 64 clubes participantes.

Presidente Igor Cotta (E) e o vice-presidente Max Araújo (D), ao lado do presidente da CBF e da FFAC — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Presidente Igor Cotta (E) e o vice-presidente Max Araújo (D), ao lado do presidente da CBF e da FFAC — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Rio Branco-AC e Humaitá, representantes acreanos nesta temporada, foram contemplados. Com classificação garantida para segunda fase da Série D, o Estrelão embolsará R$ 150 mil. Já o Tourão de Porto Acre, que caiu na primeira fase, terá direito a R$ 120 mil.

No encontro, ficou acertado que o campeão da Série D receberá R$ 500 mil e o vice R$ 300 mil. Ou seja, o clube que assegurar o título da quarta divisão embolsará R$ 650 mil. Outra novidade anunciada foi a implantação do árbitro assistente de vídeo (VAR), que será usado a partir das quartas de final.

O Rio Branco-AC é vice-líder do grupo 1 com 24 pontos e o Humaitá ocupa a sétima e penúltima posição com seis pontos. Os dois times voltam a campo no próximo domingo (10).

O Estrelão pega o São Raimundo-AM no estádio da Colina (AM), às 16h, e o Tourão de Porto Acre recebe o Porto Velho-RO no estádio Florestão, na capital acreana, a partir das 18h. Jogos no horário de Brasília.

 nessa terça-feira (5), no Rio de Janeiro (RJ). O presidente da entidade, Ednaldo Rodrigues, anunciou que R$ 9,4 milhões serão distribuídos entre os 64 clubes participantes.

Presidente Igor Cotta (E) e o vice-presidente Max Araújo (D), ao lado do presidente da CBF e da FFAC — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Presidente Igor Cotta (E) e o vice-presidente Max Araújo (D), ao lado do presidente da CBF e da FFAC — Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Rio Branco-AC e Humaitá, representantes acreanos nesta temporada, foram contemplados. Com classificação garantida para segunda fase da Série D, o Estrelão embolsará R$ 150 mil. Já o Tourão de Porto Acre, que caiu na primeira fase, terá direito a R$ 120 mil.

No encontro, ficou acertado que o campeão da Série D receberá R$ 500 mil e o vice R$ 300 mil. Ou seja, o clube que assegurar o título da quarta divisão embolsará R$ 650 mil. Outra novidade anunciada foi a implantação do árbitro assistente de vídeo (VAR), que será usado a partir das quartas de final.

O Rio Branco-AC é vice-líder do grupo 1 com 24 pontos e o Humaitá ocupa a sétima e penúltima posição com seis pontos. Os dois times voltam a campo no próximo domingo (10).

O Estrelão pega o São Raimundo-AM no estádio da Colina (AM), às 16h, e o Tourão de Porto Acre recebe o Porto Velho-RO no estádio Florestão, na capital acreana, a partir das 18h. Jogos no horário de Brasília.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Casagrande deixa a Globo em comum acordo

Publicado

em

Por

Comentarista encerra passagem pela emissora depois de 24 anos

Depois de 24 anos, Walter Casagrande Júnior não faz mais parte da equipe de comentaristas da Globo. Em comum acordo, o ex-jogador e a empresa encerraram o vínculo nesta quarta-feira.

Casagrande cobriu seis Copas do Mundo pela Globo, além de centenas de jogos de competições nacionais e internacionais. Casão teve participações marcantes em programas da Globo e do sportv e mantinha um blog no ge.globo.

— Vim aqui para comunicar que depois de 25 anos de TV Globo, seis Copas do Mundo, cinco finais, incluindo a de 2022 com dois gols do Ronaldo, três Olimpíadas e diversas finais de campeonatos por aí, meu ciclo acabou. Estou saindo da TV Globo hoje. Não faço mais parte do grupo de esportes da TV e vou seguir minha estrada. Na realidade, acho que foi um alívio para os dois lados. Um beijo a todos — disse Casão em suas redes sociais.

