Se o secretário não vir aqui, nós iremos pedir a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), disse.

Gina Menezes, da Agência ContilNet

Deputado estadual Wherles Rocha (PSDB)/Foto: Assessoria Aleac
Deputado estadual Wherles Rocha (PSDB)/Foto: Assessoria Aleac

O deputado Wherles Rocha, líder do PSDB na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), usou  a tribuna da Casa na sessão desta terça-feira (22) para denunciar supostas coações que produtores rurais de Plácido de Castro estariam sofrendo por parte de pessoas ligadas à Secretaria de Estado de Extensão Agroflorestal e Produção Familiar (Seaprof), por conta das denúncias do sumiço de 25 toneladas de milho e cobranças indevidas de serviços.

“Fomos informados que estes produtores estariam sendo ameaçados para que não denunciem os absurdos cometidos naquela localidade”, declarou.

Além de denunciar as supostas coações, Rocha afirmou que já assinou o requerimento que solicita explicações do secretario Lourival Marques sobre as denúncias de irregularidades na pasta gerida por ele.

“Se o secretário não vir aqui, nós iremos pedir a instauração de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para averiguar essas denúncias gravíssimas”, declarou.

Rocha afirmou que entre as graves denúncias está a de que o próprio secretário Lourival Marques tenha negociado horas de trabalho de trator em propriedades particulares para compensar o sumiço do milho. A denúncia refeita pelo deputado tucano foi respaldada pelos produtores rurais de Plácido de Castro.

“Secretário não pode negociar equipamento do Estado como se fosse dele”, declarou o parlamentar.

Comentários