Conecte-se conosco

Acre

Senado da República é o coroamento de anos de serviço ao Acre, afirma Maria das Vitórias

Publicado

em

Na expectativa de assumir , no próximo dia 5 de julho, sua vaga como suplente do sen. Sérgio Petecão, a ex-deputada Maria das Vitórias chega ao Senado Federal com um sólido conhecimento da realidade acreana e uma extensa  e reconhecida experiência política dada pelo batismo das urnas. Natural do Rio Grande do Norte , “mas com alma genuinamente acreana” como faz questão de ressaltar, Maria das Vitórias foi- dentre seu vasto currículo de funções públicas -uma das fundadores no Estado da Emater (Empresa  de Assistência  Técnica e Extensão Rural).

Licenciada em Serviço Social, desde logo D. Vitória- como é carinhosamente chamada pelos acreanos- aliou a preocupação social com uma dedicação ao meio rural através de um trabalho desenvolvido sobretudo junto ao homem do campo, o que conferiu a ela um conhecimento “in loco” das expectativas, necessidades  e anseios do Acre rural.  “ A Emater foi fundamental na promoção do agronegócio com foco na agricultura familiar acreana, através do serviço de extensão rural com qualidade para o desenvolvimento sustentável”, acrescentou.

O trabalho na Emater não isentou a preocupação de D. Vitória com a população urbana, sobretudo do Vale do Juruá(especialmente a cidade de Cruzeiro do Sul onde a ex-deputada mora há vários anos).O casamento com o agrônomo João Tota, que veio a ser um dos prefeitos mais atuantes de Cruzeiro, despertou em Maria das Vitórias o viés político que a fez deputada estadual na Aleac, onde trabalhou como constituinte e chegou à 1° Secretaria. “Foi uma época de intenso trabalho político junto com meu marido  João Tota (já falecido), cujo trabalho  marcou época na administração de Cruzeiro do Sul,  num esforço  que resultou em sua eleição de deputado federal mais votado no Estado .Em Brasília, Tota  cravou  sua  atuação política com ações em favor dos interesses genuínos do povo acreano, o que  resultou em  4 mandatos consecutivos”, lembra D. Vitória .

Cargos Públicos

Além da  vocação para o serviço social (sobretudo em comunidades mais carentes), a   reconhecida competência política aliada a um  excelente trânsito em diversas áreas da administração pública  levaram  Maria das Vitórias a ocupar diversos cargos na linha de frente de governos estaduais. Dentre eles,  como secretária de Agricultura(Governo Edmundo Pinto),secretária de Indústria, Comércio e Turismo e presidente da Codisacre (governo Orleir Cameli),além de secretária municipal de Assistência Social em Cruzeiro do Sul(administração Zila Bezerra) , onde pôde desenvolver um esforço genuíno de  apoio aos ribeirinhos, homens do campo e às periferias.

Equilíbrio e voluntariado

 Sempre atenta ao momento político do município, Estado e do País, D. Vitória   primou ao longo dos anos  por uma participação política equilibrada, avessa às posições extremadas e sempre afeita ao diálogo e à busca do consenso entre as posições. ”Na vida pública cabe, antes de tudo, o bom senso e a  disposição para a troca de ideias e a busca do  bem comum”, pondera a ex-deputada. Sempre presente nas iniciativas  sociais de Cruzeiro do Sul, Maria das Vitórias marca sua presença hoje num trabalho social voluntário junto aos idosos(é presidente do Conselho da Pessoa Idosa de Cruzeiro do Sul) e trabalho voluntário junto à Fazenda Esperança Feminina(Casa Maria Madalena de Mulheres dependentes químicas)

Expectativa

Em relação ao Senado Federal, Maria das Vitórias faz questão de salientar que quer marcar sua passagem pela Câmara Alta do País com uma atuação prudente mas ativa, e sobretudo atenta a tudo que puder contribuir para o desenvolvimento econômico e progresso social do Acre. “Meu compromisso é, acima de tudo, com a nossa gente acreana”, garante.

 Dentre os temas principais que deverão ser alvos da atuação da futura senadora estão a defesa do agronegócio( incluído o estímulo à agricultura familiar),a preocupação com as periferias urbanas, em particular do Acre(e o firme apoio às políticas sociais vigentes), a defesa da saúde(sobretudo no que se refere  ao aparelhamento dos hospitais públicos para um bom atendimento à população),o combate à violência contra a mulher e à dependência química, além do trabalho em prol da implementação no Estado das principais políticas públicas do Governo Federal. “Nossa gente acreana merece todo nosso respeito, atenção e foco das administrações públicas em todos os níveis”, finalizou.

