Uma reportagem feita pelo jornalista Leônidas Badaró, do sitio ac24horas localizado na capital do Acre, mostrou uma dura realidade deixada pela administração passada, que ainda vem atormentando o povo acreano.

Duas pastas que praticamente foram esquecidas pela desastrosa administração do ex-governador Sebastião Viana (PT) e seus incompetentes secretários de estado – Saúde e Segurança, deixou sequelas para a atual administração, que vem tentando colocar nos trilhos e oferecer um bom atendimento em todo o Estado.

Veja a reportagem abaixo:

Seis meses depois, obras da saúde “inauguradas” na gestão do PT do Acre ainda não funcionam

Centro de Reabilitação Paolino Baldassari – No dia 3 de outubro do ano passado, o governo acreano entregou com toda pompa possível o Centro de Reabilitação Paolino Baldassari, um espaço de 1,4 mil metros quadrados de área construída que prometia á época unificar em um só lugar e ampliar consideravelmente os diferentes atendimentos terapêuticos de reabilitação para crianças e adultos com deficiência visual, auditiva ou intelectual. A expectativa é que o CER III atendesse cerca de 500 atendimentos mensais.

Passados 289 dias desde que foi inaugurado, nenhum paciente foi atendido até hoje no local.

O que diz a Sesacre – “O que falta é apenas a aquisição de alguns equipamentos (o que não impede o funcionamento) e o fechamento do fluxo de assistência ao cidadão. Na próxima sexta-feita (19) está marcada uma reunião para apresentação desse fluxo. Após a definição do fluxo, a oferta do serviço será comunicada ao governador Gladson Cameli e à secretária de Estado de Saúde Mônica Kanaan, e só então a data de inauguração, de acordo com a agenda de ambos, será definida”.

33 novos leitos do Huerb – Em dezembro, o ex-governador Sebastião Viana inaugurou uma nova enfermaria no Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco (Huerb) com 33 leitos, localizado no 4º andar, como parte da obra de verticalização do hospital que se arrasta há mais de 10 anos. O novo espaço iria permitir a reforma das antigas enfermarias. Inclusive, no dia da entrega dos novos leitos, foi assinada a ordem de serviço para a referida reforma. Mais de seis meses depois, os novos leitos nunca foram usados.

O que diz a Sesacre – “A gestão passada entregou sem a rede de gases, sem o sistema de refrigeração, sem a instalação do elevador e sem fluxo de atendimento, tendo em vista a continuidade da obra nos demais andares. A previsão de inauguração da verticalização do Huerb, com todos os serviços que serão ofertados, está prevista para o dia 1º de agosto”.

Hospital de Brasiléia Wildy Viana – Foto: Alexandre Lima/arquivo

Hospital Regional Wildy Viana – Em 20 de dezembro foi a vez do governo do estado entregar a quarta e última etapa do Hospital Regional Wildy Viana, localizado em Brasileia. Com investimento de 82 milhões de reais, a unidade de saúde foi entregue com a promessa de ser referência para a população no suporte de média e alta complexidades do Alto Acre, uma população estimada em 100 mil pessoas dos municípios de Brasileia, Epitaciolândia, Xapuri e Assis Brasil, gerando economia aos cofres públicos com a diminuição de pacientes que precisam do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), além de proporcionar maior conforto e comodidade aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Passado mais da metade de um ano, pode-se dizer que atualmente o Hospital Regional nada mais é do que um grande posto de saúde que faz cesarianas. Qualquer outro atendimento que exija maior complexidade, é necessário o encaminhamento para Rio Branco.

O que diz a Sesacre – “A unidade foi entregue parcialmente e parcialmente vem sendo utilizada. Para sua conclusão serão necessários algumas reprogramações, tendo em vista que alguns serviços essenciais para a sua total funcionalidade não estão previstos no contrato atual, problema este que está sendo solucionado pela gestão atual. Outra pendência que a gestão atual está solucionando envolve o registro oficial da unidade no Cadastro Nacional dos Estabelecimento de Saúde (CNES) do Ministério da Saúde”.

UPA de Cruzeiro do Sul – A comunicação oficial do governo à época chegou a anunciar a entrega da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruzeiro do Sul para o dia 21 de dezembro. Sem nenhuma explicação, a entrega da obra não aconteceu. A UPA começou a ser construída em 2013 e já foram gastos mais de 4,5 milhões de reais. Formada por dois pavimentos e com uma área de mais de 2,2 mil metros quadrados, a UPA irá realizar atendimentos diversos, como ambulatoriais, urgência e espaços técnicos necessários. A unidade terá salas para classificação de risco, além de outras quatro para exames, sala de distribuição de medicamento, posto de enfermagem e atendimento social. Também serão disponibilizados 22 leitos, distribuídos em observação masculina, feminina, infantil, individual e urgência. Além de Cruzeiro do Sul, a UPA vai beneficiar as cidades de Mâncio Lima e Rodrigues Alves, alcançando, nos três municípios, uma população superior a 120 mil pessoas.

O que diz a Sesacre – “Também está em fase de finalização, com o compromisso de ser realizada, na primeira semana de setembro, a vistoria pela Secretaria de Estado de Infraestrutura e Desenvolvimento Urbano e Sesacre, caso o cronograma de execução seja obedecido pela empresa contratada. Os equipamentos da UPA já foram adquiridos e serão instalados mediante a conclusão da obra. Com a oferta do serviço, e não apenas da entrega estrutural, a UPA também será inaugurada de verdade em data a ser definida pelo governador juntamente com os titulares da Seinfra e Saúde”.

Comentários