O Sindicato dos Médicos do Acre (Sindmed-AC) ajuizou um processo de dissídio coletivo contra o Pró-Saúde junto à Justiça do Trabalho, objetivando assegurar os direitos dos profissionais médicos mediante a assinatura de um acordo coletivo para a categoria, valorizando cada vez mais o trabalho desenvolvido pela classe.

De acordo com o Sindmed-AC, Ribamar Costa, o Sindicato buscou o diálogo e um Acordo Coletivo em 2015, mas o Pró-Saúde não manifestou-se no sentido do entendimento. Com isso, a entidade foi obrigada a acionar o departamento jurídico para buscar o reconhecimento dos direitos dos profissionais.

No dia 5 de abril, os profissionais decidiram em assembleia pela nova proposta de acordo coletivo para 2016. A proposta, após aprovação unânime, foi então encaminhada ao Pró-Saúde, com prazo para início de negociações e assinatura do termo de acordo. Mais uma vez a empresa silenciou.

No dia 19 de abril, a categoria, mais uma vez, por meio da assembleia, deliberou com aprovação unânime pela negociação salarial. Ante a omissão por parte da empresa, o Sindmed-AC buscou a negociação por meio da Justiça do Trabalho.

O próximo passo será aguardar a audiência de conciliação para se verificar a possibilidade de acordo.

O presidente do Sindmed, Ribamar Costa, disse que o objetivo do processo é oferecer ao médico a proteção da lei, garantindo a valorização por meio dos direitos trabalhistas descritos na Consolidação das Leis Trabalhistas (CLT).

“O médico é um trabalhador comum, uma pessoa que faz jus a gratificação por trabalhar a noite, aos domingos e feriados, além de estipular a quantidade de plantões, por isso tentamos negociar, o que não foi aceito por parte da empresa, então a única saída foi o dissídio”, finalizou o sindicalista.

Comentários