Sinhasique apresenta propostas para reduzir índices de violência no Acre

A Carta de Propostas será encaminhada para as Secretarias Estaduais, prefeituras e Governo do Estado com ações que podem ser desenvolvidas a curto, médio e longo prazo.

0

A deputada estadual Eliane Sinhasique (MDB), usou a tribuna da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), na manhã desta terça-feira (10), para apresentar o resultado do I Fórum de Debates – Soluções para a Violência sob o olhar das Vítimas, realizado no dia 29 de junho, pela Comissão dos Direitos Humanos e Cidadania, a qual preside.

As 10 horas de debate com representantes dos poderes Judiciário, Executivo e Legislativo, Sociedade Civil Organizada e população, resultaram numa Carta de Propostas com 52 alternativas para reduzir a violência no Estado.

Dentre elas, a criação da Central de Mapeamento de todos os crimes de forma a levar ações emergenciais nas áreas de maior necessidade; Valorização dos policiais militares; Criação de conjuntos habitacionais militares, afastados dos bairros mais críticos, para que os agentes possam resguardar sua vida e de suas famílias; Criação de sistema de reparação de danos das viaturas; Urbanização dos bairros periféricos.

A Carta de Propostas será encaminhada para as Secretarias Estaduais, prefeituras e Governo do Estado com ações que podem ser desenvolvidas a curto, médio e longo prazo.

“Essa é a nossa contribuição para que haja a diminuição da violência no Estado do Acre. Fizemos um apanhado das diversas problemáticas e soluções sob o olhar da vítima. São propostas, que em sua grande maioria, não precisa de dinheiro para a sua execução”, explicou a parlamentar.

Sinhasique ressalta que a sociedade unida pode combater a violência. “Se cada um fizer a sua parte tenho certeza que iremos ver os números da violência reduzidos. É preciso empenho, é preciso atitude, é preciso ter coragem para implantar, para chamar as pessoas, para conversar, para operacionalizar aquilo que ficava só no imaginário, que não havia sido colocado no papel. Agora, está materializado”.

Comentários

Assuntos desta notícia