Conecte-se conosco

Acre

Só em fevereiro de 2013: Deputados entram em recesso

Publicado

em

Comentários

Acre

Prestes a completar 105 anos, idoso vai às urnas em Rio Branco: ‘O que faz a gente votar é querer o bem’

Publicado

em

Por

Pedro de Holanda Freitas votou na Escola Mário de Oliveira, acompanhado dos filhos e da neta, no bairro Cerâmica, em Rio Branco.

Prestes a completar 105 anos, idoso vai às urnas em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

Prestes a completar 105 anos, idoso vai às urnas em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

A 20 dias de completar 105 anos de vida, Pedro de Holanda Freitas mais uma vez fez questão de sair de casa para votar neste domingo (2). Acompanhado dos filhos e da neta, ele votou na Escola Mário de Oliveira, no bairro Cerâmica, em Rio Branco, onde mora.

Com bom humor, o cearense, que vive no Acre há muitos anos, diz que vai seguir votando até quando conseguir e deixou uma mensagem para os mais novos.

“O que faz a gente votar é querer o bem para o mundo, o bem da população. Na idade que eu estou só penso no melhor. Além de a gente dar valor ao voto, dá valor à pessoa que já votou esse tempo todo com bom coração. Sempre as pessoas me levam e me trazem, me ajudam, é uma maravilha. A mensagem que deixo é que cada um procure fazer sempre o bem, espero o bem de todo mundo”, disse o idoso.

Pedro de Holanda Freitas votou na Escola Mário de Oliveira, em Rio Branco  — Foto: Arquivo pessoal

Pedro de Holanda Freitas votou na Escola Mário de Oliveira, em Rio Branco — Foto: Arquivo pessoal

A filha que cuida dele, Antônia Selma de Castro Freitas, de 68 anos, disse que o pai, após votar, se despediu dos mesários dizendo ‘até a próxima eleição’. Ela afirma que a atitude do pai também incentiva outros idosos sobre a importância de continuar votando. Pessoas com 70 anos ou mais não são mais obrigadas a votar.

“Na eleição passada quando ele votou, várias pessoas ligaram dizendo que quando viram ele, também resolveram ir votar. Então, por isso acho importante para que as pessoas também façam um esforço e participem”, afirmou a filha.

Na última eleição, em 2020, primeiro ano de pandemia, foi a única que o idoso não participou do pleito. A filha disse que ele ainda insistiu para ir votar, mas a família achou melhor preservá-lo com receio de ser contaminação pela Covid-19.

Comentários

Continue lendo

Acre

Com 1,25 metro, nível do Rio Acre tem nova cota mínima histórica em Rio Branco

Publicado

em

Por

Esta já é a pior seca da história, segundo a Defesa Civil municipal. Cota já foi batida seis vezes em Rio Branco.

A seca em Rio Branco continua batendo recordes desde o mês passado. Neste domingo (2), o manancial amanheceu com 1,25 metros. Essa passa a ser a menor cota histórica desde o início do monitoramento da bacia na capital, que foi em 1971.

O manancial já bateu a menor marca quatro vezes este ano. A cota histórica era de 1,30 metro, registrada em 2016. Esse ano, o manancial marcou esse nível no dia 10 de setembro, depois seguiu em baixa até a última quinta (29) quando chegou a 1,26 metro.

Essa nova baixa do nível já era prevista pela Defesa Civil Municipal, uma vez que o volume de chuva no mês passado ficou abaixo do esperado. Em setembro choveu somente duas vezes, acumulando um total de 78 mm, sendo que o esperado era de 95,5 milímetros.

“Realmente uma situação bem complicada para nós habitantes de Rio Branco. Este ano já é a quarta marca quebrada, sendo três em setembro em sequência e agora já início de outubro mais uma. Normalmente tínhamos um período muito crítico na primeira quinzena e início da segunda quinzena de setembro, mas depois ia melhorando. E no início de outubro caminhava para uma normalização. Mas, esse ano, como já era previsto pelos estudos e análises, devemos começar a melhorar a situação só a partir da segunda quinzena de outubro. Acreditamos que até o dia 10 de outubro vamos nessa situação complicada”, disse o coordenador da Defesa Civil de Rio Branco, tenente-coronel Cláudio Falcão.

As menores cotas já registradas são:

 

  • 1,30 metro – 17 de setembro de 2016
  • 1,29 metro – 11 de setembro de 2022
  • 1,27 metro – 28 de setembro de 2022
  • 1,26 metro – 29 de setembro de 2022
  • 1,25 metro – 2 de outubro de 2022

 

Rio Acre chegou a 1,25 metro e bate nova marca histórica — Foto: Tácita Muniz/g1

Operação

 

Os moradores que não são atendidos pelo serviço de água da capital acabam sofrendo ainda mais com a seca. São moradores de comunidades que têm acesso a poço e que, neste período, acabam sendo castigados pela escassez de água.

É por isso que a Defesa Civil usa carros-pipa para levar água potável para essas pessoas. O órgão municipal atende 23 comunidades rurais com o objetivo de amenizar os impactos.

“São milhares de pessoas atingidas, mas estamos com 23 comunidades, que dá em torno de 3,5 mil famílias e 14 mil ou mais pessoas e ainda temos 15 comunidades na fila pedindo socorro, então é muita gente atingida pela seca passando necessidades e estamos fazendo de tudo para amenizar os impactos”, confirmou Falcão.

Dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) mostram que o estado acreano registrou mais de 6,6 mil focos de queimadas nos 29 primeiros dias de setembro. O total de queimadas neste ano em todo o estado é de 9.727. Com esse número, o Acre tem o pior setembro de queimadas dos últimos 24 anos.

Comentários

Continue lendo

Acre

TRE realiza cerimônia de emissão do relatório da zerésima das urnas eletrônicas no Acre

Publicado

em

Foi realizado na tarde deste sábado, 1°, na sede da Central de Divulgação das Eleições (CDE), no Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC), uma cerimônia para emissão do relatório da zerésima do Sistema Gerenciamento da Totalização dos Resultados – SISTOT.

A “zerésima” é um documento fundamental para a segurança das eleições. Ela nada mais é que um relatório emitido em cada seção eleitoral antes do início da votação – sendo que este documento atesta que não existe voto registrado na urna eletrônica para nenhum dos candidatos da disputa. O sistema é importante porque comprova que nela estão registrados todos os candidatos e que não há voto computado para nenhum dos postulantes a cargo eletivo.

O corregedor-eleitoral, desembargador Laudivon Nogueira, disse que a cerimônia serve para atestar a autenticidade das urnas eletrônicas no Acre. “É a cerimônia da zerésima que mostra que não há votos para que amanhã teremos o sistema todo preparado”, explicou.

O presidente do TRE-AC, desembargador Francisco Djalma, ressaltou que o procedimento passa pela transparência do pleito eleitoral. “É através dela que podemos constatar que não há qualquer fraude eleitoral”, declarou Djalma.

Neste domingo, 2 de outubro – dia da eleição, antes de o primeiro eleitor se dirigir à urna eletrônica para votar em cada uma das seções eleitorais, o presidente da mesa receptora de votos, na presença dos mesários e fiscais de partidos políticos, emite o relatório da zerésima.

Comentários

Continue lendo

Em alta