Comentários

Acre

Suspeito de matar ex com tiro na cabeça é preso pela Polícia Civil em Rio Branco

Publicado

em

Por

Crime ocorreu no último dia 12 de junho no bairro Triângulo Novo. Polícia informou que ele também estava foragido por ter rompido tornozeleira eletrônica enquanto cumpria pena por tráfico de drogas.

Homem, de 23 anos, foi preso nessa sexta-feira (1), no bairro Triângulo Novo, mesmo local onde a jovem foi morta — Foto: Arquivo/PC-AC

Comentários

Continue lendo

Acre

Mais de 45% da população do Acre está abaixo da linha da pobreza, diz estudo da FGV

Publicado

em

Por

Estudo aponta que o número de pessoas com renda domiciliar per capita de R$ 497 mensais em 2021 aumentou 0.15 ponto percentual desde 2019.

Metade da população do Acre vive em situação de pobreza com renda mensal de meio-salário mínimo, diz Abrinq — Foto: Iryá Rodrigues/G1

Quase metade dos acreanos têm menos de meio salário-mínimo para passar o mês. É o que aponta o Mapa da Nova Pobreza, divulgado esta semana pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Segundo a fundação, o contingente de pessoas com renda domiciliar per capita até R$ 497 mensais atingiu 45,53% da população total do Acre. Com esse resultado, o Acre ocupa o 13º lugar no ranking dos estados com mais pobres do país. Em 2020 e 2019, ele ocupava a sexta posição.

O objetivo do levantamento, segundo a FGV, é avaliar a evolução espacial da pobreza nos últimos anos. A metodologia da pesquisa considerou os dados microdados da PNAD Contínua Anual do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O estudo aponta que o número de pessoas viviam abaixo da linha da pobreza em 2021 aumentou 0.15 ponto percentual desde 2019, quando 45,37% da população acreana estava nessas condições. Ou seja, a pobreza aumentou no estado em meio à pandemia da Covid-19.

A capital acreana seguiu essa mesma tendência de alta. Em 2019, antes da pandemia, 32,56% da população vivia abaixo da linha da pobreza. E, no ano passado, já eram 38,29%.

No Brasil, o contingente de pessoas com renda per capita até R$ 497 mensais passou de 62 milhões em 2021, quase 30% da população do país. São 9 milhões a mais do que em 2019. Esses 9 milhões de pessoas é quase a população de Portugal, ou seja, um país inteiro com pessoas que ficaram pobres ao longo da pandemia.

Comentários

Continue lendo

Acre

Acre volta a ter média de quase 200 casos diários de Covid-19 ao longo da semana

Publicado

em

Foto: Adriano Machado / Reuters

Por Leônidas Badaró

Esta semana, a Covid-19 deu uma demonstração que não é coisa do passado e voltou a assustar a população com o aumento no número de casos.

De segunda, dia 27, até esta sexta, dia 1º, o estado registrou 915 novos casos da doença, o que representa uma média de 183 casos diários. Por conta da vacinação, felizmente, a média de mortes continua baixa. No período, foram registradas duas mortes.

Com a retomada do crescimento dos casos de Covid-19, a prefeitura voltou a colocar a URAP Maria Barroso, localizada na região da Sobral, como unidade referência para o atendimento e a realização de exames da doença.

De acordo com o médico Fabrício Lemos, o número de casos cresceu muito e a realidade de pessoas infectadas deve ser ainda maior. “Por conta da vacinação, os sintomas, na maioria das pessoas, são mais brandos, o que faz com que muita gente não procure fazer o teste e, por isso, creio que exista uma subnotificação de casos que ficam fora das estatísticas oficiais. Na rede pública, a gente tem recebido muita gente, de muitos municípios que procuram atendimento aqui em Rio Branco. Não há dúvida de que temos um considerável aumento de casos”, diz Lemos.

Umas das razões apontadas para esse crescimento é o relaxamento da população em relação às medidas sanitárias como uso de máscaras e álcool em gel. Outro fator seria o de que muitas pessoas não completaram seus esquemas vacinais. Para quem ainda não se imunizou completamente, a prefeitura disponibiliza neste sábado, 2, os seguintes pontos de vacinação contra a Covid-19: URAPs Hidalgo de Lima, Eduardo Assmar, Vila Ivonete e Cláudia Vitorino, das 8 da manhã às 13 horas.

Comentários

Continue lendo

Em alta