Detentos se rebelaram após visita de familiares em Ariquemes.
Segundo Sesdec, apenados querem saída da atual direção.

Rebelião está acontecendo há mais de 24 horas (Foto: Reprodução/ WhatsApp)
Rebelião está acontecendo há mais de 24 horas
(Foto: Reprodução/ WhatsApp)

Do G1 Ariquemes e Vale do Jamari

Cerca de 220 presos da Casa de Detenção de Ariquemes (RO), na região do Vale do Jamari, fazem uma rebelião há mais de 24 horas na unidade. Conforme a Polícia Militar (PM), o motim começou na tarde de sábado (20), depois que 90 famílias entraram no local para o horário de visitas. De acordo com a Polícia Militar (PM), os presos quebraram os cadeados das celas e estão soltos no corredor. Dois apenados estão amarrados e são mantidos reféns no local. Os detentos exigem a saída do diretor da Casa de Detenção, Heber Carvalho dos Santos. Ainda não há registro de feridos.

A rebelião na unidade iniciou depois do horário de visita, quando os presos passaram a exigir a troca de direção. Segundo a PM, familiares de 97 apenados, que entraram para a visita no sábado, ainda estão dentro da unidade, pois querem garantir que os presos envolvidos na rebelião não sofram punições. Nenhum familiar está sendo feito refém.

A Polícia Militar (PM) e o Grupo de Operações Especiais (GOE) foram acionados para controlar a situação. Conforme a Casa de Detenção, a unidade abriga atualmente 384 detentos.

O Governo do Estado de Rondônia, por meio da Secretaria de Estado da Cidadania e Secretaria de Estado da Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), informou que todas as providências foram tomadas para restabelecer a ordem e disciplina na unidade prisional, assegurando os direitos dos internos e também  garantir a segurança da população.

Segundo a Secretaria Estadual de Justiça de Rondônia (Sejus), o diretor da Casa de Detenção de Ariquemes(CDA), Heber Carvalho dos Santos, já foi substituído, e não há nenhuma pessoa ferida dentro da unidade.

Faixa de facção foi deixada na biblioteca da cidade (Foto: Willian Andrade/ Rede Amazônica)
Faixa de facção foi deixada na biblioteca da cidade (Foto: Willian Andrade/ Rede Amazônica)

Ataques
A Sesdec investiga se a rebelião na unidade tem relação com alguns ataques ocorridos em Ariquemes, desde a tarde de sábado. Até este domingo (21), a PM registrou três ataques, entre elas a tentativa de atear fogo na Biblioteca Municipal. No local foi deixada uma faixa de uma facção criminosa.

Durante a madrugada deste domingo, o vidro de um carro foi quebrado um caminhão teve os pneus incendiados, mas o fogo foi controlado por moradores. Por medida de segurança, o governo reforçou a segurança na cidade.

Confira na íntegra a nota divulgada pela Sejus:
Ariquemes está nesse momento recebendo reforço policial de Porto Velho e de outras localidades do Estado para garantia da segurança da população nas ruas e instituições públicas e privadas. Além do reforço recebido no sábado, mais 75 policiais do grupo de operações especiais (GOE), chegaram na cidade neste domingo em apoio a segurança da unidade prisional de Ariquemes.

Reforços da Policia Civil, Militar e Corpo de Bombeiros já estão nas ruas  para garantir a paz e tranquilidade dos cidadãos. Para estabilidade interna na Casa de Detenção de Ariquemes o reforço com maior número de servidores.

Comentários