Da redação, com Jessé Peddines | Rio Branco (AC)

A Presidência da República solicitou o agendamento de uma reunião entre representantes dos ministérios da Justiça e da Saúde e a Casa Civil, com o objetivo de poder apontar uma saída para a situação de milhares de haitianos abrigados no município de Brasileia, no Acre. O encontro deve acontecer na próxima terça-feira, na capital federal.

Refúgio dos imigrantes já ultrapassou os 1250 desde o final de semana passado - Foto: Alexandre Lima
Refúgio dos imigrantes já ultrapassou os 1250 desde o final de semana passado – Foto: Alexandre Lima

Em Brasília (DF), a notícia que corre é de que o governo do Acre espera que o pedido de fechamento provisório da fronteira entre o Brasil e o Peru seja considerado umas das melhores saídas do caos que se instaura em Brasiléia, Epitaciolândia e Assis Brasil, ambos municípios do Acre.

Segundo informou o secretário de Direitos Humanos do estado, Nilson Mourão, à imprensa nacional, o grupo está vulnerável a diversos riscos de saúde e segurança. Mourão está desde ontem (16) no município de Brasiléia, acompanhado por equipes da Defesa Civil estadual e informou hoje (17) que algumas providências já estão sendo adotadas.

O senador Jorge Viana (PT/AC) afirmou ontem ao Programa Voz do Brasil, do Governo federal, que a cidade de Brasiléia, um dos municípios que compõem a faixa de fronteira internacional do Acre, não possui condições de abrigar e suportar os imigrantes que chegam em grupos. De acordo com ele é impossível que o Estado, neste momento, arque com as despesas de alimentação e hospedagem de tantas famílias.

A assessoria do Ministério da Justiça ainda não se posicionou sobre o caso, mas confirmou que o órgão já está acompanhando toda a situação e que a Polícia Federal está executando suas funções integralmente, além de fazer vistorias na região a fim de identificar a entrada no Brasil de forma ilegal.

Comentários