Conecte-se conosco

Acre

Sena Madureira está sem defensor público e população reclama por atendimento

Publicado

em

Já na regional do alto acre, o governo estadual cria muitos empecilhos para pagar os advogados que auxiliam a população a ter o seu direito constitucional de ingressar na justiça quando necessitam.

Defensoria Pública do Estado (DPE), em Brasiléia, está com um defensor para atendimento a população em três cidade (Foto: Marcus José)

Defensoria Pública do Estado (DPE), em Sena Madureira, está sem defensor para atendimento da população (Foto: reprodução)

Da redação com Marcus José

A Defensoria Pública do Estado (DPE), em Sena Madureira, está sem defensor para atendimento da população. A situação, que se arrasta há alguns dias, está deixando populares que procuram atendimento no órgão de cabeça cheia. E a reclamação é geral, tanto na esfera Cível, quanto na Criminal, à mesma situação acontece com a regional do Alto Acre, onde somente um defensor tem que servir a população nas três comarcas da regional, como Epitaciolândia, Assis Brasil e Brasiléia, fazendo com que tenha que convocar defensores dativos dessas comarcas, onde causa outros problemas, pois o governo estadual cria muitos empecilho para pagar estes advogados que auxiliam a população carente, a ter o seu direito constitucional de ingressar na justiça quando necessitam.

Advogado Dilsomar Ribeiro Campos, atuante na regional do alto Acre (Foto: Marcus José)

Segundo o advogado Dr. Dilsomar Ribeiro Campos, atuante na regional do alto Acre, relatou que seus colegas de profissão estão fazendo esse serviços de defensorias dativas, mais para auxiliar a população carente, que se tornam refém da ausência do poder publico.

Já em Sena Madureira, José de Paula Silva, de 34 anos, diz que procurou a DPE para tentar fazer um exame de DNA, mas que foi informado que apenas casos mais urgentes estão sendo atendidos nesse momento por um defensor de Rio Branco. Os demais casos, relata, estão sendo enviados para a Capital, e não há prazo para isso se resolver.

“É uma situação difícil. Fiquei um tempo em Cruzeiro do Sul e o problema lá é bem semelhante. Aqui em Sena, a mesma coisa. Fui lá e me disseram que preciso aguardar os defensores de Rio Branco, porque o dai está doente e pediu para ser transferido, e só vai ter novo defender no mês de maio. É revoltante!”, reclama.

____________________________

A Defensoria Pública do Estado está com concurso para 15 novos defensores em aberto. As contratações devem ocorrer até meados de abril, e a previsão, segundo a defensora-geral Roberta Caminha, é que após isso, pelo menos dois novos profissionais assumam os postos na terceira maior cidade do Acre.

____________________________

“A Defensoria Pública continua com suas atividades, com toda a equipe de assessores jurídicos, e temos também um defensor daqui de Rio Branco que está com portaria. É algo momentâneo. Mais brevemente, há todo interesse em dar posse aos novos colegas para que tenhamos uma atuação mais efetiva no interior”, justifica.

Comentários

Acre

Alerta: Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no Acre e 18 animais morreram com sintomas da doença

Publicado

em

Por

Por Alcinete Gadelha, g1 AC

Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença — Foto: Arquivo/Idaf

Foco da raiva bovina é identificado em propriedade rural no interior do AC; 18 animais morreram com sintomas da doença — Foto: Arquivo/Idaf

Um foco de raiva bovina foi detectado em uma propriedade rural, na cidade de Sena Madureira, no interior do Acre, onde 18 animais morreram com suspeita da doença. As informações foram confirmadas pelo Instituto de Defesa e Agropecuária Florestal (Idac), que faz o monitoramento.

Ainda conforme o Idaf, só foi possível fazer a coleta de um dos animais, que teve o caso confirmado por exame laboratorial, mas considera como foco devido às outras mortes terem ocorrido no mesmo período e os animais terem apresentado sintomas.

A raiva em bovinos é transmitida pela mordida do morcego, que, além de matar o animal infectado pela doença, também pode ser transmitida para humanos.

Em junho do ano passado, o Idaf tinha registrado a morte de sete animais da área rural de quatro cidades no interior do Acre nos meses de dezembro de 2020 e maio de 2021. Os casos deste ano foram informados ao Instituto no início de junho.

“Nessa área, nós temos um foco de raiva, com um caso positivo laboratorial e na investigação foi detectado que na propriedade morreram 18. Não podemos afirmar porque não foi possível fazer o exame, mas, pelo período da doença, é detectado como raiva. Se morrer algum animal, em um período de três meses com os mesmos sintomas, a gente considera que ainda seja raiva, pelo período de incubação da doença”, disse a chefe do Programa de Combate da Raiva do Idaf, a veterinária Maria do Carmo Portela.

Quando o veterinário foi até a propriedade, foi feita a orientação aos moradores sobre a vacinação do rebanho, além de investigar se as pessoas tiveram contato com o animal infectado, com a saliva, que é o que a via de transmissão.

