Sintesac liderou movimento que ocorreu em frente ao Palácio Rio Branco

A incerteza continua e os trabalhadores do Pró-Saúde ainda aguardam uma resposta do governo para uma possível regulamentação. Diante da inércia da atual gestão, o Sindicato dos Trabalhadores em Saúde, além de outros sindicatos, realizaram uma manifestação em frente ao Palácio Rio Branco.

Cerca de 200 pessoas participaram do ato.

Atualmente, o Pró-Saúde possui 850 servidores concursados. Todos continuam ameaçados de demissão. Os sindicalistas decidiram subir até a Assembleia Legislativa, Aleac, para falar com os deputados. “A gente pede ajuda para tratar essa situação do Pró-Saúde, que está
insustentável”, alegou Augusto Ayache, presidente do Sindicato dos Condutores de Ambulâncias, Sindconam.

Os parlamentares garantiram que querem a aprovação da lei que regulamenta a situação dos trabalhadores, mas aguardam um posicionamento efetivo do governador Gladson Cameli. “A nossa solução é uma reunião com o próprio governador, porque nosso compromisso foi com ele. Nós sabemos que tem solução jurídica para o caso”, afirmou Alesta Amâncio, diretora do Sintesac.

Conforme o vice-presidente do Sintesac, Jean Marcos Lunier, a saúde no Acre está com dificuldades e a regulamentação do Pró-Saúde vai melhorar esse quadro. “Nós queremos uma solução”, pediu o sindicalista. O fato é que da manifestação ficou decidido que o líder do governo na Aleac, deputado Luíz Tchê (PDT/AC), vai marcar essa reunião com o governador para tratar do assunto.

ASCOM/SINTESAC

Comentários