Conecte-se conosco

Cotidiano

Relatório da PF mostra ação de políticos e empresas laranjas no desvio de vernas em Cruzeiro do Sul

Publicado

em

Consta no relatório das investigações que mais de R$ 18 milhões da prefeitura podem ter sido desviados pelo grupo

A Tribuna

A Polícia Federal no Acre, elaborou relatório sobre a operação Acúleo, realizada em Cruzeiro do Sul que aponta os mandantes e demais envolvidos em suposto grupo criminoso que atuou na prefeitura de Cruzeiro do Sul entre 2010 e 2017.

Foram incluídos no relatório o ex-prefeito Vagner Sales e o filho, atual candidato à prefeitura de Cruzeiro do Sul pelo MDB, Fagner Sales, principais suspeitos de serem mandantes do grupo.

Outros nomes apontados como lideranças do grupo são o presidente da Assembleia Legislativa do Acre, deputado Nicolau Jr., e o prefeito cassado de Cruzeiro do Sul, Ilderlei Cordeiro (os dois do Progressistas).

Consta no relatório das investigações que mais de R$ 18 milhões da prefeitura podem ter sido desviados pelo grupo, que operou com a participação de servidores públicos municipais e representantes da iniciativa privada, que atuavam como ‘laranjas’ dos líderes do grupo criminoso.

Vinte pessoas têm seus nomes apresentados no relatório produzido pelo Núcleo Operacional de Desvio de Recursos Públicos da Polícia Federal.

Empresas suspeitas

As investigações identificaram transações bancárias suspeitas entre proprietários de duas empresas do ramo da construção civil e o ex-prefeito Vagner Sales, o filho Fagner e o deputado Nicolau Jr. O prefeito cassado Ilderlei Cordeiro consta do relatório pelo fato de que parte significativa dessas transações ocorreram no seu governo e com a participação de um dos seus secretários.

Grandes somas de dinheiro foram sacadas em espécie, na ‘boca do caixa’, o que a PF classifica como uma tentativa de ocultar a sua destinação final. Mas o cruzamento das informações revelou que esses saques coincidiam com valores depositados nas contas dos políticos mencionados ou com pagamento de bens a eles pertencentes.

A principal empresa ligada ao esquema é a C P Rosas Construções, que tem como sócios-proprietários os irmãos Cleilson e Cleilton Pinheiro Rosas. O relatório policial, porém, indica que ambos são apernas laranjas e que os verdadeiros donos da construtora sejam Vagner Sales e o filho Fagner.

Entre 2010 e 2016, a C P Rosas faturou, em contratos firmados com a prefeitura – então comandada por Vagner Sales – um total de R$ 18.812.893,51. E entre os anos de 2017 e 2019 – quando Ilderlei Cordeiro já estava na cadeira de prefeito –, o faturamento foi de R$ 3.795.221,86.

De acordo com a PF, mais de 92% dos recursos recebidos pela construtora têm origem nos cofres públicos.

Eis a tabela de pagamentos para a empresa:

Estranho, segundo o relatório foi que 57% dos recursos destinados à empresa pela prefeitura de Cruzeiro do Sul tenham sido sacados em espécie, “gerando forte indício de que os reais destinatários dos valores recebidos pela empresa precisariam recebê-los de modo obscuro”, conforme o relatório policial.

Para a PF, outro indício de que os irmãos Pinheiro não passam de ‘laranjas’ do suposto esquema é a distribuição do dinheiro amealhado pela construtora. Entre 2014 e 2018, Cleilson fez 74 transferências bancárias, num total superior a R$ 1,8 milhão (ou 99,6%), enquanto Cleilton movimentou meros R$ 8 mil em 6 operações bancárias (ou 0,4% do total de transações).

Poucas posses

Os irmãos Cleilton e Cleilson Pinheiro Rosas eram pessoas de poucas posses até entrar no ramo da construção civil, em 2009, mesmo ano em que Vagner Sales assumiu a prefeitura de Cruzeiro do Sul. Naquela época, segundo as investigações, apenas Cleilton possuía veículo próprio: uma motocicleta avaliada em pouco mais de R$ 2,7 mil.

Antes de 25 de agosto de 2009, Cleilton trabalhou no Iapen e na Polícia Militar, sendo que sua renda anual declarada em 2010 era R$ 17.100,00. Em novembro de 2010, porém, ele entrou com participação de 50% e Capital Social de R$ 250 mil na C P Rosas Construções Ltda.