A Globo divulgou nota sobre a saída de Casagrande:

“Como jogador, Walter Casagrande Júnior escreveu uma história importante dentro de campo: ídolo do Corinthians, onde foi protagonista da Democracia Corintiana, teve passagem pelo futebol europeu e também defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1986. Fora dos gramados, a trajetória foi também de sucesso. Há 25 anos ele exerce a função de comentarista, 24 deles na Globo. Um período marcado por grandes momentos, conquistas, emoções, superação e pela autenticidade, uma de suas marcas registradas. Em comum acordo, a parceria entre Globo e Casagrande chega ao fim, mas suas análises estarão para sempre marcadas no almanaque das transmissões de futebol da televisão brasileira”.

Blog do Casagrande — Foto: Globo/Fábio Rocha

Blog do Casagrande — Foto: Globo/Fábio Rocha

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Conmebol vai analisar imagem de torcedores do Corinthians rasgando dinheiro na Bombonera

Publicado

em

Por

Unidade Disciplinar da Conmebol pode punir o Timão caso defina como necessário

A Conmebol, por meio de sua Unidade Disciplinar que julga casos passíveis de punições, vai analisar uma imagem em que torcedores do Corinthians rasgam notas de pesos argentinos na arquibancada da Bombonera, em Buenos Aires, na última terça-feira, em jogo da Libertadores.

Antes da partida que definiu a classificação do Timão às quartas da Libertadores, dois corintianos foram fotografados rasgando notas da moeda argentina.

A imagem foi repercutida pela imprensa local e, nesta quarta-feira, ficou decidido que ela será analisada pela entidade. A informação foi publicada por Marcel Rizzo, colunista do UOL, e confirmada pelo ge. Ainda não foi aberto um Expediente Disciplinar contra o Corinthians.

Torcedores do Corinthians rasgam cédula em jogo contra o Boca — Foto: Marcelo Endelli/Getty Images

Torcedores do Corinthians rasgam cédula em jogo contra o Boca — Foto: Marcelo Endelli/Getty Images

O que pode acontecer com o Corinthians? O Código Disciplinar da Conmebol aponta, no Artigo 7, as possíveis punições que um clube pode receber, que vão de multa até portões fechados. Já no Artigo 10.2 é onde aparece o caso em que o clube pode ser punido.

“2. As sanções disciplinares previstas no Artigo 7 deste Regulamento podem ser impostas às Associações Membro e aos Clubes em casos de comportamento incorreto

d) O uso de gestos, palavras, objetos ou outros meios para transmitir qualquer mensagem inadequada em um evento esportivo, principalmente se for de natureza política, ofensiva ou provocativa.”

No dia 24 de junho, a Conmebol multou o Corinthians em 30 mil dólares exatamente por uma “infração ao artigo 10.2 literal d”. Na ocasião, no jogo válido pela fase de grupos, na Bombonera, a punição se deu pelo mesmo motivo que o clube pode ser julgado agora.

“1º. IMPOR ao SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA uma multa de USD 30.000 (TRINTA MIL DÓLARES AMERICANOS) pela infração ao artigo 10.2 literal d) do Código Disciplinar da CONMEBOL. O valor desta multa será debitado automaticamente da quantia que o SPORT CLUB CORINTHIANS PAULISTA receberá da CONMEBOL por direitos Televisivos ou de Patrocínio.”

Sede da Conmebol — Foto: Divulgação

Sede da Conmebol — Foto: Divulgação

Vale lembrar que a Conmebol já está no processo de julgamento dos casos de racismo que aconteceram em Corinthians x Boca na Neo Química Arena, no jogo de ida das oitavas de final. Um Expediente Disciplinar contra o time argentino já foi aberto por esse terceiro caso.

No primeiro, registrado na arena do Timão, no dia 26 de abril, ainda na primeira fase da competição, a punição ao Boca demorou quase um mês para acontecer. A pena foi de US$ 30 mil (cerca de R$ 143 mil na cotação atual).

Já no dia 17 de maio, o Corinthians visitou o Boca Juniors na Argentina e, novamente, foram gravados casos de racismo nas arquibancadas. A punição aconteceu no dia 25 de junho e foi de 100 mil dólares (cerca de R$ 524 mil na cotação atual) – o clube pode recorrer até este sábado.

Comentários

Continue lendo

Em alta