Rhuan Maycon é velado no Cemitério Morada da Paz, em Rio Branco, nesta quarta (5). Criança foi morta e esquartejada em Samambaia, no DF, e as principais suspeitas são a mãe dele e a companheira.

Avô de Rhuan recebeu o caixão no aeroporto de Rio Branco — Foto: Tálita Sabrina/Rede Amazônica Acre
Por Aline Nascimento

Sob comoção, familiares, amigos e conhecidos participam do velório do menino Rhuan Maycon, de 9 anos, na quarta-feira (5), no Cemitério Morada da Paz, em Rio Branco.

O corpo do garoto saiu de Brasília na noite desta terça (4) e chegou à capital acreana, Rio Branco, na madrugada de ontem quarta.

Do Aeroporto Internacional de Rio Branco, o corpo de Rhuan foi levado direto para a capela do cemitério para ser velado. O enterro deve ocorrer também nesta quarta pela manhã (5). Abalados, as familiares do menino não quiseram falar no aeroporto.

Rhuan foi morto a facadas na madrugada do último sábado (1), em Samambaia, no Distrito Federal. O corpo do menino foi esquartejado e colocado em malas. A suspeita é de que a mãe do menino, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27 anos, tenha cometido o crime com a ajuda da companheira dela, Kacyla Pryscila Santiago Damasceno Pessoa, 28.

Velório acontece no cemitério da Paz em Rio Branco — Foto: Guilherme Barbosa/Rede Amazônica

As duas estavam em casa quando a polícia chegou e foram presas. A Polícia Civil do Distrito Federal acredita que Rosana cometeu o crime “para diminuir gastos”. Segundo as investigações, a decisão teria sido tomada depois que a pensão da filha da companheira dela foi suspensa pela Justiça.

O governo do Acre informou que está dando todo suporte à família da criança e que vai arcar com todos os custos. Junto com a Defensoria Pública do Acre, o Estado conseguiu a liberação do cadáver do garoto para a família velar e enterrar no Acre.

O avô, Francisco das Chagas, mais conhecido como Chaguinha, e o pai de Rhuan Maycon Douglas de Castro, acompanham o velório.

Comentários