Antes de 25 de agosto de 2009 não há registros ou nem ao menos divulgação em Diário Oficial de que Cleilson Rosas tenha tido um trabalho com registro em carteira.

Ele e o irmão não possuíam patrimônio ou mesmo um histórico de bens móveis e imóveis condizentes com os valores milionários movimentados a partir da assinatura de contratos com a prefeitura.

O negócio tampouco se mostrava promissor. Funcionando em uma sala alugada na Rua Rui Barbosa, número 156, sala 01, térreo da Catedral, no centro, a firma não dispunha de sede com estrutura mínima de pátio, almoxarifado e galpão. E nem veículos e equipamentos compatíveis com os serviços prestados (ônibus ou micro-ônibus para o transporte de funcionários, maquinários de construção civil e caminhões-caçamba, entre outros), como aponta o relatório.

Ainda assim, a empresa conseguiu multiplicar sua receita de R$ 263 mil em 2010 para R$ 3,4 milhões em 2012.

Saques

Outro aspecto suspeito é o volume financeiro que saiu das contas da construtora C P Rosas por meio de saques. De 1º de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2017, foram realizadas 1.046 retiradas das contas correntes da construtora, num total de aproximadamente R$ 10 milhões.

Eis o detalhamento desses saques, segundo a Polícia federal

Por meio de diligências, a PF constatou ainda que Cleilton utilizava um veículo registrado no nome de Vagner Sales.

Depósitos para Vagner Sales

A Polícia Federal afirma ter encontrado nas contas de Vagner Sales, entre 1º de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2017, 140 depósitos com valores acima de R$ 1 mil, sem identificação de origem. O total em depósitos é de R$ 1.012.952,40.

Fagner Sales também é apontado pela PF como ‘dono’ da construtora C P Rosas. As investigações encontraram em seu histórico bancário uma transferência, datada de 16 de novembro de 2017, no valor de R$ 5 mil, proveniente da conta corrente de titularidade de Cleilson Rosas.

Diz o relatório que “além disso, também é relevante a transferência de R$ 8.000,00 em 17/03/2017 que FAGNER SALES recebeu de MARIO NETO, secretário de planejamento à época (…). Basicamente, após receber R$ 88.000,00 da construtora C P ROSAS, MÁRIO NETO efetua esta transferência para FAGNER SALES, e ainda, não menos importante é o fato de que, quase um mês depois, MÁRIO NETO paga um boleto de R$ 93.644,04, EXATAMENTE o valor do JEEP COMPASS adquirido em nome da empresa E. F. J. SALES & CIA LTDA – ME, cujo sócio é FAGNER SALES”, diz o relatório policial.

Outras transações suspeitas envolvem o atual candidato do MDB Fagner Sales e Francisco das Chagas Amorim (que ocupou cargos em comissão na Secretaria de Saúde do município durante a gestão de Vagner Sales). Duas transferências chamaram a atenção da PF: uma, de R$ 36 mil, em 19 de novembro de 2015, e a outra de R$ 8 mil, no dia 9 agosto de 2017. Ambas foram feitas por Amorim a Fagner. Dois meses após a primeira transação bancária, Amorim recebeu um depósito de R$ 20 mil proveniente da conta corrente de titularidade da C P Rosas Construções.

Nicolau Junior

Afastado por 90 dias das suas funções na presidência da Assembleia Legislativa do Acre, por determinação do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), Nicolau Júnior é um dos 20 implicados nas investigações da PF.

Ele foi alvo da “Operação Acúleo”, em setembro deste ano, quando os policiais federais encontraram em sua residência, dentro de um cofre, mais de R$ 121 mil.

Em nota, o parlamentar disse que o dinheiro era resultado de ‘atividades empresariais e de produtor rural’.

No relatório da PF, foram descritos cinco lançamentos a débito na conta corrente de titularidade da construtora C P Rosas destinados a Nicolau Júnior, entre 2014 e 2016.

Diz o relatório da PF: “Além disso, chama atenção também que quatro destes lançamentos não foram simples transferências. Via de regra, são depósitos feitos após um saque na conta corrente da construtora C P ROSAS (descrito como SAQUE COM CARTÃO), isso levanta indícios que tal tipo de lançamento pode ter sido feito para tentar ocultar o fluxo do recurso. Este tipo de operação acaba por esconder de imediato a origem e a destinação do montante, sendo necessário recorrer a outros documentos (fitas de caixa) para tentar elucidar remetente ou destinatário dos valores”.

