hospital_brasiléia (6)A promotora de Justiça Diana Soraia Tabalipa Pimentel abriu inquérito civil para apurar uma série de denuncias no Hospital Raimundo Chaar da cidade de Brasileia, no Alto Acre. Uma das denuncias grave foi feita por Neiva Aparecida Badotti informando a existência de comércio no interior do Hospital e, ainda, a troca de plantões por parte dos servidores, para estudarem curso de medicina na Bolívia.

Para o Ministério Público, a informação de que alguns funcionários não constam no plantão viola princípios da impessoalidade e moralidade. A promotora aproveitou a abertura de inquérito para investigar ações contra a secretaria de saúde.

Segundo o relatório a secretaria de saúde violando a Constituição Federal não contratou médicos aprovados no concurso público de 28 de dezembro de 2011, para este mesmo concurso outros profissionais deveriam ser chamados, entre eles, auxiliares de copa, serviços gerais, cozinheiro hospitalar, porteiro, agente administrativo, técnicos em enfermagem e outros.

Pacientes com hepatites em razão das dificuldades para o deslocamento a Rio Branco estão desistindo do tratamento, alguns, por falta de recursos para pagar o transporte até a capital e ficando sem acesso a tratamento especializado inexistente no município de Brasileia. Ainda de acordo o Ministério Público, esses pacientes ficam meses aguardando agendamento de consultas e exames. Na fila de espera, muitos aguardam três meses para serem atendidos.

Doiane Nogueira em depoimento prestado ao Ministério Público no dia 03 de maio, relatou a triste jornada percorrida pelos pacientes com problemas na vesícula e hérnia, os quais sofrem dores até conseguirem realizar cirurgia.

A promotora já encaminhou oficio ao Superintendente do Hospital das Clinicas, Carlos Eduardo, solicitando a relação dos pacientes que necessitam de agendamento na unidade, memória de atas e reuniões e convocou a secretaria Suely Melo e a Coordenadora de Enfermagem do Hospital Raimundo Chaar para prestarem esclarecimentos ao Ministério Público Estadual.

O OUTRO LADO

Procurada, a assessoria de imprensa da Secretaria de Saúde disse que ainda não tinha conhecimento do teor da denuncia, mas que medidas administrativas já vinham sendo tomadas pela secretaria Suely Melo.

Fonte: ac24horas

Comentários