“A saliva é o que contém o vírus, e quem trabalha na área rural, pode ter machucado nas mãos, então, é feita a investigação para ver se a pessoa teve contato com a saliva e, no caso, é enviado para a secretaria de saúde do município para a pessoa tomar a vacina. Também é solicitado ao proprietário faça a vacinação do rebanho”, acrescentou.

O trabalho do Idaf, nestes casos é orientar quem teve contato com o animal doente busque a unidade de saúde, e também faça a vacinação do rebanho. Se tiver muitos sinais de mordidas de morcego, ainda é feita a captura dos animais para tentar amenizar a situação, com o controle da colônia dos morcegos.

A propriedade está sob monitoramento e deve receber mais uma visita técnica, com um levantamento se houve mais alguma propriedade com sinais de espoliações de morcego e ou morte com sintomas de raiva, para que seja feito um trabalho de educação sanitária na área.

Animal espoliado por morcego — Foto: Arquivo/Idaf

Animal espoliado por morcego — Foto: Arquivo/Idaf

Sintomas

Entre os sintomas estão o isolamento do animal, perda de apetite, salivação abundante, perda de equilíbrio, quedas e estiramento do pescoço.

Comentários

Continue lendo

Acre

VÍDEO: Polícia Civil incinera mais de 300 quilos de drogas apreendidas esse ano na Regional Juruá

Publicado

em

 

Ascom/Polícia Civil do Acre

Na manhã desta sexta-feira, 24, a Polícia Civil em Cruzeiro do Sul incinerou aproximadamente 300 quilos de drogas diversas, entre cocaína e maconha.

O procedimento tático-operacional contou com a participação de policiais da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico e de agentes da Delegacia de Repressão as Ações Criminosas Organizadas – Núcleo Draco/Denarc coordenado pelo Delegado Heverton Carvalho.

As drogas são provenientes de diversas apreensões realizadas pelas forças de segurança na regional Juruá em virtude de prisões em flagrante, delitos, assim como operações de investigações de repressão ao tráfico de entorpecentes e de combate à facções criminosas.

A incineração do entorpecente é um demonstrativo claro da efetividade do trabalho da polícia judiciária que vem intensificando suas ações de combate a criminalidade em todas as regionais do estado. O sentido de asfixiar as organizações criminosas voltadas à prática do crime de tráfico de drogas.

A ação faz parte da Semana Nacional de Políticas sobre Drogas, que acontece entre os dias 20 a 24 de junho de 2022.

Além dos delegados Vinicius Almeida e Heverton Carvalho, estiveram presentes na incineração autoridades representando o Poder Judiciário, o Ministério Público Estadual e Federal e a Vigilância Sanitária do Acre.

Comentários

Continue lendo

Acre

Saúde alerta para possível aumento de casos de síndromes gripais e doenças respiratórias no período de seca

Publicado

em

Enquanto o segundo semestre do ano se aproxima, a estiagem característica desse período preocupa os órgãos responsáveis pelo monitoramento da incidência de síndromes gripais e doenças do sistema respiratório. A Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), por meio do Departamento de Vigilância em Saúde, encontra-se alerta para um possível aumento desses casos nos próximos meses.

O período de seca gera aumento de doenças respiratórias e síndromes gripais. Foto: Odair Leal/ Secom

Além do calor, a baixa umidade do ar e a fumaça provocada pelas queimadas são fatores de risco para a disseminação de doenças como rinovírus, influenza, parainfluenza, adenovírus, metapneumovírus e sincicial respiratório, por exemplo.

O chefe do Departamento de Vigilância em Saúde do Acre, Gabriel Mesquita, destacou que a prevenção é a melhor estratégia no combate a esses vírus. “É um período em que as pessoas precisam se cuidar, se hidratar. Tomar medidas como, se possível, ter umidificadores de ar dentro de casa, ou até mesmo baldes de água ou toalhas molhadas, tornando o ambiente menos propício a proliferações das síndromes gripais”, orienta.

Gabriel Mesquita reforça a importância de hidratar-se em períodos mais secos. Foto: cedida

Mesquita explica ainda que a população em geral está exposta às doenças do sistema respiratório e síndromes gripais, podendo, além de contrair, ter um agravamento dos efeitos do vírus no organismo. No entanto, idosos e crianças são considerados grupos de risco, por se mostrarem mais suscetíveis à evolução dessas doenças para Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

Campanha de vacinação contra influenza

A vacina é o método mais eficaz no combate às doenças. O governo do Acre, por meio do Programa Nacional de Imunização (PNI), disponibiliza, desde abril deste ano, a imunização contra a influenza para os grupos de risco. A partir segunda-feira, 27, todas as unidades básicas de saúde (UBS) do estado estarão oferecendo as vacinas ao público em geral.

Comentários

Continue lendo

Em alta