A PF afirma que esses lançamentos totalizam R$ 295 mil, oriundos da conta bancária da construtora. Os policiais federais analisaram o balanço da empresa do deputado para conferir se o valor se justificaria por meio de atividade produtiva, conforme ele alegou em nota. Mas os dados apontaram que apenas R$ 41,2 mil foram declarados como receita de venda de mercadorias no ano de 2016.

Comentários

Cotidiano

Rio Branco e Amazonas duelam pela ponta da tabela no Brasileirão neste sábado

Publicado

em

O Rio Branco entra em campo pelo Campeonato Brasileiro da Série D neste sábado, 22, no estádio Florestão, a partir das 16 horas.

O adversário é o Amazonas, equipe que tem a melhor campanha até agora no Grupo 1 do Brasileirão. A equipe amazonense tem 13 pontos em cinco jogos, sendo quatro vitórias e apenas um empate. A equipe ainda não perdeu na competição.

Essa será a segunda partida do técnico Bruno Monteiro à frente do Rio Branco e quando pela primeira vez teve uma semana para trabalhar com os atletas. Bruno assumiu dois dias antes da vitória contra o Náutico de Roraima na semana passada por 4 a 1 fora de casa. O treinador tem a volta do atacante Wanderson que estava suspenso e também vai ter o volante Marcão, recém contratado à disposição para ser usado na partida.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Em meio à crise, Flamengo encara Goiás neste sábado pelo Brasileiro

Publicado

em

Duelo às 16h30 no Maracanã

 

Após uma semana turbulenta, o Flamengo recebe o Goiás na tarde deste sábado (21) no Maracanã, pela sétima rodada da Série A Campeonato Brasileiro. Com apenas seis pontos em seis jogos, o Rubro-Negro busca a vitória para se distanciar da zona de rebaixamento. Já o Goiás, com oito pontos, no meio da tabela, chega com moral após duas vitórias seguidas na competição, a última delas contra o Santos por 1 a 0. O embate Fla x Goiás, a partir das 16h30, será transmitido ao vivo na Rádio Nacional, com narração de André Luiz Mendes, comentários de Bruno Mendes, reportagem de Rafael Monteiro e plantão de notícias com Wagner Gomes.

 

 

Além da expectativa por um resultado positivo em campo, os torcedores rubro-negros aguardam esclarecimentos da diretoria do clube sobre os atritos envolvendo o goleiro Diego Alves, o técnico Paulo Sousa e o diretor-executivo Bruno Spindel. Além dos três, o vice-presidente Marcos Braz também participará de coletiva conjunta após o duelo contra o Goiás.

Do lado rubro-negro, o técnico Paulo Sousa poderá contar com o zagueiro David Luiz, que ficou de fora do embate pela Libertadores na última terça (17) – o time superou em casa Universidad Católica (Chile) por 3 a 0. O jogador treinou nos últimos dois dias e pode substituir Rodrigo Caio que jogou no meio da semana.

 

 

Já o Goiás, comandado por Jair Ventura, terá o retorno dos jogadores Sidney e Henrique Lordelo, que cumpriram suspensão no duelo contra o Santos, na última rodada. Quem também estará à disposição do treinador será o zagueiro Sidnei, que vinha sendo poupado devido a desconforto muscular na panturrilha. O desfalque do Esmeraldino neste sábado (21) será o atacante Vinícius, que se recupera de uma lesão na coxa esquerda.

Comentários

Continue lendo

Cotidiano

Mega-Sena sorteia neste sábado prêmio acumulado em R$ 53 milhões

Publicado

em

Apostas podem ser feitas até as 19h

As seis dezenas do concurso 2.483 serão sorteadas, a partir das 20h, no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, na cidade de São Paulo.

A Mega-Sena sorteia neste sábado (21) um prêmio acumulado em R$ 53 milhões. As seis dezenas do concurso 2.483 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço da Sorte, localizado na Avenida Paulista, nº 750, na cidade de São Paulo.

O sorteio terá transmissão ao vivo pelas redes sociais das Loterias Caixa, no Facebook e no YouTube.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) nas casas lotéricas credenciadas pela Caixa, em todo o país ou pela internet. A aposta simples, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

De acordo com a Caixa, caso apenas um apostador ganhe o prêmio da faixa principal e aplique todo o valor na poupança, receberá R$ 332,7 mil de rendimento no primeiro mês.

Comentários

Continue lendo

Em alta