IMG_9368
Brasiléia é localizada na parte mais baixa da fronteira e vem sendo coberta por muita fumaça – Foto: Alexandre Lima

Alexandre Lima

As pequenas cidades localizada na fronteira (Brasiléia e Epitaciolândia), vem sofrendo com o resultado das queimadas que vem crescendo no estado do Acre, países vizinhos e estados como Rondônia e Mato Grosso.

Como resultado das queimadas descontroladas, Brasiléia que fica localizada na parte baixa da fronteira, sofre mais com a fumaça que se acumula sobre a cidade. Na manhã desta quarta-feira, dia 3, se p6ode ver um pouco do que pode e estar por vir nos próximos meses.

O nível da fumaça registrada nesta quarta, está próximo dos anos de 2005 e 2006, quando o Acre e estados vizinhos foram tomados por sua pior seca, causando uma onde queimadas ao ponto de colocar parte o Brasil em alerta, principalmente a Reserva Chico Mendes, que teve parte de sua mata consumida pelo fogo, sendo necessário a presença de brigadistas de Brasília (DF), para combater o fogo.

IMG_9365Como resultado, os alvos principais de doenças, são os idosos e crianças, que buscam o sucateado hospital Raimundo Chaar, em busca de atendimentos relacionados a respiração, pelo calor, fumaça e outros problemas.

Os meses de agosto e setembro, segundo especialistas, serão os mais quentes dos últimos anos e não se tem previsão de chuva nos próximos dias. Os médicos pedem o consumo de muito líquido e evitar o sol nesses dias.

Comentários