Com o intuito de valorizar o trabalho político das representantes do Acre Laélia de Alcântara (in memorian), primeira senadora negra do país, e Iolanda Fleming, primeira mulher a governar um estado, a senadora Mailza Gomes (Progressistas-AC) as indicou para serem agraciadas com o Diploma Bertha Lutz, que é entregue pelo Senado desde 2001, em reconhecimento a pessoas que se destacam na luta pelo protagonismo feminino na sociedade brasileira.

Senadora Mailza (centro), indicou Iolanda e Noélia para serem diplomadas.

De acordo com a senadora Mailza, a escolha das duas mulheres para serem agraciadas pelo Diploma Bertha Lutz é simbólico e histórico. “Esse é o reconhecimento do legado que Laélia, mulher, defensora das causas sociais e primeira senadora negra do país deixou para o Brasil e também para a nossa Iolanda que foi a primeira governadora do país e continua nos ensinando a importância da presença e da defesa da Mulher na política”, destacou.

Iolanda foi convidada e estará presente na sessão para receber o diploma, e Noélia de Alcântara, filha de Laélia, vai representá-la na sessão e receber o Diploma reconhecendo o trabalho dela para o país. A cerimônia de entrega está marcada para o dia 26 de março, às 10h, em Plenário do Senado Federal.

Diploma

O nome do diploma é uma referência a Bertha Lutz (1894-1976), precursora no Brasil na luta pelo direito de voto às mulheres, conquistado em 1932. Ela foi a segunda mulher a se tornar deputada federal na história do país. A primeira foi Carlota Pereira de Queirós. Bertha era formada em Biologia e Direito e foi a primeira mulher a integrar uma delegação diplomática brasileira, em 1945, na conferência em que foi redigida a Carta das Nações Unidas. Ela também integrou a delegação brasileira à Conferência do Ano Internacional da Mulher, no México, em 1975.

Comentários