a sogra da aposentada, Maria Fernandes Vieira, está entre a vida e a morte - Foto/cedida
A sogra da aposentada, Maria Fernandes Vieira, está entre a vida e a morte na Capital acreana – Foto/cedida
Alexandre Lima

Um vídeo feito dentro do Hospital de Clínicas Raimundo Chaar, localizado na cidade de Brasiléia, se tornou viral na internet após ser postado, mostrando a servidora aposentada Tânia Filgueiras, mostrando a realidade em que se encontra a unidade da saúde.

Filgueiras estava na companhia de sua sogra, idosa, que estava encima de uma maca que apresentava problemas e estava com medo da mesma se quebrar a cair. Revoltada com o abandono da saúde pública na fronteira, denunciou a falta de lençóis nas macas, copos descartáveis, entre outros problemas.

A maca foi forrada com lençóis trazido de casa e apresentava problemas - Foto/cedida
A maca foi forrada com lençóis trazido de casa e apresentava problemas – Foto/cedida

“Tivemos que trazer os lençóis de casa, o chão tá sujo de sangue… Minha filha saiu para comprar remédios e o soro que não tem na Bolívia, a unidade não tem para amenizar a dor dela (sogra)”, desabafou a servidora aposentada.

Em tempo, os problemas denunciados no vídeo, já vem sendo mostrados a tempos e pouco se fez por parte do Estado, através da Secretaria de Saúde do Acre. No mesmo dia, os servidores da unidade realizaram um protesto pelas ruas da cidade, terminando no MP, onde protocolaram pedido de ajuda do órgão e que viesse interver.

Filgueiras registrou por celular, alguns dos problemas apresentados na unidade e o soro comprado, para que fosse aplicado em sua sogra que sofre com enfisema pulmonar, diabete e coração crescido. Disse que um dos médicos plantonistas havia dito que sua sogra não deveria ter perdido tempo em Brasiléia, pois, seu estado era considerado de risco.

Foi informado, que sua transferência ocorreu por voltar das 23 horas de sexta-feira, sendo necessário a parada para reanimação e a intubação ocorreu quando chegou na capital por volta das 3h00 deste sábado (12). Seu estado clínico é considerado grave e corre risco de morte, os familiares estão reunidos no hospital na Capital.

 

Soro comprado em farmácia por não ter no dia em que foi prescrito à paciente - Foto/cedida
Soro comprado em farmácia por não ter no dia em que foi prescrito à paciente – Foto/cedida
filgueiras_hospital_06
Ar-condicionado do pronto-socorro precisa de um balde para a goteira embaixo – Foto/cedida

filgueiras_hospital_07

Comentários